Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

70% dos aposentados terão redução do poder de compra em 2008

"Mais de 69% dos aposentados da CGA sofrerão uma redução do seu poder de compra já que a subida da inflação em 2007 (2,4%) é superior ao aumento que vão ter na sua pensão", adianta o economista Eugénio Rosa.

Quase 70% dos aposentados da Função Pública terão uma redução do poder de compra em 2008, tendo em conta que as pensões aumentam entre 1,9 ou 1,7 por cento, abaixo do valor previsto da inflação.

Um estudo do economista Eugénio Rosa, a que a Lusa teve acesso, sustenta que cerca de 31% dos aposentados da Caixa Geral de Aposentações (CGA) vão ter aumentos de 1,9%.

Com este aumento estão abrangidos os aposentados que usufruem de uma pensão superior a 1,5 IAS (611 euros) e inferior a 3 IAS (1.222 euros).

Cerca de 28% dos aposentados da Função Pública vai ter uma actualização das pensões de 1,7%, tendo em conta que o valor das reformas se situa entre os 3 IAS (1.222 euros) e os 6 IAS (2.444 euros).

Os restantes 10%, com pensões superiores a 6 IAS (2.444 euros), não têm qualquer aumento das pensões.

Isto significa que "mais de 69% dos aposentados da CGA sofrerão uma redução do seu poder de compra já que a subida da inflação em 2007 (2,4%) é superior ao aumento que vão ter na sua pensão", adianta o economista Eugénio Rosa.

Por seu turno, cerca de 30% dos aposentados vão receber um aumento de 2,4%, em linha com a inflação prevista para o ano passado, pois o valor da sua pensão é inferior a 1,5 IAS (até 611 euros).

Entre 2007 e 2008, segundo Eugénio Rosa, a pensão média aumentará 1,4%, pois passa de 1.179 euros para 1.195 euros, o que traduz uma actualização de 16,36 euros.

Com base no Relatório e Contas de 2006 da CGA e num documento entregue pelo Governo aos sindicatos da Função Pública, o ex-deputado do PCP constata que 13,6% dos aposentados da CGA recebe uma pensão de 750 a 1.000 euros.

Segue-se com a segunda maior percentagem (10,2%) os aposentados que recebem entre 2.000 e 2.444 euros e os aposentados (10,1%) que usufruem de pensões entre 1.222 e 1.500 euros.

Quando comparado com as pensões do regime de Segurança Social, o economista conclui que mais de 38% dos aposentados da Função Pública terá um aumento inferior aos reformados do regime geral.

As pensões do regime geral da Segurança Social aumentam, a partir do dia 1 deste mês, 2,4% (pensões até 611,12 euros), 1,9% (acima de 611,12 euros e até 2.444,46 euros) e 1,65% (pensões acima de 2.444,46 euros).

As pensões superiores a 12 vezes o valor do IAS (4.888,92 euros) não são actualizadas.