Anterior
Rendimento Social de Inserção não será tributado em IRS
Seguinte
"Redução da TSU funciona muito bem mas é nos modelos da Universidade"
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Economia  >  Orçamento do Estado 2012  >  Vítor Gaspar garante que corte dos subsídios de férias e de Natal é "temporário"

Vítor Gaspar garante que corte dos subsídios de férias e de Natal é "temporário"

"Os subsídios fazem parte da remuneração dos funcionários públicos. Um corte nas remunerações só pode ser transitório", esclareceu o ministro. Contudo, Vítor Gaspar não garante que os subsídios sejam repostos em 2014. Clique para visitar o dossiê Orçamento do Estado 2012
Lusa |
Vítor Gaspar foi entrevistado pela RTP sobre o OE 2012
Vítor Gaspar foi entrevistado pela RTP sobre o OE 2012 / Armando França/AP

O corte dos subsídios de férias e de Natal dos funcionários públicos "só pode ser transitório", disse hoje em entrevista à RTP o ministro de Estado e das Finanças, Vítor Gaspar.

Clique para aceder ao índice do dossiê Orçamento do Estado 2012

"O corte é temporário, [existirá] durante a vigência do programa de ajustamento [negociado com a 'troika'], esse período acaba em 2013", disse o ministro das Finanças.

"Os subsídios fazem parte da remuneração dos funcionários públicos. Um corte nas remunerações só pode ser transitório", acrescentou Gaspar.

"Num contexto de crise, fazer promessas incondicionais não é adequado"


O ministro escusou-se contudo a garantir taxativamente que os subsídios serão repostos integralmente a partir de 2014: "Num contexto de crise, fazer promessas incondicionais não é adequado. Não sabemos com precisão o que nos espera." O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, anunciou na semana passada a eliminação dos subsídios de férias e de Natal para funcionários públicos e pensionistas que recebam mais de mil euros por mês.

A medida consta da proposta de Orçamento do Estado que o Governo apresentou hoje no Parlamento.



Clique na imagem para ler os artigos

Opinião


Multimédia

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Os assassínios, as execuções, as decapitações são as imagens mais chocantes de uma propaganda cada vez mais sofisticada. É a Jihad, que recruta guerrilheiros no ocidente para matar e morrer na Síria. O Expresso seguiu as pisadas de cinco jiadistas portugueses, mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados. E como lutam, como foram morrer - e como já haverá arrependidos com medo de fugir. Reportagem em Londres, no café onde viam jogos de futebol, na universidade onde estudavam e na mesquita onde rezavam. Autoridades e especialistas em terrorismo estão alerta sobre este pequeno mas perigoso grupo, onde corre sangue português - e de onde escorre sangue por Alá.

Vai um hamburguer de bacalhau com broa de milho?

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?


Comentários 28 Comentar
ordenar por:
mais votados
Falar Verdade ao Povo:Palmas a Vitor Gaspar
O Ministro Vitor Gaspar está a falar Verdade aos Portugueses.Sendo um timbre tambem da Beira Alta, Vitor Gaspar sabe do ofício e da respomsabilidade onde está metido.A tarefa não é fácil,mas aí também está o desafio politico para quem hoje tem em mãos os destinos, o rumo e a história futura de Portugal.
Parabéns Vitor Gaspar!
Concordo em absoluto
A Inter e UGT.só defendem os ricos
Re: Falar Verdade ao Povo:Palmas a Vitor Gaspar
Sócrates fugiu:é um cobarde e um coveiro do PS
Mais ainda
Eu e o Correio da Manhã
Nas entrelinhas
Não é preciso ser bruxo ou vidente para deduzir que o que está a ser redefinido em Portugal é uma nova engenharia económica-social, da qual não fazem parte os subsídios de férias e Natal. À semelhança aliás do que sucede na maioria dos países europeus em que as pessoas ganham 12 salários. Tantos quanto os meses do ano.
O problema é que as pessoas em Portugal arquitectaram as suas vidas a contar com esses balõezinhos de oxigénio e até reajustarem os seus níveis de vida e padrões de consumo, vai demorar e...doer.
Já há muito tempo que entendo que deveria ocorrer uma correcção de muita coisa em Portugal. Era inevitável. E com o rumo que o País tomou, especialmente nos últimos 5 anos, mais premente se tornou essa correcção. Agora, muito sinceramente, nunca contei que fosse desta forma tão violenta. Isto é devastador e vai fazer muita mossa a imensa gente. Tenho mais receio de uma calamidade social do que propriamente de uma calamidade económica-financeira.
Não deixa de ser triste que o 25 de Abril só tivesse concedido às pessoas 2 coisas :

1 - Votar
2 - Pagar impostos.

