Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Bovinos irlandeses não serão retirados do mercado

Análises de organismo europeu comprovam que a carne de vaca da irlanda é segura. E por isso não deve ser retirada do mercado nacional e estrangeiro.

Não haverá recolha dos bovinos irlandeses, ao contrário do que aconteceu com a carne de porco. As mais de 30 amostras analisadas pelos cientistas da European Food Safety Authority (EFSA) aos bovinos que se suspeitava estarem contaminados, deram resultado negativo.

Os dados ainda não são oficiais, mas o Expresso sabe de fontes institucionais que os níveis de dioxinas detectados nos animais de explorações irlandesas "não chegam a ultrapassar os limites" impostos pelas normas de controlo de qualidade da União Europeia.

Por isso, não serão retirados do mercado interno e estrangeiro.

Recorde-se que ontem o ministro da Agricultura irlandês declarou que os bovinos que tinham sido alimentados com as mesmas rações que os porcos contaminados com dioxinas, também estariam contaminados, embora os riscos para a saúde pública fossem mínimos.

Das onze explorações com animais analisados, três delas teriam animais com PCB's (policlorestos bifenilos) superiores ao recomendado.

O ministro da Agricultura de Portugal, Jaime Silva, já tinha afirmado durante o dia de hoje, que a carne de vaca irlandesa com suspeitas de dioxinas não tinha sido exportada para Portugal, ao contrário do que aconteceu com a carne de porco.

Entretanto, a EFSA anunciou esta tarde não existirem efeitos secundários no consumo da carne de porco contaminada com dioxinas.