Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Argentina quer retomar negociações sobre Malvinas

Cristina Kirchner, presidente da Argentina, declarou hoje na cimeira UE-América Latina e Caraíbas que quer retomar negociações com o governo birtânico sobre a soberania das Malvinas.

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, aproveitou hoje o arranque da cimeira UE-América Latina e Caraíbas para pedir ao novo governo britânico que retome as negociações sobre a soberania das Malvinas.

"Somos um país de paz, não podemos carregar com o que sucedeu na ditadura militar que nada teve que ver com a idiossincrasia argentina", disse, dirigindo-se diretamente ao novo primeiro ministro britânico, David Cameron.

Insistindo que a Argentina se coloca neste tema "no lugar das vítimas", a chefe de Estado recordou as decisões das Nações Unidas sobre as Malvinas e recordou que todos os países "estão sujeitos às resoluções da ONU".

"Não pode haver dois pesos e duas medidas", disse, retomando assim uma reivindicação antiga da Argentina e repetida em todos os fóruns multilaterais.

Reino Unido e União Europeia juntos sobre Malvinas

Em resposta às declarações da presidente argentina, o novo secretário de Estado do Reino Unido para a América Latina, Jeremy Browne, afirmou que não haverá qualquer negociação, a menos que os habitantes das ilhas assim o decidam.

"Não temos nenhuma dúvida sobre a soberania das Ilhas Falkland", disse, usando o nome britânico das Malvinas, e afirmando que "o princípio da autodeterminação está estabelecido na Carta das Nações Unidas".

Browne, que está em Madrid para a cimeira UE-América Latina e Caraíbas, referiu-se ainda ao Tratado de Lisboa que "claramente reafirma a posição da UE relativamente às ilhas Falkland" o que significa que o Reino Unido não está "isolado" na sua posição.

"O assunto das Ilhas Falklands é um assunto de autodeterminação e corresponde aos habitantes das ilhas decidi-lo", afirmou.

Ainda assim, Browne insistiu que o problema das Malvinas não perturbará o relacionamento entre os dois países que é "estreito e produtivo em todos os demais aspetos, tanto económicos como no G20, no que toca às alterações climáticas, desenvolvimento sustentável e não-proliferação nuclear".

Quase dois séculos de disputa

A Argentina e o Reino Unido mantêm uma disputa sobre as Maldivas desde 1833, que se agudizou depois de tropas argentinas terem invadido as ilhas em abril de 1982.

A invasão provocou um conflito que terminou em junho com a rendição argentina. Cerca de um milhar de soldados dos dois países morreram.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.