Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Associação Comercial de Lisboa chocada com o Governo

Em causa está a falta de carta de condução. O Presidente  da ACL acusa o executivo de "incompetente" por não ter prevenido esta situação.

O presidente da Associação Comercial de Lisboa (ACL), Bruno Bobone, protestou junto dos ministros da Economia e dos Negócios Estrangeiros, por causa da polémica das cartas de condução portuguesas que estão a ser apreendidas pelas autoridades angolanas.

Bobone escreveu uma carta a estes responsáveis governamentais manifestando a sua "enorme preocupação" com "o clima de enorme pressão que está a ser criado junto dos colaboradores e responsáveis de empresas portuguesas estabelecidos em Angola, que se vêm na contingência de serem constantemente controlados em todos os seus movimentos, naquele país, arriscando a sua detenção, a apreensão dos seus veículos e ainda a aplicação de uma pena de prisão".

Vários associados da ACL a trabalhar em Angola pediram apoio a esta entidade. Em declarações ao Expresso Online Bruno Bobone responsabiliza o Governo pela situação que classifica de "dramática": "o Estado tinha a obrigação de ter previsto esta situação e tratado dos acordos de reciprocidade atempadamente, como fez, por exemplo, o Brasil".

O presidente da Associação Comercial não entende "como é que um Governo que defende publicamente a importância estratégica das relações com Angola" e diz que "o mercado deste país é muito especial para nós, deixa os seus cidadãos em risco de serem presos". "O que isto vem provar", assinala, é que "o Governo português é incompetente na defesa dos seus interesses estratégicos".

Leia mais sábado, na edição do Expresso na banca