Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

As mil e uma noites do Boom Festival

Roupas extravagantes e «exageros de consumo» constrastam com a harmonia geral dos boomers, numa noite marcada por 19 horas seguidas de trance.

«A noite aqui tem muito power!». A opinião é comum a todos os boomers que, a partir das 22 horas de sábado, transformaram a zona do Dance Floor numa catedral do trance. A sessão de live acts prolongou-se até às 17 horas de Domingo e, mesmo sob um sol abrasador, o público não arredou pé.

Nem mesmo as drogas, vendidas e consumidas abertamente com grande descontracção, alteraram a sintonia pacífica dos espectadores vindos dos quatros cantos do mundo. Divididos entre três zonas distintas de dança, os boomers encontraram pela noite fora música para todos os gostos. Os mais cansados relaxaram com os sons da tenda Chill Out, num ambiente de verdadeira meditação. Já os mais curiosos experimentaram os sons acústicos da zona Sacred Fire, onde descobriram uma das novidades desta edição, a música tribal. No entanto, a rainha da noite foi mesmo a área do Dance Floor. Com DJs ao vivo, os amantes do trance desfrutaram de uma dose extra de dança, que se prolongou incessantemente durante 19 horas, com o alemão Sebastian Hrueger a terminar.   

Com roupas de guerreiros da idade média, asas de anjo, fatos de dragão ou, por exemplo, orelhas pontiagudas ao género do Dr. Spok, é a originalidade que também lidera as várias tribos que se podem encontrar no Boom. O famoso lema «todos diferentes, todos iguais» adequa-se ao espírito do festival, onde o respeito mútuo é regra: cada um veste-se como quer, dança como lhe apetece e consome o que tiver vontade, sem qualquer tipo de comentário depreciativo por parte dos outros festivaleiros.

De um dia para o outro, novas construções iluminadas surgem no recinto, como se se tratasse de uma renovação visual do espaço. Projecções multimédia, espectáculos de fogo e malabaristas em andas ajudam à animação nocturna. Muita música, harmonia e dose extra de exageros permitidos, são assim as noites loucas do Boom Festival 2006.