Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

A polémica entre Malaca e a Academia

A actualização do Dicionário de Língua Portuguesa Contemporânea (originalmente prevista para cinco anos após a primeira edição)  fez estalar na imprensa um conflito entre Malaca Casteleiro e o presidente da Academia de Ciências de Lisboa.

Malaca Casteleiro diz que a actualização do Dicionário de Língua Portuguesa Contemporânea se encontra em curso e que deverá estar concluída dentro de cerca de um ano, optando por não tecer qualquer comentário sobre a polémica que estalou recentemente na imprensa sobre a questão.

 

Declarações que contradizem a notícia publicada pelo Diário de Notícias a 26 de Abril, segundo a qual a sua equipa do Instituto de Lexicologia e Lexicografia da Academia de Ciências de Lisboa se encontrava parada por falta de condições financeiras e em que Malaca Casteleiro afirmava que a manter-se essa situação, na melhor das hipóteses, só haveria novidades quanto à actualização do dicionário em 2008.

 

O artigo provocou uma forte reacção do presidente da Academia de Ciências de Lisboa que ao mesmo jornal declarou: «O prof. Malaca Casteleiro recebeu muito dinheiro da Academia, relativo a direitos de autor da primeira versão, com o objectivo de melhorar uma obra a que vários académicos conceituados de Coimbra apontaram lacunas. Mas em vez de concretizar esse objectivo, a sua equipa dedicou-se a outro dicionário, de cariz comercial, que nada tem a ver com os interesses da Academia».

 

No mesmo artigo, Malaca Casteleiro contra-argumentava que a polémica era motivada por o referido dicionário escolar ter sido entregue à Texto Editora e que «se fosse publicado pela Verbo (editora do dicionário da Academia), não haveria problema nenhum…».