Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Amigos de Lipari em risco de serem despedidos da Gebalis

“Quando eu cheguei era ridículo o número de pessoas da secção [do PSD] do vereador Lipari que tinham sido postas por ele na Gebalis.”

Ricardo Sá Fernandes fala numa rede de tráfico de influências que fez com que a Gebalis fosse inundada de boys do PSD…
Foi o que aconteceu, exactamente. Quando eu cheguei era ridículo o número de pessoas da secção [do PSD] do vereador Lipari que tinham sido postas por ele na Gebalis.

Mas isso mantém-se. Porquê?
Ficaram lá porque eu não vou perseguir essas pessoas. Não me peçam, com uma maioria do PSD, para ir pôr em ordem coisas que já tinham acontecido. O que eu disse foi: quem é competente, fica, seja da secção do vereador Lipari ou não. Quem não é competente, não fica. A empresa fez um trabalho durante o ano 2006 para se reestruturar e ver se tinha pessoas a mais.

Vamos ver se percebi: apesar da Gebalis lhe ter parecido uma agência de emprego do PSD, a senhora decidiu dar o benefício da dúvida a essas pessoas para ver se eram competentes?
Tinha que dar. A minha percepção é que a empresa tinha gente a mais, mas eu não trabalho na base de percepções. Talvez até houvesse gente com qualificações desadequadas. Mas quis fazer antes uma reorganização dos serviços.

Deixou esse pelouro no final de 2006. Já tinha uma conclusão sobre se a Gebalis devia despedir algumas dessas pessoas?
Essa conclusão está lá, não sei se foi entregue ao vereador Lipari. Julgo que haveria reajustamentos a fazer.

E haveria algumas pessoas de confiança política do vereador Lipari que eventualmente teriam que sair da Gebalis?
Acho que haveria pessoas que sairiam da Gebalis e poderia ser que algumas fossem da confiança de Sérgio Lipari. Mas não foi isso que nos norteou. Eu dei instruções rigorosas que não queria sangue nem perseguições.

Fala num processo feito para a atingir. Pretende avançar com algum processo judicial contra o vereador Sérgio Lipari?
Sim, sim. Agora vou esperar pelo resultado da auditoria interna, mas isto vai ter consequências. Eu durante toda a minha vida só recorri duas vezes aos tribunais, mas este vai.

Uma queixa com que base?
Na difamação enquanto vereadora. Pessoalmente não me atingem, porque as pessoas conhecem-me bem, é uma gargalhada pensar que eu ia para a Gebalis roubar alguma coisa. Imagine-se, depois de eu ter tomado conta de coisas tão ricas! O que está em causa é a minha idoneidade enquanto vereadora, enquanto titular de um cargo público para o qual fui eleita.