Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Benfica recebido na Câmara sem 'Porto de Honra' (vídeo)

A saudação da Câmara ao Benfica foi presenciada por milhares de adeptos do clube

João Relvas/Lusa

Foi com uma 'Ginja de Honra' que a autarquia lisboeta brindou aos novos campeões nacionais de futebol. Mais um banho de multidão, com a Praça do Município cheia e Vieira a reivindicar a dimensão nacional do clube. (Veja vídeo no final do texto)

Paulo Paixão (www.expresso.pt)

Vinte e quatro horas após ter ganho no relvado o título nacional, os futebolistas do Benfica voltaram a ser vitoriados pelos adeptos, que festejaram novamente a conquista da taça, agora exibida da varanda da Câmara Municipal.

A autarquia da capital homenageou na tarde de hoje, segunda-feira, atletas e dirigentes do clube, "uma das bandeiras da cidade", como lhe chamou António Costa. O Presidente da Câmara falou mesmo do Benfica como um dos "elementos essenciais da identidade" de Lisboa.

Luís Filipe Vieira agradeceu o "gesto de quem sabe honrar os méritos das instituições da cidade", mas disse em resposta que "o título conquistado não é de Lisboa, é de Portugal". "O Benfica nasceu em Lisboa, mas nunca se fechou na cidade. Nunca dividimos o país, isso seria ir contra a nossa história. Somos do Norte e do Sul, de todos os locais onde existem benfiquistas", acrescentou o presidente do Benfica.

Vieira dedicou ainda o título "a todos os sócios e simpatizantes do clube existentes no Mundo".

Os adeptos assistiram aos discursos proferidos no Salão Nobre através de um ecrã gigante colocado na fachada do edifício

Os adeptos assistiram aos discursos proferidos no Salão Nobre através de um ecrã gigante colocado na fachada do edifício

Manuel de Almeida/Lusa

Entusiasmo para todos

A saudação da Câmara ao Benfica foi presenciada por milhares de adeptos do clube, que prolongaram na Praça do Município o ambiente que ontem desceu às ruas da capital (e de outros pontos do país e do mundo).

Havia sobretudo jovens, mas também pessoas de outras idades. Como já vem sendo hábito, reflexo de um plantel multinacional, lá estavam, bem visíveis na primeira linha, bandeiras do Brasil e de Espanha.

Bastantes adeptos aguardaram muito mais do que uma hora pela chegada da comitiva encarnada. Assistiram aos discursos proferidos no Salão Nobre através de um ecrã gigante colocado na fachada do edifício. Antes, o tempo de espera fora passado a rever os golos marcados ao longo da época e a festa da madrugada de domingo.

O entusiasmo entrou mesmo no campo institucional. Os vereadores José Sá Fernandes, Manuel Brito e Fernando Nunes da Silva exibiam orgulhosamente um cachecol do Benfica, com mensagem já alusiva à mais recente conquista. O próprio António Costa acedeu a envergar o cachecol durante a foto de família, nas escadarias da Câmara, sempre sob a égide da águia Vitória.

Troca de prendas

Na sessão houve entrega de presentes. A Câmara ofereceu ao clube uma vistosa caravela. Uma peça, como salientou Costa, feita pelos trabalhadores do município, a partir de restos de peças de automóvel.

Individualmente, aos jogadores (só o capitão Nuno Gomes foi obsequiado no local, fazendo posteriormente a distribuição aos colegas) foi entregue um Santo António.

Luis Filipe Vieira entregou a António Costa - cuja condição de benfiquista mencionou - uma camisola do clube com o número 10.

A recepção prosseguiu com uma Ginja de Honra. Uma escolha e uma formulação pragmáticas da Câmara lisboeta. Com efeito, assim se driblou o que seria um inconveniente protocolar: homenagear os campeões com um Porto de Honra.

Para muitos benfiquistas seria, certamente, um amargo de boca.