É pouco. Miseravel e escandalosamente pouco.
Re: Nas entrelinhas
Re: Nas entrelinhas
Ilusão
Re: Nas entrelinhas
Re: Nas entrelinhas
Tudo é temporário

A última grande idade do gelo também não foi definitiva.

O sol também um dia se há-de extinguir.

Mas temporário , mesmo temporário , penso que é o Gaspar no Terreiro do Paço.
O edifício de Lisboa mais conforme ao Gaspar é o Júlio de Matos.
Aquilo foi uma entrevista?
Ora tivemos aqui a mãozinha do inefável Ministro Relvas. Que bem escolhido foi o entrevistador! Comparou um reformado do estado com uma pensão de €600 a um trabalhador do privado com um salário de €2000. Mas porque não comparou antes um casal de funcionários públicos, por exemplo professores, com um casal da privada, por exemplo bancários?
É que todos levam com o IVA, todos deixam de poder deduzir, todos levam com todas as penalizações, mas o primeiros, além de já terem parte do salário mensal confiscado, ficam sem 4 ordenados. Esta questão não foi colocada intencionalmente, pois não existe resposta séria para a mesma.
Não consegui ver a entrevista até ao fim, tão mal disposto fiquei com o "porta microfones" destacado para fazer as perguntas.
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Num país com gente honrada ...
Os sacrifícios impostos nos subsidios são um roubo. Não o seriam se entregassem títulos de divida pública a todos.

Demitam-se, se não sabem mais que isso !. Ao menos o Socrates demitiu-se, depois de os bancos lhe terem posto o ultimatum.
Há tanto onde cortar ! Haja imaginação e não obediência cega ao "cagaço" !
Porque não exigir que as grandes empresas e a banca, aquelas que acumulam milhões cá dentro para investirem lá fora e desviarem esses lucros para os paraísos ..., deixem de dar lucro durante cinco anos ? Porque não por a energia barata, em vez de a aumentar, para ajudar a economia ... a banca pode ajudar ou só sugar ?
Ou serão os descontos do trabalhador que querem ver fazer milagres ?
Coloquem-se numa rua de Lisboa e vejam que os autocarros de última geração até se "atropelam", fazem bicha " e, muitos vazios ! Para mostrar o quê ? Podemos poupar ? Podemos vender metade da frota ? Vejam as outras capitais europeias, poucas têm um metro ou carros como a nossa ? Estarão eles em austeridade ou somos nós que temos gestores faraónicos ? Gestores honrados , precisam-se ! O orçamento de base zero será o único capaz de travar estes "gajos" ! E estes devem ir a tribunal, não para pagarem com dinheiro, mas para que o povo saiba quem os roubou e os filhos deles não lhes sigam as pisadas. Moralização e governar pelo exemplo é o que poucos "querem" entender o que é .
Re: Num país com gente honrada ...
Tenho andado a pensar e concluí
Os empregados privados serão pagos com bilhetes do tesouro nos subsidios de Natal e Férias, acima do ordenado minimo.

Agora sim, estou mais aliviado.
porreiro
este mentiroso fala verdade em 2014 já não á funcionários públicos, vai ser tudo vendido a retalho.
tristes gentinha
não sei se sabem sabichões da esperteza saloia que somos uma aldeia de prédios altos que deste 1974 o ordenado minimo foi aumentado 88 euros eu nunca vi nem presenciei nem vivi bem nesta espelunca que vocês chamam de País.. e vocês gentinha cinzentoes que querem escravos vegetas indigentes vão todos aprender a pensar raciocinar.,da dó ver essa velhada demente e mente curta afunilada de papo cheio a mandar cagalhões por essas fossas bocais povo enegrume que só sabe ler a bola e ver muita novela pequem em armas vamo nos a eles e empalha los greves gerais de um dia....burros ou bestas..comigo sao quatro ou uma semana se querem guerra è guerra pura crua e nua a doe...e vêm esses meninos sapatinhos vela.,melhor dizendo uns nanos arrogantes da vaidade..li a ha uns anos atras numa revista Sábado è o que leio..uma tal pessoa que ja pertenceu ao governo a dizer pra que que o pobre precisa de dinheiro.,para comprar mobílias de pinho..eles os pobres bebem zurrapa eu bebo cafe compro cavalos..digo vos essas famílias sao eles os culpados da nossa pobreza para eles é um circo riem se bajulam de nos .è trucida los liga a chave do porche e ja era ., vocês viam que essas besta de belmiros espiito amorins melos e a corja toda endireitava nao tenham do nem piedade. trabalhem o menos possível camará lenta docement gaquem para as horas extras entrar a horas sair a horas tenham um bom modo de vida pensem relaxem meditem .,com poder roubar o estado
Comentários 28 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub