Anterior
Rendimento Social de Inserção não será tributado em IRS
Seguinte
"Redução da TSU funciona muito bem mas é nos modelos da Universidade"
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Economia  >  Orçamento do Estado 2012  >   Vítor Gaspar garante que corte dos subsídios de férias e de Natal é "temporário"

Vítor Gaspar garante que corte dos subsídios de férias e de Natal é "temporário"

"Os subsídios fazem parte da remuneração dos funcionários públicos. Um corte nas remunerações só pode ser transitório", esclareceu o ministro. Contudo, Vítor Gaspar não garante que os subsídios sejam repostos em 2014. Clique para visitar o dossiê Orçamento do Estado 2012
Lusa |
Vítor Gaspar foi entrevistado pela RTP sobre o OE 2012
Vítor Gaspar foi entrevistado pela RTP sobre o OE 2012 / Armando França/AP

O corte dos subsídios de férias e de Natal dos funcionários públicos "só pode ser transitório", disse hoje em entrevista à RTP o ministro de Estado e das Finanças, Vítor Gaspar.

Clique para aceder ao índice do dossiê Orçamento do Estado 2012

"O corte é temporário, [existirá] durante a vigência do programa de ajustamento [negociado com a 'troika'], esse período acaba em 2013", disse o ministro das Finanças.

"Os subsídios fazem parte da remuneração dos funcionários públicos. Um corte nas remunerações só pode ser transitório", acrescentou Gaspar.

"Num contexto de crise, fazer promessas incondicionais não é adequado"


O ministro escusou-se contudo a garantir taxativamente que os subsídios serão repostos integralmente a partir de 2014: "Num contexto de crise, fazer promessas incondicionais não é adequado. Não sabemos com precisão o que nos espera." O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, anunciou na semana passada a eliminação dos subsídios de férias e de Natal para funcionários públicos e pensionistas que recebam mais de mil euros por mês.

A medida consta da proposta de Orçamento do Estado que o Governo apresentou hoje no Parlamento.



Clique na imagem para ler os artigos

Opinião


Multimédia

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.


Comentários 28 Comentar
ordenar por:
mais votados
Falar Verdade ao Povo:Palmas a Vitor Gaspar
O Ministro Vitor Gaspar está a falar Verdade aos Portugueses.Sendo um timbre tambem da Beira Alta, Vitor Gaspar sabe do ofício e da respomsabilidade onde está metido.A tarefa não é fácil,mas aí também está o desafio politico para quem hoje tem em mãos os destinos, o rumo e a história futura de Portugal.
Parabéns Vitor Gaspar!
Concordo em absoluto
A Inter e UGT.só defendem os ricos
Re: Falar Verdade ao Povo:Palmas a Vitor Gaspar
Sócrates fugiu:é um cobarde e um coveiro do PS
Mais ainda
Eu e o Correio da Manhã
Nas entrelinhas
Não é preciso ser bruxo ou vidente para deduzir que o que está a ser redefinido em Portugal é uma nova engenharia económica-social, da qual não fazem parte os subsídios de férias e Natal. À semelhança aliás do que sucede na maioria dos países europeus em que as pessoas ganham 12 salários. Tantos quanto os meses do ano.
O problema é que as pessoas em Portugal arquitectaram as suas vidas a contar com esses balõezinhos de oxigénio e até reajustarem os seus níveis de vida e padrões de consumo, vai demorar e...doer.
Já há muito tempo que entendo que deveria ocorrer uma correcção de muita coisa em Portugal. Era inevitável. E com o rumo que o País tomou, especialmente nos últimos 5 anos, mais premente se tornou essa correcção. Agora, muito sinceramente, nunca contei que fosse desta forma tão violenta. Isto é devastador e vai fazer muita mossa a imensa gente. Tenho mais receio de uma calamidade social do que propriamente de uma calamidade económica-financeira.
Não deixa de ser triste que o 25 de Abril só tivesse concedido às pessoas 2 coisas :

1 - Votar
2 - Pagar impostos.

É pouco. Miseravel e escandalosamente pouco.
Re: Nas entrelinhas
Re: Nas entrelinhas
Ilusão
Re: Nas entrelinhas
Re: Nas entrelinhas
Tudo é temporário

A última grande idade do gelo também não foi definitiva.

O sol também um dia se há-de extinguir.

Mas temporário , mesmo temporário , penso que é o Gaspar no Terreiro do Paço.
O edifício de Lisboa mais conforme ao Gaspar é o Júlio de Matos.
Aquilo foi uma entrevista?
Ora tivemos aqui a mãozinha do inefável Ministro Relvas. Que bem escolhido foi o entrevistador! Comparou um reformado do estado com uma pensão de €600 a um trabalhador do privado com um salário de €2000. Mas porque não comparou antes um casal de funcionários públicos, por exemplo professores, com um casal da privada, por exemplo bancários?
É que todos levam com o IVA, todos deixam de poder deduzir, todos levam com todas as penalizações, mas o primeiros, além de já terem parte do salário mensal confiscado, ficam sem 4 ordenados. Esta questão não foi colocada intencionalmente, pois não existe resposta séria para a mesma.
Não consegui ver a entrevista até ao fim, tão mal disposto fiquei com o "porta microfones" destacado para fazer as perguntas.
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Re: Aquilo foi uma entrevista?
Num país com gente honrada ...
Os sacrifícios impostos nos subsidios são um roubo. Não o seriam se entregassem títulos de divida pública a todos.

Demitam-se, se não sabem mais que isso !. Ao menos o Socrates demitiu-se, depois de os bancos lhe terem posto o ultimatum.
Há tanto onde cortar ! Haja imaginação e não obediência cega ao "cagaço" !
Porque não exigir que as grandes empresas e a banca, aquelas que acumulam milhões cá dentro para investirem lá fora e desviarem esses lucros para os paraísos ..., deixem de dar lucro durante cinco anos ? Porque não por a energia barata, em vez de a aumentar, para ajudar a economia ... a banca pode ajudar ou só sugar ?
Ou serão os descontos do trabalhador que querem ver fazer milagres ?
Coloquem-se numa rua de Lisboa e vejam que os autocarros de última geração até se "atropelam", fazem bicha " e, muitos vazios ! Para mostrar o quê ? Podemos poupar ? Podemos vender metade da frota ? Vejam as outras capitais europeias, poucas têm um metro ou carros como a nossa ? Estarão eles em austeridade ou somos nós que temos gestores faraónicos ? Gestores honrados , precisam-se ! O orçamento de base zero será o único capaz de travar estes "gajos" ! E estes devem ir a tribunal, não para pagarem com dinheiro, mas para que o povo saiba quem os roubou e os filhos deles não lhes sigam as pisadas. Moralização e governar pelo exemplo é o que poucos "querem" entender o que é .
Re: Num país com gente honrada ...
Tenho andado a pensar e concluí
Os empregados privados serão pagos com bilhetes do tesouro nos subsidios de Natal e Férias, acima do ordenado minimo.

Agora sim, estou mais aliviado.
porreiro
este mentiroso fala verdade em 2014 já não á funcionários públicos, vai ser tudo vendido a retalho.
tristes gentinha
não sei se sabem sabichões da esperteza saloia que somos uma aldeia de prédios altos que deste 1974 o ordenado minimo foi aumentado 88 euros eu nunca vi nem presenciei nem vivi bem nesta espelunca que vocês chamam de País.. e vocês gentinha cinzentoes que querem escravos vegetas indigentes vão todos aprender a pensar raciocinar.,da dó ver essa velhada demente e mente curta afunilada de papo cheio a mandar cagalhões por essas fossas bocais povo enegrume que só sabe ler a bola e ver muita novela pequem em armas vamo nos a eles e empalha los greves gerais de um dia....burros ou bestas..comigo sao quatro ou uma semana se querem guerra è guerra pura crua e nua a doe...e vêm esses meninos sapatinhos vela.,melhor dizendo uns nanos arrogantes da vaidade..li a ha uns anos atras numa revista Sábado è o que leio..uma tal pessoa que ja pertenceu ao governo a dizer pra que que o pobre precisa de dinheiro.,para comprar mobílias de pinho..eles os pobres bebem zurrapa eu bebo cafe compro cavalos..digo vos essas famílias sao eles os culpados da nossa pobreza para eles é um circo riem se bajulam de nos .è trucida los liga a chave do porche e ja era ., vocês viam que essas besta de belmiros espiito amorins melos e a corja toda endireitava nao tenham do nem piedade. trabalhem o menos possível camará lenta docement gaquem para as horas extras entrar a horas sair a horas tenham um bom modo de vida pensem relaxem meditem .,com poder roubar o estado
Comentários 28 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub