20 de abril de 2014 às 22:48
Página Inicial  ⁄  Atualidade / Arquivo   ⁄  Winehouse morreu por excesso de álcool

Winehouse morreu por excesso de álcool

Investigação policial inglesa detetou que Amy Winehouse tinha uma taxa de alcoolemia suficiente para a fazer "deixar de respirar e entrar em coma".
Lusa
Winehouse morreu por excesso de álcool Stephen Schmidt/EPA

A causa da morte da cantora inglesa Amy Winehouse, a 23 de julho, terá sido uma taxa elevada de alcolémia no sangue, segundo uma investigação policial divulgada hoje em Londres.

Na abertura do inquérito oficial à morte de Amy Winehouse, a juíza Susann Greenway afirmou hoje que a morte da cantora foi "acidental" e que tinha sido registada uma taxa de alcolémia de 416 miligramas por litro de sangue, suficientes para "deixar de respirar e entrar em coma".

Várias testemunhas já tinham afirmado que Amy Winehouse esteve várias semanas sem beber álcool, mas no dia em que foi encontrada sem vida no apartamento em Londres, a polícia encontrou também três garrafas de vodka.

Só álcool e sem drogas


Em agosto, a família da cantora afirmou que as análises preliminares descartavam a presença de "substâncias ilegais" no organismo, apenas álcool.

A cantora morreu no dia 23 de julho, em casa, em Londres, aos 27 anos e, apesar de se ter especulado que teria sido de overdose - por causa dos recorrentes problemas com álcool e drogas -, as autoridades não chegaram na altura a uma conclusão em relação às causas da morte, remetendo um relatório completo para outubro.

Amy Winehouse deixou dois álbuns editados, "Frank" (2003) e "Back to Black" (2006), que voltaram rapidamente ao top de vendas do Reino Unido depois da sua morte.

Comentários 16 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Hummm...
Que conclusão tão estranha !
A Amy Winehouse com alcool no sangue ?! Não teria sido antes...sangue no alcool ?
who cares?
 
Re: who cares? Ver comentário
Re: Winehouse morreu por excesso de álcool
Ela era uma excelente artista, e pelas mais variadas razoes da vida dela refugiou-se nas drogas, mas para os habituais linchadores de serviço - que provavelmente nem conheciam o seu trabalho - o que interessa é o facto de ela ser uma drogada, como se o facto de se ser toxicodependente ser sinonimo de criminoso e não de alguém doente que necessita de ajuda.
Re: Winehouse morreu por excesso de álcool Ver comentário
Muito bem! Ver comentário
Re: Winehouse morreu por excesso de álcool Ver comentário
Um exemplo que não deve ser seguido...

Um exemplo que não deve ser seguido... Pobre criatura, deixou-se enredar pelas teias do vícios. Tentou, não conseguiu sair...

Que sirva de exemplo à juventudes e aos repectivos responsáveis.
correcção
416 mg/L = 0,416 g/L (nem sequer é crime!)

A notícia original faz mais sentido:

416 mg/ 100 mL = 4,16 g/L (> 3,5 g/L letal)
Re: correcção Ver comentário
Extraordinário!!!
3 meses para se descobrir uma coisa que um teste do balão acusa num espaço de segundos... E que qualquer análise sanguínea acusa no espaço de umas horas...
Para mim, é evidente que alguém quer escamotear a causa da morte desta senhora. Só não percebo porquê.. Drogada, bêbeda, que diferença faz?
Re: Extraordinário!!! Ver comentário
Re: Extraordinário!!! Ver comentário
Re: Extraordinário!!! Ver comentário
mas que raio interessa?
alcoolica ou drogadita faz alguma diferença? foi uma "overdose" de alcool afinal de contas... era uma junkie, ponto!
palavras para quê ?
qual é o problema dos velhosd catatónicos que escrevem aqui no expresso??

falta de sexo?

normal...90% deles já nem a próstata deve ter.

mas a mulher fez mal a alguem parta além dele própria e aos familiares diretos?

go fuck yourselfs

PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub