19 de abril de 2014 às 13:32
Página Inicial  ⁄  Economia  ⁄  Trabalhadores de fábricas do iPhone substituídos por robôs (fotogaleria)

Trabalhadores de fábricas do iPhone substituídos por robôs (fotogaleria)

O grupo chinês Foxconn Technology, fabricante de produtos Apple como o iPhone e o iPad, planeia substituir os trabalhadores das suas linhas de montagem por máquinas.
Ana C. Oliveira (www.expreso.pt)

A Foxconn, fabricante de iPhones e iPads - também associada a marcas como a Nokia, a Nintendo e a Sony -, dispõe já de 10 mil robôs nas suas linhas de montagem na China, mas planeia chegar a um milhão nos próximos três anos.

Terry Gou, fundador e presidente da empresa justifica a substituição de mão-de-obra humana por máquinas com a "necessidade de cortar nos custos e aumentar a eficiência do trabalho através da implementação de máquinas capazes de realizar as tarefas mais básicas da fase de produção", tais como a montagem, a soldagem ou a pulverização.

Salários baixos e suicídios nas fábricas


Apesar do seu crescimento económico, a Foxconn tem sido criticada pelas fracas condições de trabalho que oferece. Em 2010, resultado dos múltiplos suicídios registados entre os funcionários das suas fábricas, fez uma revisão laboral e mais que duplicou os salários na fábrica de Longhua, embora se mantenham muito baixos: de 900 yuan (aproximadamente €98) para 2000 yuan (€218).

A empresa explica que o aumento do número de robôs, num período de três anos, vai afastar os funcionários das linhas de montagem e direcioná-los para trabalhos mais estimulantes. Geoff Crothall, da organização não-governamental China Labour Bulletin, concorda que este processo de transição poderá ser benéfico para os empregados, lembrando que serão sempre necessárias pessoas para manejar este tipo de máquinas.

Melhoria ou estratégia de pressão?


Lui Kaiming, representante do Institute of Contemporary Observation, uma organização associada ao desenvolvimento sustentável na China, coloca a hipótese de se tratar de um truque para pressionar os trabalhadores, acrescentando que o custo das máquinas acaba por ser mais dispendioso que a mão-de-obra.

 

 

A substituição dos funcionários por robôs, nas fábricas da Foxconn, conduziu a uma reflexão acerca do futuro de Pearl River Delta, a zona industrial da China considerada a "fábrica do mundo", cujo modelo de trabalho baixou os níveis de inflação com a introdução de produtos a baixo preço nos mercados mundiais.



Comentários 21 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Então os proços vão baixar, certo?
Um robôt é só o investimento inicial.
Não tem férias, nem segurança social, nem subsídio de refeição, nem um chorudo salário de 98€.

Os 98€ devem explicar porque chega um iPad à loja a 699€...
Re: Então os proços vão baixar, certo? Ver comentário
Re: Então os proços vão baixar, certo? Ver comentário
Re: Então os proços vão baixar, certo? Ver comentário
Re: Então os preços vão baixar, certo? Ver comentário
Re: Então os preços vão baixar, certo? Ver comentário
Re: Então os preços vão baixar, certo? Ver comentário
robos
Afinal grande descoberta , o trabalho é a pior forma de degradação humana .
As máquinas que o façam , viva a reforma para todos ,aos 20 anos .
O mundo vai tornar-se um paraiso .Cada vez gosto mais disto .
Re: robos Ver comentário
Re: robos Ver comentário
Olha que giro...
...a popolação mundial a aumentar e os postos de trabalho a diminuir, as pessoas em breve vão viver do ar, porque fonte de rendimentos é algo em vias de extinção.
Re: Olha que giro... Ver comentário
Re: Olha que giro... Ver comentário
Re: Olha que giro... Ver comentário
Boa ideia!
Boa ideia. Não poderemos nós substituir todos os nossos governantes por robôs, programados para não roubarem, não favorecerem os amigos, não promoverem a exclusão social?... E já agora programados com um curso de economia para evitar que baixem os salários, aumentem os impostos indirectos, baixem a TSU, quando pretenderem fazer crescer a economia e reduzir o défice externo...
Isto é um ponto de viragem, bom para a Europa.
Para os restantes comentadores: o salário é de €218, não de €98. E o investimento em 1 milhão de robôs, numa empresa que actualmente tem 1,2 milhões de empregados, visa claramente substituir mão de obra, transformando-se numa indústria de capital intensivo.
Agora pergunto:
1 - Quem é que vai produzir os robôs? R: Japão e Alemanha.
2 - Numa fábrica com robôs, qual a vantagem de estar na China, versus estar na Europa, Japão ou EUA? R: Impostos.

Conclusão: os Chineses começam (muito lentamente) a entrar no nosso jogo, a ter que competir com as mesmas regras (nem que para isso tenham de tirar os salários da equação).
Re: Trabalhadores de fábricas do iPhone substituíd
Todo o mundo gira à volta de uma equação matemática, até mesmo a vida dos seres humanos.

Quando se retira de uma equação uma das parcelas, para continuar numa equação, tem que se equilibrar essa falta com outro denominador.

Ora se de um lado da equação deixa de estar o ser humano, do outro lado ou passa a ser x 2, ou então elimina-se esse denominador (o humano). Como me parece que o custo final irá continuar a ser o mesmo, para se equilibrar essa equação teremos de eliminar definitivamente o ser humano desta equação.

Assim os filmes de ficção científica, como o Exterminador Implacável ou o Matrix, começam a fazer cada vez mais sentido, no futuro. Já que o ser humano deixa de fazer falta no mundo e acabará por ser substituído pelas próprias máquinas que ele inventou!
Re: Trabalhadores de fábricas do iPhone substituíd
Para eles fazerem isto é para passarem a ter mais lucros porque se fosse para contrairem dívida de certezaque não o faria, portanto não venham dizer que o custo das máquinas acaba por ser mais dispendioso que a mão-de-obra.
  Se os lucros da empresa aumenta o dinheiro vai para um punhado de pessoas, presidentes, administradores, enfim o custome e as 10mil pessoas que vao para o desemprego !? vao passar a ganhar do quê ? vao trabalhar pra onde ? e os lucros da empresa vao para quem, para a empresa ?! ela precisa de comer, beber cuidados com a saude ?! é isso td po desemprego assim é que a economia vao melhorar com as pessoas a comprarem mias cenas.. Enfim mete nojo isto tudo.
NO metro em portugal é já quase a mesma coisa..nao ha pessoas praticamente a vender bilhetes. so maquinas que dp quando dao problemas nao ha ng para nos auxiliar, mais gente po desemprego. Enfim vamos longe...
No futuro...
... daqui a 200 anos, quem é que vai comprar alguma coisa? Com o dinheiro ganho a fazer o quê? Sinceramente é algo que me preocupa, embora não tenha a felicidade de durar tanto tempo!
Robots?
isso mesmo. substituam os Homens por robots e mais tarde ou mais cedo irão vender os TLMs aos próprios robots porque os Homens não os vão querer.
Assim se aumenta a produtividade do trabalho!
É isso que os economistas (made in PT) ainda não perceberam! A produtividade do trabalho depende dos meios de produção... Produz-se em mais quantidade e o produto sai muito mais barato.

Claro que o Homem fica em condições de atingir melhor qualidade de vida, com estes progressos da sociedade. Contudo, este progresso é apropriado apenas por muito pequena minoria de pessoas... Enquanto a grande maioria fica sem emprego e sem meios de subsistência... Neste caso é o Capitalismo a funcionar em todo o seu melhor. É isso que a China vai agora ter de enfrentar!

A perspectiva de "Uma Nação dois Sistemas" está a atingir o seu limite...

PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub