Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Cachalotes dão à costa em Cabo Verde

Cerca de 100 cachalotes deram à costa, este fim de semana, em duas praias cabo-verdianas, e alguns foram esquartejados por populares para consumo. Ainda não há explicação para o fenómeno.

Cerca de 100 cachalotes deram à costa, este fim de semana, em duas praias cabo-verdianas, e no concelho de Santa Cruz alguns foram esquartejados por populares para consumo.     Mais 54 cachalotes deram à costa na localidade de Coqueiro, concelho de Santa Cruz, na ilha de Santiago e na ilha do Sal já foram contabilizados 42 na praia de Monte Leão.     Alguns cetáceos chegaram vivos à praia de Coqueiro, tendo morrido depois, num cenário desolador de desespero dos animais, morrendo aos poucos perante a impotência dos que estão a tentar devolvê-los ao mar.     Outros populares, segundo fontes locais, tentaram apoderar-se da carne das primeiras baleias que chegaram à praia, o que acabou por ser inviabilizado pela polícia e os militares que continuam na praia para impedir as pessoas de esquartejar os animais.  

Militares impedem esquartejamento dos animais 

Segundo o tenente António Varela, que coordena a operação, os militares vão continuar até que os animais sejam retirados da praia.     "Estamos aqui para impedir que as pessoas se apoderem da carne e também à espera de que cheguem as autoridades competentes para fazer as análises necessárias. Mas alguns já foram esquartejados porque a população deu-se conta do fenómeno antes da polícia, por isso quando chegamos já havia alguns animais esquartejados", disse.     Por outro lado, o delegado do Ministério do ambiente no concelho de Santa Cruz, Daniel Xavier, afirmou que ainda hoje biólogos devem deslocar-se ao local para recolher as primeiras amostras para análises.     "Estamos à espera da chegada dos biólogos para recolher a mostras e saber o que realmente aconteceu. Quanto (ao destino a dar) aos animais que estão na praia há dois cenários que seriam a queima ou o aterro, mas só saberemos depois das análises dos biólogos", explicou.   

Fenómeno semelhante em 1947, diz local 

Em Monte Leão, na ilha do Sal, os pescadores relataram à Rádio de Cabo Verde cenário semelhante ao de Coqueiro, tendo afirmado que os cetáceos começaram a chegar à costa vivos, sábado à tarde.     Um morador de Coqueiro, José Maria Freire, contou à Lusa que os mais antigos deram conta que em 1947 um fenómeno semelhante ocorreu naquela praia.   "Os mais velhos contam que em 1947 saíram do mar alguns desses que aqui se chamam peixe preto e isso coincidiu com a época da fome de 47. Desde daquela altura nunca mais ocorreu", disse.     Ainda não há explicação para este fenómeno.

***Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.