Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Bin Laden faz 50 anos

De milionário saudita a aprendiz de terrorista formado pela CIA, Osama bin Laden é actualmente a imagem do ódio aos Estados Unidos. Se estiver vivo alcança hoje a respeitável idade de 50 primaveras.

Nascido a 10 de Março de 1957, aquele que é o terrorista mais procurado de sempre chega hoje aos 50 anos de vida.

Actualmente pouco se sabe de Osama bin Laden, embora o seu longo silêncio ajude a alimentar as muitas especulações que o dão como morto, prontamente desmentidas pelos seus seguidores mais próximos. Mullah Hayatullah Khan, porta-voz taliban, em declarações à agência Reuters confirmou exactamente isso, “ele está vivo. Estou 100 por cento certo”.

Khan assegurou também que altas instâncias taliban permanecem em contacto com bin Laden.

O porta-voz disse ainda que nos vários campos de treino, espalhados pelo Afeganistão, foram prestadas, sob a forma de orações, as devidas homenagens ao aniversariante.

As autoridades de Washington temem que este prolongado silêncio – com a última filmagem fidedigna a remontar a 2004 – possa indicar que bin Laden está realmente morto, o que poderá levar a novas preocupações. A al-Qaeda pode estar a usar o silêncio para reconstruir os seus alicerces no Paquistão, e, a partir daí forjar ligações a células na Europa, Norte de África e Médio Oriente.

Bom a matemática e pacifista

Osama bin Laden nasceu há precisamente meio século na Arábia Saudita. Filho de um empresário com uma fortuna colossal, Osama já tinha, aos 14 anos, uma conta bancária com um saldo de 230 milhões de euros.

Hassan Ibrahim, amigo de infância do saudita, recorda-se bem dos tempos da juventude, “era muito bom a matemática e um óptimo jogador de futebol”, lembra o amigo, “era também religioso e pacifista”, reforça Ibrahim num cenário mais difícil de imaginar.

Da carreira deste antigo pacifista, consta uma formação dada pela CIA nos idos de 1980 para que ele e outros mujahedin expulsassem de terras afegãs o “opressor soviético”, e claro, os ataques terroristas em larga escala.

O saudita é suspeito de ter ordenado, em 1998, os ataques às embaixadas americanas na Tanzânia e no Quénia, onde mais de 200 pessoas perderam a vida. Três anos depois foi a vez do maior ataque terrorista da história.

Agilidade felina

A 11 de Setembro de 2001 bin Laden tornou-se também suspeito de ter ordenado os ataques ao World Trade Center e Washington. O total de vítimas mortais rondou as 3000 pessoas e um trauma que a América dificilmente esquecerá. Neste momento a recompensa que os antigos patrões de Osama bin Laden oferecem pela sua captura cifra-se nos 20 milhões de euros.

Um dos poucos ocidentais que privou com Osama bin Laden, foi o jornalista inglês Robert Fisk, que não esconde alguma admiração pelo saudita, “ele é provavelmente o único árabe que conheci que não diz a primeira coisa que lhe vêm à cabeça”, recorda Frisk com a fleuma característica dos britânicos.

Embora algumas das imagens mais recentes de bin Laden o apresentem como um homem envelhecido, o jornalista inglês acredita que o saudita está vivo.”Há sempre uma história em que ele está a morrer de cancro ou que os rins deixaram de funcionar. Pois eu estou certo que Osama está vivo e não acredito que esteja com nenhuma doença terminal”, Frisk aproveitou ainda para destacar a magreza e a agilidade de bin Laden referindo que se movia “como um gato”.

Há mais de meia década que milhares de soldados dos exércitos mais poderosos do mundo o procuram por todo o Afeganistão, sem qualquer resultado prático. Talvez o milionário saudita tenha mais em comum com os gatos do que apenas a agilidade.