Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Análise da extradição de Vale e Azevedo foi novamente adiada

Foi hoje novamente adiada a análise pelo Tribunal Superior de Justiça de Londres do recurso de Vale e Azevedo contra o pedido de extradição feito pela Justiça portuguesa.

A audiência do processo de extradição de João Vale e Azevedo prevista para hoje no Tribunal Superior de Justiça de Londres foi retirada da lista de sessões marcadas para esta manhã, no último momento, e adiada para novembro.

Segundo fonte judicial, o juiz que tem o processo terá aceite um requerimento da defesa do ex-presidente do Benfica e adiou a audiência para 21 de novembro.

A audiência que estava marcada para hoje foi já adiada várias vezes: era a sétima para apreciação do recurso da extradição de Vale e Azevedo, para que o advogado, a residir em Londres sob termo de identidade e com o passaporte retido, seja extradidato para Portugal para cumprir pena no processo Dantas da Cunha.

Pelos crimes de falsificação e burla qualificada, Vale e Azevedo foi condenado a uma pena de sete anos e seis meses de prisão efetiva, no caso de venda de imóvel no Areeiro, em Lisboa.

Condenação em 2006

Os advogados de Vale e Azevedo apresentaram um recurso junto do Tribunal Superior de Justiça britânico a 3 de dezembro de 2008.

Vale e Azevedo foi condenado em 2006 a sete anos e meio de prisão no caso Dantas da Cunha, em 2007 a cinco anos de prisão no caso Ribafria e a seis anos de prisão em cúmulo jurídico nos casos Ovchinnikov e Euroárea.

A 25 de maio de 2009, a 4.ª Vara do Tribunal Criminal de Lisboa, no Campus da Justiça, fixou o cúmulo jurídico em 11 anos e meio de prisão, com o Ministério Público e o advogado de Dantas da Cunha, António Pragal Colaço, a recorrerem da decisão para o Supremo Tribunal de Justiça (STJ).

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.