Anterior
Marrocos suspende "El País" por causa de caricatura
Seguinte
Adel Yzquierdo novo vice-Presidente de Cuba
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Valência: 21 presos em confrontos com a polícia
Com vídeo

Valência: 21 presos em confrontos com a polícia

Polícia emprega força em Valência, Espanha, para reprimir protestos de estudantes contra cortes no ensino público. Confrontos prosseguem esta noite depois de provocarem pelo menos quatro feridos e 21 detidos, a maioria menores de idade.
Imprensa espanhola |
Polícia imobiliza estudante no centro de Valência
Polícia imobiliza estudante no centro de Valência / Juan Carlos Cardenas/EPA

Centenas de estudantes saíram hoje à rua em Valência para protestar contra os cortes no setor do ensino público, aprovados em janeiro pela Generalitat valenciana. A manifestação, convocada pelas redes sociais, está a ser  reprimida com violência pela polícia, que cercou os estudantes junto à estação norte de Valência e está a impedir a passagem de peões. Num comunicado divulgado há pouco, o Sindicato de Estudiantes de los Países Catalanes diz que o número de feridos nos incidentes desta tarde ascende a mais de uma centena.

Segundo a agência EFE, mais de 200 pessoas, na sua maioria estudantes e algumas delas menores, continuam refugiadas nas instalações da Faculdade de Geografia e História da Universidade de Valência, com autorização da reitora, para fugir às cargas policiais.

Desde o início da tarde, foram detidos pelo menos 21 estudantes, quase todos menores de idade. Uma jornalista da Rádio Nacional foi também agredida por um agente.

Desde o meio-dia, pelo menos meia centena de carrinhas da polícia invadiram as ruas de Valência para enfrentar o protesto estudantil. O chefe da Policía da Comunitat Valenciana, Antonio Moreno, justificou a repressão, dizendo que é necessário empregar a força e recursos bélicos para enfrentar a "agressividade"  dos manifestantes. Recusou-se, no entanto, a dizer quantos homens foram mobilizados para pôr fim ao protesto.

Confrontos


Depois de mais de cinco horas de confrontos, os protestos pareciam ter chegado ao fim mediante uma "negociação" feita na rua Barcas, junto ao Teatro Principal, entre o presidente da Federação Valenciana de Estudantes do Ensino Médio, Albert Ordónez, e o comandante das forças policiais. O acordo era para que os estudantes deixassem a zona "em cinco minutos" e, em troca, as autoridades comprometiam-se a libertar os detidos.

Mas o que aconteceu foi que os confrontos prosseguiram junto ao instituto público Lluís Vives. "Não somos veados, somos estudantes", gritavam em coro os estudantes enquanto uma dezena de polícias prendiam e algemavam um deles em frente ao estabelecimento de ensino. O Lluís Vives converteu-se em símbolo das revoltas estudantis desde a detenção, na passada quarta-feira, de um estudante menor de idade, que foi algemado e levado para a esquadra, onde permaneceu "no calabouço" durante várias horas.

"Eu também trago armas. Esta é a minha!", gritava um estudante que reclamava contra a sua detenção mostrando ao alto um livro, enquanto outros colegas defendiam na rua a "liberdade de expressão" para denunciar os "cortes no sistema educativo" valenciano. Pais, professores e políticos uniram-se ao protesto dos estudantes e estão a manifestar-se contra a violenta repressão, gravando com os seus telemóveis as constantes cargas policiais.

O presidente da Federação Valenciana de Estudantes, Alberto Ordóñez, adverte que os protestos vão continuar. Mais de 15.000 pessoas subscreveram uma petição a exigir a demissão da delegada do Governo em Valencia, Paula Sánchez de León. Os partidos da oposição - PSOE, IU e ERC - querem ver o ministro do Interior Fernández Díaz e o diretor-geral da Polícia no Parlamento, a darem explicações sobre as cargas policiais.



Opinião


Multimédia

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 11 Comentar
ordenar por:
mais votados
Em Espanha no PP de Rajoy estão todos os
ex franquistas. Portanto a intolerãncia impera naquele país. Ha pouco tempo quando o anterior chefe do governo do PP visitou a Argentina teve que ser escoltado pela policia e alterar o percurso para o Hotel, porque naquele País o povo é exigente e culto...
Re: Momento de humor raska
O meu caro nãqo conhece a Argentina
Re: O meu caro nãqo conhece a Argentina
Re: Em Espanha no PP de Rajoy estão todos os
O meu caro quere voltar ao tempo de quem não
Re: Em Espanha no PP de Rajoy estão todos os
Comunistas
Estes arruaceiros são comunistas e outros bonecos extremistas.
O meu caro não está bem. Vê comunistas por todo
Mala educación
É bem patente o estado a que chegou a sociedade espanhola após 10 anos de socialismo zapaterista em que movimentos obscuros fomentaram um estilo de vida que mete medo... na complutense de Madrid jovens universitárias estão neste momento a ser julgadas por terem exibido os seios na capela da universidade durante os cultos religiosos... Graças a Deus a maioria dos alunos espanhóis frequentam colégios privados na sua maioria católicos. Os que se manifestam em Valência são os provenientes do ensino público verdadeiras encubadoras de marginalidade encapotado com o nome de «movida»...
O que os Espanhois não sabiam!
O PS Espanhol subiu ao poder, depois dos terroristas islamicos, terem cometido os atentados de Madrid!

As sondagens davam clara vantagem ao PP, e sò o medo colocou os socialistas no poder!

O que os Espanhois não sabiam, é que deveriam ter tido tanto medo dos terroristas islamicos, como do PS Espanhol, que destrui não sò uma estação de comboios, mas um Paìs inteiro!
Comentários 11 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub