Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Belenenses indignado com artigo do jornal "Público" sobre festival Super Rock

Misturar futebol com festivais de música pode não dar bom resultado. Uma crítica do jornal "Público" aos concertos do Super Bock Super Rock em Lisboa, onde se fala do pouco público presente nos jogos do Belenenses, enfureceu os dirigentes e adeptos 'azuis'. O jornal já pediu desculpa ao clube.

Pedro Miguel Neves

Um texto publicado no jornal "Público", com a crítica aos concertos do festival Super Bock Super Rock (SBSR) no estádio do Restelo, criou uma polémica entre o Belenenses, os organizadores do SBSR e o referido diário.

O clube emitiu um comunicado, na segunda-feira, chamando "manso" ao cronista, depois de este ter dito que "o povo esteve manso [durante os concertos]", enquanto o jornal, no editorial de ontem, pediu desculpa ao clube do Restelo.

O Belenenses divulgou a carta enviada para o director do jornal "Público", através do seu site oficial, manifestando "a sua profunda indignação". Segundo o clube lisboeta, o artigo em causa - com o título "Festival sem festa" -, "vem carregado de ofensas a todos os que sentem 'Os Belenenses' como um clube com tradições no panorama desportivo português".

Frases como: "toda a gente que segue futebol com um mínimo de regularidade conhece a constante nudez quinzenal do Estádio do Restelo. O Belenenses joga e há duas dezenas de velhinhos nas bancadas, nem uma palha bule, é um sossego", ou "foi a festa possível e foi escassa como os fins de tarde futebolísticos no Restelo costumam ser", irritaram profundamente a direcção do clube da Cruz de Cristo e os seus associados, tal como os comentários ao artigo online deixam facilmente perceber.

A carta não poupa o autor da crónica, intitulando-o de "cobarde" e "manso". "De uma coisa estamos certos: ao escrever como escreveu, ofendendo quem foi ao festival e os que se deslocam ao estádio, sem os enfrentar, João Bonifácio não foi corajoso (bravo, portanto), antes refugiou-se na liberdade que o senhor, enquanto director do Público lhe dá para escrever. Foi por isso, cobarde. Manso", lê-se no texto da missiva.

As bandas que actuaram no dia 18 de Julho, The Walkmen, Brandi Carlile, Mando Diao, Duffy e The Killers também não foram poupadas pelo cronista.

O Expresso contactou João Bonifácio, que não se manifestou disponível para fazer comentários sobre esta polémica.

No editorial de ontem, Nuno Pacheco fez um pedido de desculpas em nome do jornal. "(...) o Belenenses, pela sua história, actividade e prestígio, merece um público e sincero pedido de desculpas", pode ler-se no texto.

Programa radiofónico suspenso

Entretanto, o programa do "Ípsilon" - caderno do jornal "Público" onde foi publicado o referido artigo - na rádio Oxigénio, foi suspenso. A estação de rádio pertence a Luís Montez, que também é sócio da 'Música no Coração', organizadora do SBSR.

Será pura coincidência? Luís Montez garante ao Expresso que a suspensão do programa já estava "prevista". "Não teve nada a ver com as críticas ao festival. Este espaço de divulgação do 'Ípsilon' existe há algum tempo, mas com a grelha de Verão estamos a substituir alguns programas de 'conversa' por música. Vai retomar em Setembro", afirma.

O responsável pela Oxigénio refere ainda que existe outro jornalista do "Público" com um programa na rádio, que "não foi cancelado".

"Continuo a ter negócios com o 'Público', compro lá publicidade [de promoção a concertos e festivais organizados pela 'Música no Coração'], e já estou habituado a ler críticas negativas a concertos. Não era agora por causa deste texto que ia mudar a minha atitude para com o jornal", assegura Luís Montez, enquanto sócio da 'Música no Coração'.