Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

América Central: Tempestade Agatha já fez 100 mortos

1oo mortos, mais de 80 desaparecidos e 112 mil sem casa em decorrência de deslizamentos de terra e inundações são o saldo da tempestade tropical que está a fustigar a América Central.

Maria Luiza Rolim (www.expresso.pt)

A tempestade tropical Agatha deixou ontem um rastro de destruição e morte na América Central. Pelo menos 100 pessoas morreram, outras 83 estão desaparecidas e 112 mil foram levadas para abrigos, a maioria na Guatemala.

O país está em estado de "emergência". Dezenas de municípios e aldeias estão sem comunicação em consequência de deslizamentos de terra que estão a obstruir as estradas. Onze dos 22 departamentos da Guatemala foram atingidos. A chuva abriu uma cratera gigantesca na cidade da Guatemala.

Agatha é a primeira tempestade tropical da temporada de furacões de 2010.

Perigo ainda não passou

A área atingida pela depressão tropical e por chuvas secundárias estende-se do sul do México até a Nicarágua. Apesar da tempestade estar a perder força gradualmente e de as chuvas terem diminuído de intensidade, o nível dos rios continua a subir e ainda estão a ser registados deslizamentos de terra.

De acordo com a Coordenação Nacional para a Redução de Desastres (Conred), "as condições continuam favoráveis à formação de nuvens carregada, pelo que prevê-se chuva forte para as próximas horas na maior parte do país".

A maior parte das vítimas morreu em deslizamentos de terra ou inundações que destruíram milhares de casas. Os sobreviventes perderam praticamente tudo, e o desespero toma conta dos que procuram recuperar alguma coisa nos escombros das casas.

O Presidente Alvaro Colom, que visitou algumas das áreas atingidas e ordenou a suspensão das aulas na Guatemala a partir de hoje, disse que o país vai continuar em estado de "emergência".

Também em El Salvador (nove mortos) a situação é dramática. O Presidente Maurício Funes advertiu que a situação no país é "crítica" e alertou que o risco de deslizamentos e inundações é ainda "muito alto".

Nas Honduras, onde o balanço é de dez mortos e milhares de desabrigados, o Presidente Maurício Funes decretou ontem "alerta vermelho" em todo o território.

85 milhões de dólares do Banco Mundial

O Governo guatemalteco espera receber ajuda de aeronaves norte-americanas da base militar de Palmerola (Honduras), bem com da Colômbia e do México na assistência aos desabrigados. O México já autorizou a Guatemala a utilizar o aeroporto da cidade fronteiriça de Tapachula (Sul).

Entretanto, o aeroporto internacional La Aurora, na cidade da Guatemala, permanecerá fechado nos próximos cinco dias devido à grande quantidade de cinzas da erupção do vulcão Pacaya que cobre a pista.

Para enfrentar a situação de emergência gerada pelos dois fenómenos (tempestade tropical Agatha e vulcão Pacaya), o Presidente guatemalteco vai assinar um contrato de empréstimo de 85 milhões de dólares com o Banco Mundial.