16 de abril de 2014 às 10:45
Página Inicial  ⁄  Economia  ⁄  Energia  ⁄  Tecnologia portuguesa testa energia das ondas irlandesa

Tecnologia portuguesa testa energia das ondas irlandesa

A empresa portuguesa Kymaner produziu a turbina de ar que será testada em 2011 numa central de energia das ondas na costa irlandesa.
J. F. Palma-Ferreira (www.expresso.pt)
Esta é uma turbina de ação auto-retificadora DR Esta é uma turbina de ação auto-retificadora

O projeto europeu de aproveitamento de energia das ondas que vai ser testado em 2011 ao largo da costa irlandesa, perto de Spiddal, terá uma turbina de ar produzida pela empresa portuguesa Kymaner.

O projeto CORES - Components for Ocean Renewable Energy Systems vai dispor de uma turbina de ar portuguesa que será testada em Spiddal durante 2011.

Esta "turbina de ação auto-retificadora" configura, segundo fontes ligadas ao projeto, "uma evolução do conceito das turbinas de gás das centrais termoeléctricas e utiliza uma abordagem inovadora que lhe confere ganhos de rendimento significativos quando comparados com tecnologias semelhantes".

As mesmas fontes referem que "a turbina, atualmente em fase de testes finais em fábrica, será instalada numa plataforma flutuante em Dezembro, o que faz com que a Kymaner seja a primeira empresa portuguesa exportadora de tecnologia para aproveitamento da energia das ondas".

A Kymaner foi criada em 2005, para desenvolver a energia das ondas em Portugal. Atualmente tem a seu cargo a manutenção da Central de Ondas do Pico.

Comentários 2 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Esclarecimento
Trata-se de facto de uma central de ondas, mas o aproveitamento da energia é feito através da circulação de ar (para os menos familiarizados). As ondas atingem a base de uma coluna oca em betão que se situa na costa; dentro dessa coluna o batimento das ondas provoca a deslocação ascendente do ar que é captada pela turbina. Quando as ondas se afastam surge uma depressão na base da coluna que suga o ar e este desloca-se em sentido contrário ao anterior e aí reside o interesse desta turbina (denominada auto-rectificadora), que volta a girar no mesmo sentido perante a deslocação contrária do fluxo.
A turbina está acoplada a um gerador eléctrico o qual poderá estar ligado à rede eléctrica.
Centrais deste tipo para nós será...
ouro sobre azul. Na verdade neste domínio da tecnologia ainda se anda a apalpar e a procurar a melhor solução. Que a central irlandesa e a turbina que a equipa sejam um grande sucesso são os meus votos pois temos uma costa que poderá proporcionar-nos muita energia eléctrica o que conjugado com as viaturas eléctricas nos proporcionarão uma outra independência energética.
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub