Anterior
Rendimento Social de Inserção não será tributado em IRS
Seguinte
"Redução da TSU funciona muito bem mas é nos modelos da Universidade"
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Economia  >  Orçamento do Estado 2012  >   Vítor Gaspar garante que corte dos subsídios de férias e de Natal é "temporário"

Vítor Gaspar garante que corte dos subsídios de férias e de Natal é "temporário"

"Os subsídios fazem parte da remuneração dos funcionários públicos. Um corte nas remunerações só pode ser transitório", esclareceu o ministro. Contudo, Vítor Gaspar não garante que os subsídios sejam repostos em 2014. Clique para visitar o dossiê Orçamento do Estado 2012
Lusa |
Vítor Gaspar foi entrevistado pela RTP sobre o OE 2012
Vítor Gaspar foi entrevistado pela RTP sobre o OE 2012 / Armando França/AP

O corte dos subsídios de férias e de Natal dos funcionários públicos "só pode ser transitório", disse hoje em entrevista à RTP o ministro de Estado e das Finanças, Vítor Gaspar.

Clique para aceder ao índice do dossiê Orçamento do Estado 2012

"O corte é temporário, [existirá] durante a vigência do programa de ajustamento [negociado com a 'troika'], esse período acaba em 2013", disse o ministro das Finanças.

"Os subsídios fazem parte da remuneração dos funcionários públicos. Um corte nas remunerações só pode ser transitório", acrescentou Gaspar.

"Num contexto de crise, fazer promessas incondicionais não é adequado"


O ministro escusou-se contudo a garantir taxativamente que os subsídios serão repostos integralmente a partir de 2014: "Num contexto de crise, fazer promessas incondicionais não é adequado. Não sabemos com precisão o que nos espera." O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, anunciou na semana passada a eliminação dos subsídios de férias e de Natal para funcionários públicos e pensionistas que recebam mais de mil euros por mês.

A medida consta da proposta de Orçamento do Estado que o Governo apresentou hoje no Parlamento.



Clique na imagem para ler os artigos

Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 28 Comentar
ordenar por:
mais votados
Falar Verdade ao Povo:Palmas a Vitor Gaspar
O Ministro Vitor Gaspar está a falar Verdade aos Portugueses.Sendo um timbre tambem da Beira Alta, Vitor Gaspar sabe do ofício e da respomsabilidade onde está metido.A tarefa não é fácil,mas aí também está o desafio politico para quem hoje tem em mãos os destinos, o rumo e a história futura de Portugal.
Parabéns Vitor Gaspar!
Concordo em absoluto
A Inter e UGT.só defendem os ricos
Re: Falar Verdade ao Povo:Palmas a Vitor Gaspar
Sócrates fugiu:é um cobarde e um coveiro do PS
Mais ainda
Eu e o Correio da Manhã
Nas entrelinhas
Não é preciso ser bruxo ou vidente para deduzir que o que está a ser redefinido em Portugal é uma nova engenharia económica-social, da qual não fazem parte os subsídios de férias e Natal. À semelhança aliás do que sucede na maioria dos países europeus em que as pessoas ganham 12 salários. Tantos quanto os meses do ano.
O problema é que as pessoas em Portugal arquitectaram as suas vidas a contar com esses balõezinhos de oxigénio e até reajustarem os seus níveis de vida e padrões de consumo, vai demorar e...doer.
Já há muito tempo que entendo que deveria ocorrer uma correcção de muita coisa em Portugal. Era inevitável. E com o rumo que o País tomou, especialmente nos últimos 5 anos, mais premente se tornou essa correcção. Agora, muito sinceramente, nunca contei que fosse desta forma tão violenta. Isto é devastador e vai fazer muita mossa a imensa gente. Tenho mais receio de uma calamidade social do que propriamente de uma calamidade económica-financeira.
Não deixa de ser triste que o 25 de Abril só tivesse concedido às pessoas 2 coisas :

1 - Votar
2 - Pagar impostos.

É pouco. Miseravel e escandalosamente pouco.
Re: Nas entrelinhas
Re: Nas entrelinhas
Ilusão
Re: Nas entrelinhas
Re: Nas entrelinhas
Tudo é temporário

A última grande idade do gelo também não foi definitiva.

O sol também um dia se há-de extinguir.

Mas temporário , mesmo temporário , penso que é o Gaspar no Terreiro do Paço.
O edifício de Lisboa mais conforme ao Gaspar é o Júlio de Matos.
Aquilo foi uma entrevista?
Ora tivemos aqui a mãozinha do inefável Ministro Relvas. Que bem escolhido foi o entrevistador! Comparou um reformado do estado com uma pensão de €600 a um trabalhador do privado com um salário de €2000. Mas porque não comparou antes um casal de funcionários públicos, por exemplo professores, com um casal da privada, por exemplo bancários?
É que todos levam com o IVA, todos deixam de poder deduzir, todos levam com todas as penalizações, mas o primeiros, além de já terem parte do salário mensal confiscado, ficam sem 4 ordenados. Esta questão não foi colocada intencionalmente, pois não existe resposta séria para a mesma.
Não consegui ver a entrevista até ao fim, tão mal disposto fiquei com o "porta microfones" destacado para fazer as perguntas.
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Num país com gente honrada ...
Os sacrifícios impostos nos subsidios são um roubo. Não o seriam se entregassem títulos de divida pública a todos.

Demitam-se, se não sabem mais que isso !. Ao menos o Socrates demitiu-se, depois de os bancos lhe terem posto o ultimatum.
Há tanto onde cortar ! Haja imaginação e não obediência cega ao "cagaço" !
Porque não exigir que as grandes empresas e a banca, aquelas que acumulam milhões cá dentro para investirem lá fora e desviarem esses lucros para os paraísos ..., deixem de dar lucro durante cinco anos ? Porque não por a energia barata, em vez de a aumentar, para ajudar a economia ... a banca pode ajudar ou só sugar ?
Ou serão os descontos do trabalhador que querem ver fazer milagres ?
Coloquem-se numa rua de Lisboa e vejam que os autocarros de última geração até se "atropelam", fazem bicha " e, muitos vazios ! Para mostrar o quê ? Podemos poupar ? Podemos vender metade da frota ? Vejam as outras capitais europeias, poucas têm um metro ou carros como a nossa ? Estarão eles em austeridade ou somos nós que temos gestores faraónicos ? Gestores honrados , precisam-se ! O orçamento de base zero será o único capaz de travar estes "gajos" ! E estes devem ir a tribunal, não para pagarem com dinheiro, mas para que o povo saiba quem os roubou e os filhos deles não lhes sigam as pisadas. Moralização e governar pelo exemplo é o que poucos "querem" entender o que é .
Re: Num país com gente honrada ...
Tenho andado a pensar e concluí
Os empregados privados serão pagos com bilhetes do tesouro nos subsidios de Natal e Férias, acima do ordenado minimo.

Agora sim, estou mais aliviado.
porreiro
este mentiroso fala verdade em 2014 já não á funcionários públicos, vai ser tudo vendido a retalho.
tristes gentinha
não sei se sabem sabichões da esperteza saloia que somos uma aldeia de prédios altos que deste 1974 o ordenado minimo foi aumentado 88 euros eu nunca vi nem presenciei nem vivi bem nesta espelunca que vocês chamam de País.. e vocês gentinha cinzentoes que querem escravos vegetas indigentes vão todos aprender a pensar raciocinar.,da dó ver essa velhada demente e mente curta afunilada de papo cheio a mandar cagalhões por essas fossas bocais povo enegrume que só sabe ler a bola e ver muita novela pequem em armas vamo nos a eles e empalha los greves gerais de um dia....burros ou bestas..comigo sao quatro ou uma semana se querem guerra è guerra pura crua e nua a doe...e vêm esses meninos sapatinhos vela.,melhor dizendo uns nanos arrogantes da vaidade..li a ha uns anos atras numa revista Sábado è o que leio..uma tal pessoa que ja pertenceu ao governo a dizer pra que que o pobre precisa de dinheiro.,para comprar mobílias de pinho..eles os pobres bebem zurrapa eu bebo cafe compro cavalos..digo vos essas famílias sao eles os culpados da nossa pobreza para eles é um circo riem se bajulam de nos .è trucida los liga a chave do porche e ja era ., vocês viam que essas besta de belmiros espiito amorins melos e a corja toda endireitava nao tenham do nem piedade. trabalhem o menos possível camará lenta docement gaquem para as horas extras entrar a horas sair a horas tenham um bom modo de vida pensem relaxem meditem .,com poder roubar o estado
Comentários 28 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub