Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Atentado falhado em Nova Iorque

Imagem recolhida de uma câmara de vigilância do trânsito em Nova Iorque mostra o Nissan Pathfinder (à direita, em andamento) que viria mais tarde a ser encontrado com explosivos no seu interior

New York Police Department/Reuters

Polícia desmente que talibãs tenham preparado o ataque de sábado e procura um homem branco, com 40 anos, residente na Pensilvânia, alegadamente dono do veículo armadilhado estacionado no centro de Nova Iorque.

Ricardo Lourenço, correspondente nos EUA (www.expresso.pt)

Lance Orton vende t-shirts na baixa de Manhattan, em Nova Iorque.  No sábado à noite (madrugada de domingo em Lisboa), este veterano do Vietname foi promovido a herói local, depois de ter alertado a polícia de que havia um carro armadilhado pronto a explodir, precisamente no cruzamento entre a rua 43 e a Broadway.

O local não podia ser mais simbólico. "É o cruzamento do mundo", disse ontem Michael Bloomberg, o autarca da cidade.

Raymond Kelly, chefe da polícia de Nova Iorque (NYPD), desmentiu que os talibã (que ontem se apressaram a reivindicar a tentativa de atentado) tenham planeado o ataque. "O registo da matrícula do automóvel, um jipe Nissan Pathfinder, é oriundo do estado da Pensilvânia. O veículo pertence a um homem branco com idade próxima dos 40 anos. Ainda não podemos revelar o seu nome".

Polícia de parabéns

O congressista republicano Peter Kelly, eleito pelo estado de Nova Iorque, parecia pouco surpreendido: "Sabemos, há muito tempo, que um ataque à cidade virá da periferia e que poderá incluir armas de destruição massiva".

Kelly apressou-se a dar os parabéns às autoridades, por terem detectado o veículo suspeito em "tempo recorde".

Ontem à noite, Orton, o vendedor de t-shirts, apelava aos colegas comerciantes para que contribuíssem para a segurança da cidade de Nova Iorque: "Se virem algo suspeito, avisem imediatamente a polícia".