21 de abril de 2014 às 13:08
Página Inicial  ⁄  Dossiês  ⁄  Dossies Desporto  ⁄  Euro 2012  ⁄  Uma questão matemática

Uma questão matemática

Itália e Croácia empatam na segunda ronda do grupo C e ficam à espera do que Espanha e Rep. Irlanda vão fazer. Clique para visitar o dossiê Euro-2012
Pedro Candeias, enviado ao Euro-2012
Resultado no marcador: 1-1 Armando Babani/EPA Resultado no marcador: 1-1

Prandelli pôs De Rossi como líbero para travar o ataque croata: 3 contra 2.. E conseguiu-o, muito por culpa de Andrea Pirlo que marcou o 200º golo da Itália na competição. Mas, na segunda parte, a frescura croata arrefeceu a experiência italiana que acabou encostada às cordas, com Modric bem junto dos avançados. 3 contra 3. 

Clique para aceder ao índice do dossiê Euro-2012

O MINUTO 79'. Croatas e italianos decidiram para o mesmo lado: a bola estava furada. Howard Webb pegou nela, tirou-lhe as medidas e lançou-a para o... público. Era ver a cara de felicidade do feliz contemplado que visto daqui (do ecrã gigante do Estádio de Poznán) parecia italiano. 

O MOMENTO O futebolês entra muito no campo das hipóteses (ai se isto, ai se aquilo) quando há que arranjar desculpas para a derrota. Este momento, ao minuto 19, é desses: Chiellini faz falta na pequena área (agarrou no braço do croata) mas o árbitro Howard Webb fez - e para continuarmos no jargão do futebol - a chamada vista grossa. O jogo estava empatado. 

O HERÓI Mandzukic. O avançado croata, que já tinha marcado por duas vezes contra a República da Irlanda (3-1), somou o terceiro golo na competição. Como ele, só Mário Gómez, da Alemanha e Dzagoev, da Rússia.

A ESTRELA Talvez não tenha sido o melhor jogador em campo porque as pernas já devem pesar. Andrea Pirlo (33 anos) é um regalo: pezinhos de lã, passes milagrosos e uma capacidade invulgar para marcar de livre. Sem poses de pistoleiro ou inspirações profundas, bem entenda-se. 

O JOKER Bilic, o selecionador da Croata, é um treinador caricato. Raramente está na área reservada pela UEFA e de cada vez que a bola lhe passa a um, dois metros à frente, o homem quase que se põe dentro de campo. Que o diga Di Natale que tantas vezes viu a sua sombra quando descaiu para a esquerda. 

O VILÃO Este é um cromo repetido: o público croata. Com a Rep. Irlanda já fizera das suas e hoje voltou a fazê-las (tochas, petardos) e acrescentou os cânticos racistas contra Mario Balotelli.  

O SEGREDO A matemática. Ora bem, se a Croácia tinha dois avançados, a Itália começou com três centrais (De Rossi a líbero) para controlar operações lá atrás e lançar segura o ataque. Chegou à vantagem. Na segunda parte, para equilibrar as coisas, a Croácia adiantou Modric e pôs Rakitic a fechar ao meio. Ficaram três para três e nasceu o empate. E muitas ocasiões de perigo. 

O ERRO Será pensar que esta Itália está acabada. São apenas dois pontos, é verdade, mas não esquecer que na última jornada do Grupo, os italianos jogam com a Irlanda do italiano Trapattoni. E os transalpinos têm a saudável mania de sobreviverem quando todos os julgam moribundos. 

 O NÚMERO  200. Se havia alguém que merecia entrar hoje para a história era Pirlo: ele foi o autor do 200.º golo da Itália na história dos Europeus. Nestas contas, estão englobados os jogos de qualificação também 

O ACONTECIMENTO Ora digam lá que isto não é para recordar: Mario Balotelli esteve em campo, jogou benzinho, rematou cinco vezes (três, à baliza), fez apenas uma falta, não reagiu aos cânticos e aos assobios (ver vilão) e - pasme-se - não levou qualquer amarelo. Quase, quase um menino de coro. Foi substituído por Di Natale e logo depois a Croácia empatou. 

O AMANHÃ É o que se pode fazer hoje. O destino destas selecções está dependente daquilo que acontecer daqui a pouco (19h45) entre a Espanha e a República da Irlanda. Se a lógica imperar, os espanhóis ganham aos irlandeses e ficam com quatro pontos, tantos quantos os croatas e mais dois que os italianos.

FICHA DE JOGO Estádio Municipal de Poznán (Polónia). Árbitro: Howard Webb (Inglaterra). Itália: Buffon; Bonucci, De Rossi, Chiellini; Maggio, Marchisio, Pirlo, Thiago Motta (Montolivo, 62'), Giaccherini; Cassano (Giovinco, 83') e Balotelli (Di Natale, 69'). Treinador: Cesare Prandelli. Croácia: Pletikosa; Srna, Corluka, Schildenfeld, Strinic; Vukojevic; Rakitic, Modric Perisic (Pranjic, 68'); Jelavic (Eduardo, 83') e Mandzukic (Kranjcar, 90'+4). Golos: 1-0, Pirlo (39'); 1-1, Mandzukic (72'). Cartões amarelos: Motta (57'), Montolivo (80') e Schildenfeld (86')

Comentários 0 Comentar
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub