Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Banguecoque em estado de emergência

Dez tanques bloquearam as ruas da capital. O primeiro-ministro tailandês já declarou estado de emergência.

O primeiro-ministro tailandês, Thaksin Shinawatra declarou estado de emergência no país, após dez tanques de guerra terem sido vistos a rondar a sede do governo.

"Eu declaro Banguecoque sob severo estado de emergência", anunciou o primeiro-ministro, que está em Nova Iorque a participar na Assembleia Geral da ONU. Thaksin ordenou ainda às autoridades que não executem "operações ilegais". Pouco antes destas declarações, a televisão administrada pelo Exército tinha suspendido a sua programação normal e passou a tocar hinos patrióticos, mostrando imagens do rei.

O último golpe militar na Tailândia foi há 15 anos, mas mesmo assim predominam rumores sobre uma intervenção militar. Oficiais do governo tailandês revelaram que Thaksin está no meio de uma crise política, fomentada por uma campanha deflagrada na rua contra ele, e que o primeiro-ministro já planeava regressarao país um dia antes do programado.

A situação política na Tailândia é bastante complicada desde o início do ano, quando começou uma “campanha” contra o primeiro-ministro. Manifestações quase diárias exigiam a sua demissão por alegada corrupção e abuso de poder.

Nos finais de Fevereiro, Thanksin Shinawatra decidiu dissolver o Parlamento e convocou eleições antecipadas, para Abril. Os três partidos da oposição decidiram boicotar os comícios e não apresentar candidatura, o que levou ao triunfo de Shinawatra. A vitória viria a durar pouco tempo, uma vez que apenas dois meses depois o Conselho Judicial invalidou as eleições, considerando-as “inconstitucionais”.

As novas eleições parlamentares estavam previstas para 15 de Outubro. No entanto, nos últimos dias especulou-se que seriam novamente adiadas para Novembro.