Anterior
Vila Nova de Milfontes: Famílias carenciadas vão poder "fazer compras" ...
Seguinte
Vídeo: Músicos da Orquestra do YouTube consideram participação rara ...
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Vídeo: Espanhóis optam por restaurantes em Portugal para "fugir" a proibição de fumar

Vídeo: Espanhóis optam por restaurantes em Portugal para "fugir" a proibição de fumar

Desde o início do ano, quando entrou em vigor a nova lei antitabaco em Espanha, que muitos espanhóis optam por deslocar-se até aos restaurantes portugueses, na zona fronteiriça, com salas para fumadores. (Veja o vídeo)
Lusa |
Espanhóis preferem fumar... em Portugal
Espanhóis preferem fumar... em Portugal / Heino Kalis/Reuters

Feliciano, fumador de Badajoz (Espanha), prefere almoçar num restaurante de Elvas, não só por apreciar a gastronomia portuguesa, mas também por a nova lei do tabaco no seu país ter sido "levada ao extremo". 
 
Desde o início do ano, quando entrou em vigor a nova lei antitabaco em Espanha, que muitos espanhóis optam por deslocar-se até aos restaurantes portugueses, na zona fronteiriça, que têm salas para fumadores. 
 
"Eu e a minha família sempre apreciámos a gastronomia portuguesa e, agora, como é proibido fumar nos restaurantes em Espanha, é mais um motivo para vir a Portugal", diz Feliciano. 

"Proibir em todo o lado é um exagero" 


O impacto da nova legislação espanhola antitabaco sente-se, especialmente, no setor da restauração e hotelaria, onde ainda era possível fumar, se assim o decidissem espaços com menos de 200 metros quadrados ou com zonas divididas para fumadores e não fumadores. 
 
"Eu acho bem que seja proibido fumar nos sítios públicos, porque assim não se faz mal a quem não fuma, mas proibir em todo o lado é um exagero", defende Feliciano. 
 
"Eu sou fumador e vou a sítios onde se pode fumar. Se aqui em Portugal há restaurantes onde se pode fumar, eu venho. Em Espanha, agora vou menos aos bares. É uma medida excessiva", corrobora Alexandro, outro espanhol, enquanto faz uma refeição num restaurante de Elvas. 
 
Em Espanha passou a ser proibido fumar em todos os espaços fechados, o que suscitou protestos do setor da restauração e hotelaria, que teme a perda de dezenas de milhares de postos de trabalho. Do lado português, a Associação Empresarial de Elvas está otimista com o aumento dos clientes espanhóis às mesas dos restaurantes da cidade. 

"Para o setor da restauração em Elvas pode ser uma mais valia" 


"Para o setor da restauração em Elvas pode ser uma mais valia a aplicação desta medida em Espanha. A maior parte dos nossos restaurantes dispõe de salas para fumadores e a nossa qualidade e preços são melhores do que o praticado no país vizinho, portanto, é de prever que aumente o número de clientes", referiu Patrick Sequeira, presidente da associação. 
 
Quanto aos bares, diz, não há tanto otimismo: "Não temos grande oferta e há também a questão da viagem e do consumo de álcool que, com as operações policiais na fronteira, não será um atrativo". 
 
Em Espanha, a nova lei declara também espaço sem fumo todos os recintos hospitalares, incluindo as zonas ao ar livre, bem como as áreas de ócio infantil abertas, mas não se aplica aos campus universitários. 
 
"Deviam habilitar zonas específicas onde as pessoas possam fumar. Proibir fumar em zonas ao ar livre, a 50 metros de um espaço infantil ou hospital, é excessivo. Eu já gostava de vir a Portugal, e a Elvas em concreto, e se
aqui não tenho que sair para a rua para fumar um cigarro, melhor", salienta Ester, que também vive em Badajoz. 

Lei do tabaco vigora em Portugal desde 2008 


Segundo a nova legislação, em Espanha pode continuar a fumar-se nas prisões, residências de 3.ª idade e centros psiquiátricos, mas apenas em salas de fumo. Os hotéis têm de reservar 30% dos quartos para fumadores.
 
Em Portugal, a lei do tabaco entrou em vigor em 2008, impondo a restrição de fumar em espaços públicos fechados, locais de trabalho, unidades de saúde, estabelecimentos de ensino e locais como museus, centros comerciais, aeroportos e meios de transporte. Nos restaurantes, as exceções estão condicionadas à dimensão dos locais e à criação de espaços próprios para fumadores. 




Opinião


Multimédia

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 11 Comentar
ordenar por:
mais votados
Re: Vídeo: Espanhóis optam por restaurantes em Por
Zapatero é um radical anti tabaco e não olha a meios para perseguir os fumadores.

A lei portuguesa actual é equilibrada e bem aceite por todos, o problema é que Zapatero é o ídolo de Sócrates, portanto não dou muito tempo para a lei de cá seguir os passos da dos espanhóis.

Aconteceu o mesmo com o casamento dos homossexuais, aborto.

Re: Vídeo: Espanhóis optam por restaurantes em Por
Re: Vídeo: Espanhóis optam por restaurantes em Por
Re: Vídeo: Espanhóis optam por restaurantes em Por
Menos mal que nos queda Portugal, para el pitillo
A actividade económica transfronteiriça está em aumento o que é positivo, neste caso para Portugal. Agora já só vamos a Espanha encher o depósito de combustível e comprar tabaco. A seguir voltamos a correr para Portugal para gastar o combustível, tomar café e fumar cigarros. Quanto aos espanhóis, acho muito bem que se vinguem de Zapatero e venham fumar a Portugal, aproveitando para comer e tomar café.
Se eu estivesse no lugar de Sócrates ainda flexibilizaria mais a lei anti tabaco até que Zapatero aumentasse o IVA para 23% e equiparasse os impostos especiais sobre tabaco e combustíveis aos de Portugal.
Isto de harmonizar fiscalmente a península ibérica requer que Portugal seja inteligente e use as contrapesos possíveis para equilibrar com Espanha. Quanto aos espanhóis, cada vez que se sentem encurralados (arrinconados, como eles dizem) repetem mais a clássica expressão "menos mal que nos queda Portugal" o que significa hoje precisamente o contrário do que imaginam muitos portugueses que aindam não sairam de Aljubarrota ou da restauração de 1640.
Re: Menos mal que nos queda Portugal, para el piti
Re: Menos mal que nos queda Portugal, para el piti
Grande Espanha!
Poder fumar em, por exemplo, esplanadas ou recintos infantis, só porque estão "ao ar livre" é um disparate que prejudica obviamente os não-fumadores.

Qualquer não-fumador sabe que se estiver a almoçar num local ao ar livre e estiverem a fumar nas mesas ao lado é praticamente a mesma coisa do que se for no interior. Os fumadores é que, ou já perderam a capacidade de sentir o fumo ou fazem de conta que não notam...

Dentro de 3 meses os espanhóis voltam a ir onde iam e daqui por um ano os estabelecimentos espanhóis não notam nada excepto menos baixas dos empregados por doenças dos pulmões...

Re: Grande Espanha!
pois...
e porque os portugueses já não podem fumar nem fazer mais nada.
Sim certo
Mas porque tenho eu de respirar o monoxido de carbono que as emissões de escape dos automoveis emanam ? Proibição de circular com veiculos de combustão interna JÁ !! Tudo a pé que faz bem à saúde ! Quero ver os meus direitos tambem a funcionarem para a poluição JÀ ! Porque raio é só o tabaco ? E o sal, esse assasino silencioso ? Proibição imediata de sal, só sob receita médica.
Comentários 11 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub