Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Brasil: Governo incentiva portadores de HIV a terem gravidez planeada

Documento do Ministério da Saúde brasileiro aponta estratégias para reduzir o risco de transmissão do HIV aos portadores do vírus que queiram ter filhos sem recurso a reprodução assistida.

Maria Luiza Rolim (www.expresso.pt)

Planear a gravidez na melhor fase clínica do tratamento da sida pode reduzir drasticamente os riscos de transmissão da infecção, diz um guia que está a ser preparado pelo Ministério da Saúde do Brasil. O documento visa orientar os portadores do vírus HIV interessados em ter filhos através de relações sexuais sem protecção.

O Governo brasileiro justifica a iniciativa, afirmando que a maioria dos seropositivos não tem acesso aos caros tratamentos de reprodução medicamente assistida recomendados pela Organização Mundial de Saúde para esses casos. De modo que é necessário orientar as pessoas sobre formas seguras de engravidar.

De acordo com o Ministério da Saúde brasileiro, só em 2008 cerca de 3000 mulheres seropositivas engravidaram.

Condições específicas 

O documento aponta estratégias para se reduzir o risco de transmissão. Segundo Andrea Rossi, consultora técnica do Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis/Aids e Hepatites Virais, quanto mais o casal planear a gravidez menores são os riscos de transmitir a doença ao parceiro não infectado.  

Para começar, convém ao portador do vírus HIV estar na melhor fase clínica do tratamento. Ou seja, com a carga viral indetectável e elevada quantidade de células de defesa. Outra condição é não ter doenças crónicas associadas à sida nem infecções ou outras doenças sexualmente transmissíveis. Importante, também, é planear a relação para a data exacta do período fértil da mulher.

Por fim, o documento recomenda que após a relação sem preservativo o parceiro sem HIV tome os anti-retrovirais como prevenção.  

Brasil incentiva sexo com preservativo

Recorde-se que o Brasil é o maior incentivador do uso de preservativos, distribuindo-os livermente e em larga escala durante festas populares como o Carnaval.

São frequentes as campanhas no país pelo uso do preservativo como prevenção da sida e outras doenças sexualmente transmissíveis. Na homepage do Ministério da Saúde do Brasil, que ensina a usar correctamente o preservativo, lê-se: "Camisinha. Com amor, paixão ou só sexo mesmo. Use sempre".