Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

África e América Latina lideram o desemprego jovem

Nos últimos dez anos, o número de jovens desempregados aumentou quase 15%. Só a União Europeia fugiu a esta realidade mundial.

Um pouco por todo o mundo o número de jovens trabalhadores desempregados aumentou entre 1995 e 2005. Os crescimentos mais dramáticos foram no Sudeste Asiático, na África Subsariana e na América Latina.

De acordo com o estudo "Tendências Mundiais de Emprego Juvenil", da OIT, o maior aumento foi de 85,5%, no Sudeste Asiático, passando de 5,2 milhões de jovens desempregados para 9,7 milhões. No Norte de África o desemprego juvenil cresceu mais de 4 milhões nos últimos dez anos e na América Latina subiu de 7,7 para 9,5 milhões.

Em ambos os casos, a razão deste crescimento esteve ligada a fases de crises económicas, que resultaram no aumento geral do desemprego mundial, principalmente no que diz respeito aos jovens trabalhadores. A única região que neste período viu um decréscimo desta realidade  foi a União Europeia.

A pobreza laboral dos jovens empregados também é alarmante, diz o mesmo relatório. O número de pessoas que recebem entre um a dois euros por dia de trabalho não pára de aumentar, com predomínio na África Subsariana. No Sul da Ásia, quatro em cada dez jovens continuam a viver em níveis de pobreza extrema, embora trabalhem.