Siga-nos

Perfil

Expresso

Web Summit

“Noticias falsas estão a colocar em causa a democracia”

Ann Mettler, da Comissão Europeia, defendeu na Web Summit que tecnológicas como a Facebook e a Google têm responsabilidade na resolução do problema das noticias falsas (fake news)

João Ramos

João Ramos

Jornalista

Há um ano, quando decorria a Web Summit 2016, o mundo ficou em parte surpreendido com a eleição de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos. Agora existem provas concludentes que as notícias falsas (fake news) postas a circular nas redes sociais influenciaram os resultados das eleições americanas. Um ano depois de Trump ter sido eleito, o tema esteve em destaque no segundo dia da Web Summit 2017 no debate "Como ultrapassar a questão das noticias falsas".

“O tempo dos ingénuos já passou”, afirmou Ann Mettler, responsável pelo Centro de Estratégia política da Comissão Europeia, durante o debate. “As fake news veiculadas pelas redes sociais estão a colocar em causa as democracias. As empresas tecnológicas como a Facebook e a Google podem fazer melhor na resolução deste problema”, defendeu a mesma responsável da Comissão Europeia. Uma declaração que recebeu aplausos da audiência que quase enchia o Altice Arena.

Por sua vez, Joseph Khan, editor do The New York Times concorda que a eleição de Donald Trump beneficiou de noticias falsas colocadas a circular nas redes sociais". Além das motivações politicas diz que o problema das noticias flasas é mais vasto. Denuncia que “há também muitas noticias que são colocadas nas redes sociais para fins comerciais”, ou seja, para as empresas aumentarem as vendas de produtos e os seus lucros”. “As redes sociais foram criadas com base no principio da gratuitidade. Agregam o máximo de conteúdos que podem, mas esse modelo está ameaçado”, defendeu o editor do The New York Times.