27
Anterior
Hollande até pôs um luso-francês a receber Seguro no Eliseu
Seguinte
Raptor é tio de duas meias-irmãs da menina galesa desaparecida
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Tachos e panelas saem à rua no sábado

Tachos e panelas saem à rua no sábado

Iniciativa Barulho Global, portesto sonor contra a austeridade, vai soar em 200 cidades do mundo. Em Lisboa, está marcado para as 17h.
Lusa |
Qualquer pessoa pode participar. Só tem de levar tachos, panelas e outros utensílios, e fazer "muito barulho", apelam os organizadores
Qualquer pessoa pode participar. Só tem de levar tachos, panelas e outros utensílios, e fazer "muito barulho", apelam os organizadores / Rui Duarte Silva

A iniciativa Barulho Global de sábado é "uma oportunidade para que todos os portugueses, independentemente do sítio ou da forma, agarrem em tachos, panelas e outros utensílios e expressem, de forma bem sonora, a sua indignação e revolta".

Este é o repto lançado por Inês Subtil, uma das organizadoras da 'cacerolada' de protesto que vai decorrer no sábado em Lisboa.

Além da capital, à hora marcada, 17h, o protesto sonoro também se fará ouvir, em simultâneo, em Braga, Porto, Viseu, Coimbra, Aveiro, Caldas da Rainha, Setúbal, Loulé, Faro ou Portimão, mas também um pouco por todo o mundo.

"Muito barulho" em qualquer sítio


A ideia é "simples" e qualquer pessoa pode participar, explica à Lusa a jovem de 28 anos. "Basta levar tachos, panelas e outros utensílios, e fazer barulho, muito barulho". Seja "na rua, em casa à janela ou noutro sítio qualquer", o mais importante, salienta, é que os portugueses, de norte a sul, participem e se façam ouvir alto e em bom som.

Inês Subtil destaca a dimensão internacional deste protesto, intitulado "Global Noise" (Barulho Global), realçando que os tachos e panelas vão sair à rua em mais de 200 cidades de 25 países - de Berlim a Montreal, de Lima a Tóquio, cidade onde na sexta-feira e no sábado vai decorrer uma reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI).

"Estamos contra a austeridade"


De acordo com o site internacional da iniciativa , cabe aos movimentos nos vários países escolherem as razões pelas quais se vão manifestar. Em Portugal, precisa Inês, a mensagem é clara: "Estamos contra a austeridade, contra as medidas deste Governo, contra um memorando e uma dívida que não fazem sentido".

 As propostas alternativas, garante, existem, mas "virão depois de se conseguir passar uma mensagem forte de que os portugueses não querem nem aguentam".

"O que se passa em Portugal não se limita simplesmente ao nosso paíszinho, temos consciência disso. E apesar de exigirmos a demissão do governo sabemos que as mudanças que são necessárias são muito mais estruturais e profundas", afirma.

'Cacerolada' em "articulação" com outras ações de luta


Inês Subtil lembra que a 'cacerolada' vai decorrer em "articulação" com outras ações de luta marcadas para sábado, designadamente a marcha contra o desemprego da CGTP, que encerra sábado, e o protesto cultural que vai juntar músicos e artistas em Lisboa.

O mais importante, realça Inês, é que nesta "altura de crise nacional" exista "convergência" nas ações de luta entre todos. Isto porque, frisa, "amigo não empata amigo" e porque, no fundo, "estamos todos para o mesmo".

É por isso necessário, defende, que as várias iniciativas de protesto que têm vindo a ganhar força em Portugal se "articulem da melhor forma" e que sejam o "mais aberto e transparentes possíveis" para que "todos os portugueses se sintam representados".

"É muito importante criar espaço para que as pessoas se possam manifestar e expressar de diversas formas, não só nos protestos mais típicos", afirma.

Inês Subtil lembra que a ideia dos tachos e das panelas surgiu, essencialmente, devido ao seu simbolismo. Já foram utilizadas nos protestos na Argentina, em 2001, quando o país entrou em bancarrota e em 2008 na Islândia, onde se tornaram símbolos dos protestos cívicos dirigidos contra banqueiros e políticos que "afundaram economicamente o país".

 


Opinião


Multimédia

Musse de maracujá

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 27 Comentar
ordenar por:
mais votados
Disparate de manifestação.
E ainda por cima, correm o risco de amolgar os utensílios necessários para tratar do jantar...
Obrigar os políticos a pagarem o nosso prejuízo.
Parte do texto de Nuno Garoupa, Professor de Direito da Universidade do Illinois, EUA, saído no Diário Económico:

« …Para evitar a instabilidade e a crise institucional da l.ª República, a democracia instalou um oligopólio político completamente fechado que opera em cartel, equilibrando os interesses instalados dos vários lóbis.

Sem uma verdadeira contestação externa e operando em circuito fechado, mas como dinheiro fácil dos fundos europeus e do crédito barato, o oligopólio corrompeu-se. O Estado social deu lugar ao Estado dos interesses e das rendas. O problema é que, para sair da crise, o Estado dos interesses e das rendas tem que ser parcialmente, ou mesmo totalmente, desmantelado. Desmantelar esse Estado é negar a essência da própria classe política predatória.

