Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Calor até sábado

A par de temperaturas elevadas no Continente, Portugal registou ontem e hoje índices muito elevados de radiação ultra-violeta (UV), que tem efeitos graves para a saúde.

Depois de um dia muito quente como o que se fez sentir hoje - que mais uma vez obrigou ao uso permanente de ventoinhas e ar-condicionado fazendo subir o consumo de energia - quem se encontra no Continente deve estar preparado para  enfrentar a continução da onda de calor.

Há índices muito elevados de radiação ultra-violeta (UV), que tem efeitos graves para a saúde. Os valores mais altos de UV (10) foram atingidos ontem na Beira Interior, entre as 12h e 16h, e também na Madeira, entre as 12h e 17h.

Amanhã (sexta-feira), as temperaturas vão subir sobretudo em Santarém, onde deverão atingir os 42ºC.  O calor vai apertar também em Beja, Coimbra e Braga.

Hoje, seis distritos encontram-se em «alerta laranja»: Braga, Porto, Aveiro, Leiria, Santarém e Évora. No mapa de «alertas e avisos» do Instituto de Meteorologia (IM), somente o Algarve está a «verde», ou seja, em situação considerada normal.

Lufada de ar fresco no fim-de-semana

No sábado e no domingo, porém, os dados do IM permitem dizer que haverá uma lufada de ar fresco no Continente. Com possibilidade neblina nas regiões do litoral sul. Céu pouco nublado a limpo, vento fraco (inferior a 20km/h) do quadrante oeste, soprando moderado (35 a 35 km/h) de noroeste, com rajadas, na faixa costeira ocidental, sobretudo à tarde. Prevê-se uma pequena descida da temperatura máxima no litoral centro. 

O Verão escaldante regista-se apenas em Portugal Continental. As ondas de calor não atingiram os arquipélagos, onde os termómetros têm assinalado temperaturas mais amenas. Ao contrário do Continente - onde o mês de Agosto regista ausência de precipitação em quase todo o território, excepto em Barcelos, e valores muito abaixo da média para esta época do ano - as previsões apontam para a ocorrência de chuva nos Açores.