Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Carmona pede adiamento ao DIAP

Carmona Rodrigues deveria ser ouvido esta quarta-feira pelo DIAP de Lisboa, mas o presidente da Câmara requereu o adiamento da audição.

A audição do presidente da Câmara de Lisboa pelo Ministério Público no âmbito do caso Bragaparques, prevista para quarta-feira, "foi adiada, por causa justificada, a pedido" de Carmona Rodrigues, informou o DIAP de Lisboa.

A nota do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa não adianta a data em que Carmona Rodrigues será ouvido no caso Bragaparques.

"Na sequência de notícia veiculada na comunicação social relativa à data prevista para a realização de diligência de audição do senhor presidente da Câmara de Lisboa, no âmbito de inquérito em curso na nona secção do DIAP de Lisboa, comunica-se (...) que a referida diligência foi adiada, por causa justificada, a pedido do próprio", indica apenas a nota do DIAP.

De acordo com uma nota da distrital de Lisboa do PSD, divulgada sexta-feira, a audição do presidente da autarquia, como arguido no processo Bragaparques, iria acontecer quarta-feira, 2 de Maio.

Quando for ouvido pelo Ministério Público, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa deverá ser confrontado com factos que indiciam prevaricação e participação económica em negócio.

Em causa estarão crimes de responsabilidade de titulares de cargos políticos contemplados na Lei 34/87, que tem um "regime mais gravoso" do que o Código Penal e que equipara os "membros de órgão representativo de autarquia local" aos cargos políticos.

Uma fonte do PSD tinha admitido também na sexta-feira que Carmona se ausentou do país, numa viagem já "programada" em representação da autarquia, e que regressaria a Lisboa hoje.