Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Câmara de Oeiras realoja famílias

A explosão em Carnaxide obrigou ao realojamento de várias famílias e ao internamento de oito pessoas. Uma em estado grave.

A explosão ocorreu no sábado pouco antes das 20 horas, num prédio na Praceta Barbosa du Bocage em Carnaxide. A origem da explosão permanece desconhecida, mas sabe-se que teve origem no rés do chão de um prédio com um total de seis pisos.

Na altura da explosão um técnico de uma empresa de gás procedia a uma reparação, o que juntamente com o cheiro a gás sentido por alguns habitantes do prédio leva a crer quer se possa ter tratado de uma fuga de gás, embora não existam ainda certezas confirmadas.

Segundo declarações prestadas à Lusa, Isabel Santos, coordenadora do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) confirmou que o ferido mais grave, com 20% do corpo queimado, foi precisamente o técnico, imediatamente transportado para a unidade de queimados do hospital de Santa Maria em Lisboa. Os restantes feridos foram transportados para o hospital São Francisco Xavier, no Restelo.

O prédio de habitação com 18 apartamentos ficou parcialmente destruído, o que levou à sua evacuação, tendo sido desligado o gás e a electricidade como medidas de precaução. A câmara de Oeiras já se prontificou a alojar todos os moradores que necessitem de auxílio. “A Câmara irá realojar numa unidade próxima do local, 13 pessoas que ocuparão nove quartos, pois há casais”, assegurou Madalena Castro, vereadora da câmara de Oeiras.

À explosão seguiu-se um violento incêndio que devastou quatro dos seis pisos do prédio. No seu combate estiveram presentes oito corporações de bombeiros voluntários, apoiados por 19 veículos.