7
Anterior
CR 7 aventador
Seguinte
Prazeres e desmanchos
Página Inicial   >  Blogues  >  Blogues Educação e Ciência  >  Falta de castigo  >   Tais pais tais futuros pais

Tais pais tais futuros pais

Uma escola de Portimão de 1º ciclo, no Pontal, para prevenir agressões nos intervalos das aulas, não raras, e promover entre os alunos comportamentos adequados, desenvolveu um projecto pedagógico muito suspeito.

Uma "patrulha de segurança", constituída por um professor e dois alunos de turno, identificados com um t-shirt branca com as iniciais "PSP" (Patrulha de Segurança do Pontal), faz rondas durante o recreio, anotando o nome dos alunos mal comportados.

Convenhamos que a designação "PSP" não é feliz, nem criativa. Remete inevitavelmente para um papão, a polícia. E a escola deve ser tudo menos um simulacro de quartel. Os seus espaços exteriores não devem confundir-se com uma parada.

À parte esta minudência, o projecto parece bem pensado. Está aprovado pelo conselho geral do Agrupamento que tem também uma escola de 2º e 3º ciclo. Desenvolve uma boa prática uma vez que coloca um professor no recreio - onde há falta de funcionários -a contemplar alunos, alguns muito "remexidos". Coisa exótica, uma vez que o habitat natural de um docente é a sala de aula, a sala dos professores, ou o divã doméstico para deprimir.

O "código deontológico" da patrulha de segurança, estabelece que situações dignas de registo são apenas as de agressões físicas ou verbais, quando forem ofensivas para alunos, familiares, funcionários e professores e a "má utilização" das instalações, equipamentos e materiais.

Alguns poucos pais, e apenas de uma das vinte e uma turmas do agrupamento, gente fina e bem educada, ficaram escandalizados com o projecto. Consideraram-no "anti-pedagógico" e propiciador de situações de "bullying" (?). E, movidos pelo inefável instinto protector das suas crias em risco, escreveram cartas ao director do Agrupamento, o mau da fita, à Direcção-Regional de Educação do Algarve e à Inspecção-Geral de Educação e Ciência. É a bafienta praxis de bufar em vez de dialogar. Artilharia pesada, portanto. Contra quem pretende fazer um esforço para acabar com a indisciplina e a violência na escola, nomeadamente entre crianças dos 6 aos 10 anos!

O director do Agrupamento suspendeu de imediato o projecto naquela turma. Acabou com os traumatismos cranianos destes pais. Crânios seguramente exemplares, imagino. Lá em casa quem manda, como ditam as boas regras hodiernas, deve ser, e bem, o petiz. E quem obedece...

Tenho a impressão que, quando estes filhos forem pais, os actuais encarregados de educação daquela turma não vão seguramente ser vítimas de "bullying" gerontológico.

Velhos, gastos, abandonados, os seus filhos não vão ter tempo para reparar neles. Bem. Sempre poderá haver um ou outro que se dê conta de que cheira mal, há uns dias, na casa solitária de um avozinho hirto. O que constitui sempre um bom pretexto para escrever uma carta. No mínimo à Segurança Social a reclamar o pagamento do funeral do defunto querido.


Opinião


Multimédia

Os assassínios, as execuções, as decapitações são as imagens mais chocantes de uma propaganda cada vez mais sofisticada. É a Jihad, que recruta guerrilheiros no ocidente para matar e morrer na Síria. O Expresso seguiu as pisadas de cinco jiadistas portugueses, mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados. E como lutam, como foram morrer - e como já haverá arrependidos com medo de fugir. Reportagem em Londres, no café onde viam jogos de futebol, na universidade onde estudavam e na mesquita onde rezavam. Autoridades e especialistas em terrorismo estão alerta sobre este pequeno mas perigoso grupo, onde corre sangue português - e de onde escorre sangue por Alá.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.

