Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Calor vai aumentar

As temperaturas vão continuar a subir  até quarta-feira, originando valores acima do normal para esta época do ano, que podem ultrapassar os 40 graus em Beja e Santarém.

Sete dos 18 distritos de Portugal Continental encontram-se em «alerta laranja» - o segundo mais grave de quatro níveis de vigilância - ou seja, em situação de risco moderado a elevado, devido às elevadas temperaturas que esta terça-feira devem atingir os 40 graus centígrados em Santarém. Um panorama meteorológico que se deve à influência de uma corrente de leste que transporta ar muito quente e seco para o Continente.

A situação agrava-se na quarta-feira, sobretudo em Santarém e Beja (41ºC) e em Lisboa (38ºC). Exceptuando o Algarve e a costa Vicentina entre Sines e Sagres, onde os valores serão próximos dos normais, prevê-se em todo o Continente um aumento da afluência às urgências hospitalares, principalmente devido à  perda de água e sais minerais, que podem levar a uma situação de exaustão pelo calor.

Bebés, crianças e idosos, sobretudo acamados, são os grupos mais sensíveis aos efeitos do calor, pelo que a Direcção-Geral da Saúde recomenda aos indivíduos inseridos nestes grupos - ainda que não demonstrem sede - a ingestão de bastantes líquidos, de preferência água ou sumos de frutas naturais.

Termómetros ultrapassaram marca dos 40ºC

Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Leiria, Santarém e Évora são os distritos que estão hoje em «alerta laranja», indicam os mais recentes dados do Instituto de Meteorologia (actualizados às 17h03). As temperaturas máximas ultrapassaram os 40ºC em Santarém, tendo atingido os 38ºC em Beja. 

No distrito de Beja, desde há vários dias que os termómetros registam elevadas temperaturas. No entanto, o calor não levou ao  aumento do número de internamentos nas urgências. Em declarações ao EXPRESSO, o presidente do Conselho Administrativo do Hospital Distrital de Beja, Rui Sousa Santos, afirmou que não houve até aqui «nenhum movimento relevante» visto que «a população local, ao contrário da população de Coimbra e Santarém, já está acostumada às ondas de calor e toma medidas de autoprotecção». Os Hospitais da Universidade de Coimbra e o Hospital Distrital de Santarém também não registaram qualquer fluxo anormal de pacientes durante o último fim-de-semana.

Medidas de autoprotecção ajudam

Como medidas de autoprotecção, além de ingestão de líquidos não açucarados com mais regularidade (pessoas que sofram de epilepsia, doenças cardíacas, renais ou de fígado ou que tenham problemas de retenção de líquidos devem consultar um médico antes de aumentarem o consumo), o Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil (SNPC)recomenda que as pessoas devem evitar sair à rua nas horas de mais calor e, em casa, durante o dia, abrir as janelas e manter as persianas fechadas, de modo a permitir a circulação do ar. Durante  a noite, a recomendação é abrir bem as janelas, persianas inclusive, para que o ar circule e a casa arrefeça.

Entre outras medidas, o SNPC lembra ainda que nas horas de mais calor as pessoas devem evitar andar a pé durante muito tempo, especialmente em filas e ao sol, procurando sempre que possível um local com ar condicionado.