Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Bombeiros distribuem água à população

Os bombeiros de Porto de Mós estão a assegurar o fornecimento de água potável em três pontos do concelho devido à contaminação na rede pública.

Os bombeiros de Porto de Mós instalaram cisternas com água potável em três pontos do concelho para compensar o condicionamento da rede pública, contaminada por poluição.

De acordo o presidente da Câmara local, esta foi a solução encontrada para "minimizar os efeitos" junto da população, que é recomendada a não usar água para consumo humano.

As cisternas, que são procuradas pelos munícipes com garrafões vazios, estão colocadas nas localidades de Cruz da Légua, Calvaria e Porto de Mós, perto de lares de idosos, instituições que a Protecção Civil considera estarem mais em risco.

Desde a noite de sexta-feira que as autoridades recomendam à população para não consumir água da rede pública depois de se terem verificados níveis de amónia e nitratos acima do permitido por lei.

Para a delegada de saúde, Noémia Gonçalves, os dados indicam que a "situação está resolvida" já que o depósito contaminado foi esvaziado mas "só depois das análises feitas na segunda-feira à noite" é que o fornecimento poderá ser assegurado sem restrições.

"Pensamos que a causa da poluição orgânica é desse furo e desconfiamos que é de uma suinicultura" que poderá "ter contaminado" o lençol freático no subsolo, explicou.

"Mas de facto, a certeza absoluta que está tudo bem não temos" pelo que, "para que não haja qualquer risco" as autoridades mantêm as restrições até que as novas análises estejam feitas.

Segundo a autarquia, este condicionamento afecta perto de 10 mil munícipes e para reforçar a rede foram feitos transferências de outros furos bem como do vizinho concelho da Batalha.

A GNR já foi à exploração pecuária suspeita e e autuou o empresário que possui naquela exploração cerca de 200 porcas criadoras.

Os cursos de água daquela zona estão ligados ao lençol que abastece um dos principais pontos de captação do concelho, pelo que a descarga acabou por ter consequências muito mais graves.

  • As autoridades contam com a reposição dos valores normais da água da rede pública de Porto de Mós na terça-feira, depois de ter sido contaminada com fossas de suinicultura.

  • Fossas de suinicultura contaminaram a água da rede pública em Porto de Mós, tendo sido detectados valores acima do permitido em amónio e nitratos. O alerta foi dado pela autarquia.