Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Bush acusa Irão de "financiar o terrorismo"

Síria, Irão e Sudão foram os alvos do discurso do Presidente norte-americano.

O Presidente George Bush desafiou os delegados do Irão, da Síria e do Sudão a sentarem-se diante dele na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas e dirigiu-se directamente aos cidadãos daqueles países que o estavam a ver na televisão: “Extremistas em campanha... essa propaganda é falsa e pretende confundir-vos e justificar actos de terror. Nós respeitamos o islamismo, mas vamos proteger o nosso povo daqueles que pervertem a religião muçulmana para semear a morte a destruição”.

O Presidente norte-americano disse aos iranianos que o grande problema do país “é o facto dos vossos dirigentes terem decidido negar a vossa liberdade e utilizar os recursos do país para financiar o terrorismo, alimentar extremistas e dotar-se de armas nucleares”. E avisou Khartoum: “Se o Governo sudanês não aprovar o desenvolvimento desta força de manutenção de paz rapidamente, as Nações Unidas têm de agir”.

“De Beirute a Bagdade, as pessoas estão a escolher a liberdade”, insistiu Bush, que falará com Teerão se o programa nuclear for suspenso, embora tudo indique que haverá consequências indiscriminadas. “Chegou a altura dos iranianos negociarem. O tempo urge”.

O Presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, respondeu na mesma moeda: “O abuso do Conselho de Segurança, como instrumento de ameaça e coerção, é na realidade uma fonte de preocupação séria”, afirmou. O programa nuclear do Irão é “transparente, pacífico e está sob o olhar atento” dos inspectores das Nações Unidas, ao contrário do que se passa noutros países. “Alguns deles usaram a tecnologia nuclear para fins não pacíficos, nomeadamente a produção de bombas nucleares, e noutros até há registos desoladores do seu uso contra a humanidade”. Mais tarde, numa entrevista ao canal de televisão americana NBC, afirmou que as políticas de Bush para o Médio Oriente estão “a conduzir o mundo para a guerra”.

Tradução de Ana Teresa Pinto Sousa