Consequentemente não pode haver solução para a crise económica e financeira sem uma ampla reforma do sistema político. Desse ponto de vista, o completo e absoluto silêncio dos três principais partidos sobre o tema não surpreende. »

Quando temos coragem de os responsabilizar, não como os isaltinos ou Valentins ou felgueiras, mas como malfeitores normais.
Re: Obrigar os políticos a pagarem o nosso prejuíz
Re: Obrigar os políticos a pagarem o nosso prejuíz
Re: Obrigar os políticos a pagarem o nosso prejuíz
Re: Obrigar os políticos a pagarem o nosso prejuíz
Vão levar os tachos?

Vão levar os tachos? Por favor!! Não se esqueçam dos potes...

Tachos e potes para a rua... E já !!!
Re: Vão levar os tachos?
Re: Vão levar os tachos?
Próximo sabado 13/10 mais 1 dia intenso cidadania
- Manifestação Nacional - Contra as politicas de austeridade, devolvam-nos a Dignidade!

Sabado , 13/10 , 16 horas

Lisboa - Terreiro do Paço
Porto - Avenida dos Aliados
E muitas outras cidades do país.

www.facebook.com/events/347850801972302#!/events/347850801972302

- Que se Lixe a Troika - Manifestação Cultural

Praça de Espanha - 17 horas

Mesma organização da de 15 de Setembro

www.facebook.com/events/421635274567443

- Global Noise Portugal

Juntamente com a Manif cultural Que se Lixe a Troika
Caçarolada Global

Lisboa e outras cidades do país de forma sincronizada 17 horas e 21 horas

www.facebook.com/events/264751176960944/

www.facebook.com/events/446417552077883/?notif_t=plan_user_invited

- Final da Marcha contra o desemprego , CGTP

Lisboa

www.cgtp.pt/percursos/115-percursos-coluna-sul

A Concentração final das duas colunas será na Praça da Figueira.

A Coluna do Norte partirá às 15:30 horas da Alameda D. Afonso Henriques, descerá a Av. Almirante Reis, Martim Moniz até à P. Figueira.

A Coluna do Sul partirá às 15:45 horas do Cais do Sodré, seguirá pela R. do Arsenal, P. do Município, P. Comércio, R. da Prata até à P. da Figueira.

www.facebook.com/pages/CGTP/275330872914

Re: Próximo sabado 13/10 mais 1 dia intenso cidada
Pergunta pertinente
Sou funcionário Público...com isto posso perder o tacho ?
Re: Pergunta pertinente
versatilidade portuguesa
Já que pouco resta para pôr lá dentro, ao menos que ainda lhe vá sendo dado algum uso.
deviam sim sair e pedir julgamento
do sócrátes dos maros linos dos ferreira do amaral, do coelho mas o jorge.
pois em 1984 ganhava agora
pina moura 22814 697338
jorge coelho 41233 702758
armando vara 59486 822193
  dias loureiro 65010 861366
faria de oliveira 65010 700874
fernando gomes 47901 515000
jose penedos 112947 728635
mexia 680360 3000000
verem como conseguiram estas benesses
Re: deviam sim sair e pedir julgamento
Re: deviam sim sair e pedir julgamento
Re: deviam sim sair e pedir julgamento
Re: deviam sim sair e pedir julgamento
Re: deviam sim sair e pedir julgamento
Lá estarei
se não servir para mais nada... posso sempre arranjar um bom Tacho!!
Inútil. A ditadura da direita não se sensibiliza.
Inútil. O barulho não chega aos ouividos da ditadura de direita. Pelo contário, a polícia política deste regime terá oportunidade de identificar os que protestam. Há outras formas de acabar com esta ditadura!
Vão faltar os maiores
Só vão levar as panelinhas, que os tachos, os grandes, esses estão todos no parlamento.
APELO À DEFESA DO POVO E DA NAÇÃO
Colocar este Governo na rua, deixou de ser uma necessidade e passou a ser um URGÊNCIA, face aos atentados que estão a ser feitos contra a cidadania e a nação Portuguesa, pelo verdadeiro massacre de que estamos a ser alvo. É urgente a intervenção imediata das forças de defesa que estão vocacionadas para a defesa do povo Português. GOVERNO PARA A RUA JÁ. TODOS À MANIFESTAÇÃO DE AMANHÃ, SÁBADO, DIA 13-10. VAMOS MOSTRAR A FORÇA E A UNIÃO DO POVO.
prccarios
nós precarios do sector privado apelamos ao povo do porto ,todos á pr.batalha 15h par manifestaçao ruidos contra os roubos a todos nos,tragam tudo o que fizer barulho,por nós,pelos nossos filhos,pelos avós é preciso,é urgente correr com esta gente
Isso faz criar emprego?
Temos de orientar os nossos esforços para a criação de emprego...
Não vi ninguém a fazer barulho quando o Estado estava a inchar à custa de dívidas que agora temos de pagar!
Barulho!
Como, pelos vistos, cada país vai fazer barulho pela razão que entender, o que é preciso mesmo é fazer barulho, eu também vou fazer pelas minhas razões! Vou protestar porque o governo ainda não atendeu uma das minhas reinvindicações: fazer um feriado no dia do meu aniversário
Comentários 27 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub