Anterior
Touro abatido ilegalmente em Monsaraz
Seguinte
Crise multiplica casos de veículos abandonados
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Vítimas dos Alpes foram assassinadas com dois tiros na cabeça

Vítimas dos Alpes foram assassinadas com dois tiros na cabeça

Autópsias indicam que as quatro pessoas encontradas mortas perto do lago de Annecy, nos Alpes, em França, foram executadas.
com agências |
Vítimas dos Alpes foram assassinadas com dois tiros na cabeça

Os três membros da família inglesa assassinados nos Alpes franceses e o ciclista encontrado morto na mesma estrada foram atingidos com dois tiros na cabeça cada um, revelam os resultados das autópsias. 

Segundo as autoridades francesas, os homicídios deverão ter sido assim cometidos com uma intenção clara.

"Não sei se o assassino ou assassinos são profissionais, tudo o que posso dizer é que houve uma total determinação para matar. Disparar dois tiros na cabeça de cada um mostra que se quer ser realmente responsável pelo terrível crime", disse Eric Maillaud, procurador de Annecy, citado pelo jornal "The Guardian".

Segundo o procurador, o ato terá sido muito rápido, mas totalmente premeditado. 

Uma equipa forense, constituída por elementos franceses e ingleses, está a efetuar buscas na casa da família britânica, com vista a procurar informações e pistas que possam ajudar a explicar o crime.

Filha mais velha em estado grave


Na quarta-feira, Saad al-Hilli, um engenheiro de origem iraquiana, de 50 anos, foi descoberto morto dentro de um BMW, num parque de estacionamento florestal na aldeia francesa de Chevaline, próximo do lago de Annecy.

Foi também encontrado dentro do veículo o cadáver da sua mulher e o da sua sogra, enquanto lá fora estava o corpo de um ciclista francês, que deveria estar a passar ali no momento do crime, acabando também por ser uma vítima mortal.

As duas filhas do casal, de quatro e sete anos, sobreviveram. Zeena, a mais nova, esteve oito horas escondida debaixo dos cadáveres, agarrada à saia da mãe, mas está bem de saúde. Já à sua irmã Zaina está em estado grave, em coma induzido, na sequência de ferimentos na cabeça. 



Veja o vídeo:

Opinião


Multimédia

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 1 Comentar
ordenar por:
mais votados
O que terá movido o assassino
para uma tal execução? Rio Grande
Comentários 1 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub