Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Cavaco Silva recusa comentar eventual nova candidatura à direita

Presidente da República evocou o "bom-senso" para "não misturar questões".

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, escusou-se hoje a comentar uma eventual nova candidatura presidencial apoiada pela direita, evocando o "bom-senso" para "não misturar questões", nomeadamente o centenário da Sociedade Hípica Portuguesa, em cuja celebração participava.

O Presidente assistiu hoje à tarde à final do concurso de Saltos Internacional Oficial de Lisboa e da Taça das Nações em Hipismo, por ocasião do centenário da Sociedade Hípica Portuguesa, no Hipódromo do Campo Grande, em Lisboa.

Questionado sobre notícias avançadas no sábado pelo Expresso dando conta de contactos realizados com Bagão Félix para avaliar a disponibilidade do antigo ministro das Finanças se candidatar à Presidência da República, Cavaco Silva escusou-se a comentar. 

Mal estar com decisão de casamento gay

Estes contactos terão sido realizados, segundo o antigo governante, devido a um "mal estar" e "desconforto" com a decisão de Cavaco Silva de promulgar o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. 

"Eu acho que nós, se tivermos bom senso, não devemos misturar as questões. Isto é, misturar as celebrações que hoje têm lugar aqui, com questões de outra natureza, e eu normalmente faço um grande esforço para ter bom senso", referiu Cavaco Silva, quando questionado pelos jornalistas. 

O Presidente escusou-se igualmente a comentar se receia ter dificuldade em ser reeleito, recusando responder a qualquer questão além das celebrações do centenário da Sociedade Hípica.  

Cavaco Silva justificou a sua presença nestas comemorações com a intenção de distinguir a Sociedade Hípica Portuguesa, com "100 anos ao serviço do desporto nacional" e "para homenagear os cavaleiros portugueses que ao longo dos anos têm contribuído para o prestígio de Portugal no estrangeiro". 

O chefe de Estado recordou que a primeira medalha olímpica portuguesa foi ganha por um cavaleiro e sublinhou que "o hipismo tem projetado Portugal nas mais que variadas partes do Mundo".