Geração Z

Mais rápidos, mais capazes, mais solitários, os Z vivem agarrados aos ecrãs, pensam com a ajuda da internet e estão permanentemente preocupados com a bateria do telemóvel. Que geração é esta que nasceu com a viragem do século?

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.


Comentários 7 Comentar
ordenar por:
mais votados
Falta o trabalho de casa professor Quaresma
Comentar juizos de valor não tem a ver comigo. Como tal limito-me a dizer que seria bom que ao falar sobre determinado assunto averiguasse primeiro o que se passou, o porquê da decisão de de fazer uma exposição à Direção Regional, etc. Seria bom ouvir também a versão do Diretor, dos papás finos dessa turma, enfim do que realmente se passou. Quando fala do código deontológico das patrulhas, devia saber que ele foi feito após a nossa tomada de posição, devia saber que tentamos dialogar e sempre o fizemos com quem se mostrou disponivel, o que infelizmente não foi o caso da direção do agrupamento nem de alguém responsável pelo projeto. Não confunda a estrada da Beira com a beira da estrada. Lamento mas, não concordo com o que escreveu uma vez esse texto carece de verdade. Investigue, pergunte, esclareça-se e depois tome uma posição. Um abraço
Jorge Guerreiro (seu antigo aluno e colega da ESPAA)
Re: Falta o trabalho de casa professor Quaresma
Re: Tais pais tais futuros pais
"O director do Agrupamento suspendeu de imediato o projecto naquela turma" - ai sim?? Tem a certeza que foi o diretor?

Tipicamente português.
Falaram e falaram e não resolveram nada.Mas aquela do simulacro como exercio em alternativa ao problema é de méstre.Não é preciso pensar para inventar algo de novo,basta copiar,não se cansem.
Re: Tais pais tais futuros pais
O PEROBELEMA E K OS PAISEZ TEEM MT POUCO TEMPO PRA CUIDAR DE OS SEUS FILHOS E TB DAS FILHAS
DESGRASSA A SEGIR!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
A SOSSIALIEDADE DESTRUIUSE AOS BOKADOS PK N TEM MAIS DA FE DOS ANTE PASSADOS
E AS FAMILIAS K TB JA NAO HADEM DE CUIDAR DOS PEKENOS TODOS AJUDAM NA DESGRASSA TODA.
Re: Tais pais tais futuros pais
Continuamos no ciclo viciado
parece-me que existe uma constante nos comportamentos da sociedade civil que é terrivelmente castradora. Temos uma equipe de professores a tentarem resolver um problema premente com as parcas ferramentas ao seu dispor. Chegam ao ponto de abdicarem dos seus periodos de pausa entre aulas para o fazerem.
Desenvolvem um projecto (que nao lhes compete e que sendo bom ou mau, tem os melhores principios de proactivismo e responsabilizacao e sensibilizacao dos alunos).
Os pais dos alunos ao melhor estilo local optam pela mais preguicosa solucao. Censura, Boicote, desmobilizacao de qualquer futura tentativa de melhorar o panorama escolar de forma voluntaria pela classe de professores.

O que poderia ter sido feito?
Bom.. Que tal uma pra'tica tao pouco em voga em Portugal chamada trabalho colaborativo. Envolvendo pais e professores (afinal ambos interessados em dar as melhores condicoes aos meninos para aprenderem e se tornarem exemplares cidadaos).
Que tal os pais ficarem a conhecer um pouco a realidade da escola, que tal em vez de destruir ajudar a reconstruir, a redefinir o projecto para o tornar melhor em vez de atirar tudo por terra e tirar qualquer vontade a quem empenha o seu tempo livre a tentar melhorar a vida dos outros e e' boicotado por esses mesmos outros..
Melhore nao e' o autor do artigo que apenas lanca comentarios provocatorios aticando labaredas para um assunto que precisa de ser analisado com sobriedade..
Comentários 7 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador

PUBLICIDADE

Pub