Anterior
Benfica-Trofense divide "encarnados" da Trofa
Seguinte
Aimar em treino livre, mas ainda sob vigilância médica
Página Inicial   >  Desporto  >   Ténis faz Frederico Gil adiar sonho de ser médico

Ténis faz Frederico Gil adiar sonho de ser médico

O tenista português melhor classificado de sempre no ranking mundial (68.º), está matriculado na universidade, mas para já quer competir no ATP World Tour.
Frederico Gil, na primeira ronda do Estoril Open, onde perdeu frente a James Blake, nº 16 do mundo
Frederico Gil, na primeira ronda do Estoril Open, onde perdeu frente a James Blake, nº 16 do mundo / Tiago Petinga/EPA

Frederico Gil , o melhor português de sempre no ranking mundial, está a concretizar um sonho no ténis, mas a carreira desportiva profissional está a adiar-lhe outro desejo: o curso de Medicina.

Com 24 anos, Gil está matriculado na universidade, mas já estabeleceu que a prioridade é competir no ATP World Tour, com a mesma determinação de quando tinha 10 anos e contrariou o destino, após um médico lhe ter diagnosticado um tumor benigno no joelho direito e lhe dito que "desporto nunca mais".

"Tenho congelada a minha matrícula em Medicina. Para já, quero ser jogador profissional de ténis, é para isso que trabalho diariamente, sempre procurando o meu caminho", referiu à Agência Lusa, ciente de que "os estudos são muito importantes".

O 68.º jogador da hierarquia mundial e campeão absoluto de Portugal por três vezes declarou que sempre recorda os ensinamentos da família de "ter uma visão do futuro" e da importância da formação no crescimento humano.

"O meu pai (Rui Gil) falou comigo e disse-me para continuar a jogar ténis, que é o que eu mais gosto de fazer, mas para nunca deixar de pensar nos estudos", acrescentou o primeiro tenista português a ter entrada directa por mérito próprio no quadro de singulares do Estoril Open.

Frederico Gil, afastado na primeira ronda do Estoril Open pelo norte-americano James Blake, revelou que não sabe quando vai regressar à universidade, mas já tem como garantido que pretende especializar-se em Medicina desportiva.

Sete anos depois de figurar pela primeira vez no ranking ATP, o jovem de Sintra tornou-se o melhor tenista português de sempre e, no ano passado, bateu alguns recordes que perduravam há mais de uma década.

Em Agosto, tornou-se no segundo português - o primeiro foi o seu treinador, João Cunha e Silva - a conquistar um torneio de 100.000 dólares, em Istambul, Turquia. Poucos dias volvidos, Gil atingiu o 86 posto, igualando o ranking de Nuno Marques, que perdurou durante 14 anos.

Frederico Gil perdeu no domingo para o argentino Gastón Gaudio a final do "challenger" de Tunis, Tunísia, depois de esta temporada já ter atingido as meias-finais de dois torneios do ATP World Tour: em Joanesburgo, África do Sul, e na Costa do Sauípe, Brasil.


Opinião


Multimédia

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 4 Comentar
ordenar por:
mais votados
Opção difícil
Mas que pode hipotecar o futuro.

Com o crivo tão apertado para entrar em medicina...uma entrada congelada (que deve ter tirado vaga a alguém), a escolha tem de ser criteriosa.

Se o ténis é o sonho e a vocação...força.
O ranking tem muitos degraus para subir.

Força campeão, mas...
Humildade...precisa-se.
Opção acertada...
É incomparavelmente mais rentável e agradável bater umas bolas nuns courts do que estar a fazer bancos em hospitais miseráveis e a tratar estropiados deitados em macas alinhadas em corredores sem fim.
Ténis
Pois ,esse é o dilema de alguns de nós.Bom dilema.
Ser tenista profissional não é compativel com o exercício da Medicina.
Ser profissional médico,permite bater umas bolas de ténis de vez enquando.
Há que escolher:sorte e mérito de alguns, apenas.
Comentários 4 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub