Anterior
Com uma pulseira na pata o cão cantou Sinatra
Seguinte
Quer saber porque acabaram os bonecos do Contra-Informação?
Página Inicial   >  Blogues  >  100 reféns  >  Sr. primeiro-ministro: estão a comer do caixote do lixo à minha porta

Sr. primeiro-ministro: estão a comer do caixote do lixo à minha porta

Só quando levamos uma estalada visual acordamos para o efeito devastador que a crise pode ter numa família e na sociedade em geral. Sr. primeiro-ministro: faça alguma coisa porque a culpa é sua.
|

Diariamente são anunciados milhares de novos casos de pobreza extrema e pedidos de ajuda desesperados. Mas por vezes são precisas mais do que meras palavras para constatarmos que de facto o país está a mudar. E começa na porta ao lado da nossa. Na nossa rua. Na cidade, vila ou aldeia que habitamos.

Tive oportunidade de observar a crise de forma quase "impressionista", como um quadro a prender-me de forma violenta, cujas pinceladas fortes e cores agressivas transmitiram uma mensagem que me fez colar literalmente ao chão. Entrei numa realidade que julgava sobredimensionada, pintada com outras cores por quem nos governa, com tonalidades bem mais suaves. Entretidos que estamos na nossa vida diária, alheados e mergulhados em problemas muitas vezes comezinhos, esquecemo-nos de ver. Olhamos, mas não vemos.

Mas eu vi. Pouco deveria passar das 23h30. Passeava o cão no jardim fronteiro ao prédio quando um automóvel parou junto ao parqueamento. As pessoas que saíram da viatura não me conseguiam ver. A rua estava deserta. Um casal e um rapaz, não deveria ter mais do que 6 anos. Uma família como qualquer outra. Aproximaram-se a medo dos caixotes. Um a um, foram recolhendo lixo alheio. Lixo que para esta família parecia servir. O rapaz colocou vários sacos na bagageira até que algo o fez parar, saltando apressado para o banco traseiro da viatura. Espreitou pelo vidro. Estavam os três a olhar para mim. Senti a vergonha deles por terem sido avistados e a minha por não saber reagir. Fiquei sem chão.

Senhor primeiro-ministro: quando o ouço falar em energias renováveis tenho vontade de regurgitar. Quando ouço Vexa falar de progresso, de crescimento e desenvolvimento, de um Estado Social e de solidariedade: regurgito mesmo. Quando o voltar a ouvir falar em sacrifícios vou-me lembrar sempre do que vi nos olhos de um garoto, que é certamente muito mais homem do que muitos homens. E não me vou esquecer de si, do mal que tem feito ao país e que continua a fazer impunemente. O tempo o julgará, já que a Justiça está visto que não pode fazê-lo.

PS: as traseiras dos hipermercados deste país são nos tempos que correm, em alguns dias da semana, quase tão movimentadas como o interior dos mesmos. Sugiro ao Senhor primeiro-ministro uma visita a estes locais em vez de andar por aí a visitar fábricas que exportam rolhas para a China e portáteis para a Venezuela. Ou será que não quer ver o país real? O país que o senhor ajudou a construir. Ou devo dizer destruir?

Opinião


Multimédia

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

Todas as ilhas têm a sua nuvem

Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.


Comentários 97 Comentar
ordenar por:
mais votados
Demagógico e ridículo
Esta crónica demagógica atinge o cúmulo do ridículo com a cena do automóvel que pára ao lado dos caixotes de lixo. O sr. Tiago Mesquita acha normal um casal sujeitar o seu filho de 6 anos à recolha de lixo às 23h30m?? Um casal que não está disposto a abdicar do carro para poder dar de comer decentemente ao seu filho tem toda a razão de sentir vergonha, para não dizer mais.

Há de facto verdadeiros casos de pobreza grave. Para esses, existe o RSI, que não havia no tempo dos governos de Cavaco Silva.
Bem Escrito
Re: Bem Escrito
Eu é que sou o demagogo? Brilhante conclusão...
Re: Eu é que sou o demagogo? Brilhante conclusão..
Re: Eu é que sou o demagogo? Brilhante conclusão..
Re: Eu é que sou o demagogo? Brilhante conclusão..
Re: Eu é que sou o demagogo? Brilhante conclusão..
Re: Eu é que sou o demagogo? Brilhante conclusão..
Re: Eu é que sou o demagogo? Brilhante conclusão..
Re: Eu é que sou o demagogo? Brilhante conclusão..
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Por acaso apanhou os cagalhotos do canito?
Re: Por acaso apanhou os cagalhotos do canito?
Re: Por acaso apanhou os cagalhotos do canito?
Re: Por acaso apanhou os cagalhotos do canito?
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Re: Demagógico e ridículo
Sócrates e a vergonha de falar da fome do seu Povo
Se Sócrates fosse S.Tomé, já há muito teria "visto" as filas da sopa na Cruz Vermelha,as filas nos Hospitais, nos Centros de Emprego, e teria concluido que este País e a sua População etá a ficar pobre demais.
Sócrates e o seu PS fogem desta realidade e tem um discurso oficial de "entusiasmo" e permanente branqueamento da realidade quotidiana do País.
O poder tem vergonha de falar da Fome do seu Povo.
E quando isso acontece a politica não serve para nada.
Isto escrito...
... por quem ataca o estado social - que vai garantindo, por exemplo, cuidados de saúde e educação, etc. - ataca a dívida pública - sabendo que a maior parte dela se deve à necessidade de contrair empréstimos para assegurar subsídios de desemprego (600.000 pessoas que, infelizmente, passaram a receber subsídio e deixaram de pagar impostos), integração social, pensões de sobrevivência, pensões de velhice, às dificuldades criadas pelo défice da balança de pagamentos devido à necessidade de importarmos tudo aquilo cuja estrutura produtiva foi destruída pelo grande primeiro-ministro Cavaco Silva que a trocou por dinheiro da CEE esbanjado sem acautelar o futuro - é surrento!

A situação é triste, é meu caro. Mas nessa situação que descreve os "pobres" ainda se deslocam em automóvel...

Não há varinha mágica. Estamos na maior crise de sempre, você sabe-o bem mas convém-lhe parecer esquecido para se dar ares de grande moralista apelando aos sentimentos de quem está a viver a crise com maior dificuldade no seu dia-a-dia o que, presumo, não seja o seu caso.

Estes ataques consecutivos ao governo (agora a este, depois será a outro qualquer) são um autêntico nojo sobretudo quando vêm da parte de inúteis.
Re:POR FAVOR....
Re: Re:POR FAVOR....
Re: Re:o mundo é maior que SAVATERRA
Re: Re:o mundo é maior que SAVATERRA
Re: Isto escrito...
Re: Isto escrito...
Re: Isto escrito...
Re: Isto escrito...
Re: Isto escrito...
Re: Isto escrito...
Re: Isto escrito...
Re: Isto escrito...
Re: Isto escrito...
Não comentem acerca do que não têm conhecimento
Re: Não comentem acerca do que não têm conheciment
Re: Não comentem acerca do que não têm conheciment
Re: Não comentem acerca do que não têm conheciment
Re: Isto escrito...
Tem toda a razão!
Tem toda a razão, aconteceu-me mais ou menos o mesmo.
Um dia destes fui almoçar ao Pingo Doce, a certa altura vi um homem entrar e dirigir-se ao armário onde se colocam os tabuleiros, retirou um desses tabuleiros e foi sentar-se a comer os restos que tinham ficado nos pratos.
Fiquei chocada e angustiada.
Como é possível ver cenas destas num País que se diz desenvolvido?
Não é de agora...
... esta realidade.

Desde sempre que me lembro de assistir a situações semelhantes à descrita, mas de facto, nunca tanto como agora isso foi tão evidente.

Este primeiro ministro e o seu governo, apesar de já terem provado a sua incompetência, para além do facto de a sua (deles) palavra ter um prazo de validade cada vez mais curto, que é o mesmo que dizer que mentem de tal forma que já nem enganam ninguém, não é o único responsável.

Tenho de admitir que esta realidade é o acumular de décadas de governação incompetente que, infelizmente se receia que não esteja ainda no seu ponto culminante.

Devemos culpar estes políticos incompetentes por isso mesmo.
Infelizmente são parte do problema e não da solução.

A crise internacional não justifica a nossa própria crise. Já a temos há muito tempo e a estes políticos mentirosos ficava-lhes bem assumir a sua própria responsabilidade. Não é o que fazem. Ao invés, atiram as culpas de tudo para a crise internacional.

Ela (a crise internacional) há-de passar e nessa altura cá continuaremos com a nossa própria crise e com as mesmas figurinhas políticas a "chutarem para canto", desculpando-se uns com os outros e acusando-se mutuamente pela sua própria incompetência.
Tambem
já vi pessoal a apanhar beatas do chão... algo que já não via há anos...
UM HINIO Á DEMAGOGIA E À HIPÓCRISIA.
Do artigo do Sr. Tiago Mesquista, da demagocia e hipócrisia não sobra nada. Então porque não abdica também do novo riquismo para ajudar alguém? A passear o cãozinho, que se calhar trata melhor do que pessoas, ficou então muito condoido e impressionado, porque viu um casal chegar de carro e ir vasculhar no ciaxote do lixo.

Mas tem então dinheiro para carro e gasolina, só não tem para comer. Era melhor que o Sr. Tiago Mesquita fosse dar banho ao cão.

E tem o descaramento de falar em renováveis e outras coisas, como se isso não fosse investir no futuro. Melhor foi o aqui já alguém disse, Cavaco Silva na década de 80, ter trocado o nosso sector produtivo por dinheiro, empiolando o país.

Mas não se preocupe Sr. Tiago Mesquita, quando vier o governo do seu PSd, com Passos Coelho, duma penada, há fartura para todos, e já não fica sugeito a essa violência de ver pessoas a mexer nos caixote do lixo.
Re: UM HINIO Á DEMAGOGIA E À HIPÓCRISIA.
Se não foste tu, foi o teu pai.
Será genético? Será que o nosso destino de pobreza, incluída a de espírito, está escrita nos astros?

Não seria conveniente ensinar a nova geração, a ser responsável para poder exigir responsabilidade? Ou será que os “melhores-dos-melhores”, não terão outra solução senão emigrar para escapar à reinante pobreza de espírito?

Pelo que leio em comentários, jamais um governo pode ser responsabilizado pelos resultados da sua actuação, porque vai buscar as causas ao passado. Daqui a 15 anos, o Partido que estiver Poder, não deverá temer críticas, pois os seus apoiantes irão procurar as causas das desgraças na actuação do governo Sócrates. E repetir-se-á o ciclo até ao fim dos tempos

O articulista foca um problema semelhante ao do que no passado se chamava: “miséria dourada” – Quando eram referidos os funcionários públicos que passavam mal, mas andavam sempre “bem apresentados”. Já os nossos “clássicos” se referiam a comportamentos semelhantes, dos fidalgos arruinados. Entre a fome e a vergonha, opta-se pela fome.

  A “nossa” (não o usufruto) dívida não existe devido a apoio aos mais pobres. A nossa dívida é a causa dos pobres. O Tribunal de Contas indica-nos as causas, mas não as motivações. Essas têm um nome: corrupção.

Que já vêm do tempo de Cavaco, como é óbvio.

PS. Também deveremos atribuir as “grandes” e empoladas vitórias do presente, a Cavaco?
Pobreza
Ela existe e cada vez mais acentuada, o que deve servir de orgulho a AR com tão dignos representantes da desgraça alheia.
Mas por este andar aproxima-se o dia em que muitos políticos vão deixar de comer?
Mas não culpo um ou outro mas sim todos por terem permitido chegar a este estado lastimável em que se encontra o país.
Mas de quem é a culpa de cada vez mais
pessoas andarem a comer nos caixotes do lixo? É só do Socrates, ou do PSD com cavaco Silva como o grande leader tambám? É que quando o PSD está no poder a miseria aumenta e o povo vota no PS. Depois a miséria continua a aumentar o povo vai votar de novo no PSD. De alternância em alternância o Pais vai caindo na bancarrota, sem o povo se aperceber que o problema está no sistema politico/economico existente. Só quem vai beneciciar com esta conversa da treta são os que sofrem da doença chamada de partidarite que se vão orientando com o sistema, mas a população é que vai pagando cada vez mais com tudo isto. Até quando?...
Cada vez mais miséria...
Cavaco Silva tem muita lata, sendo um dos

principais responsaveis pelo estado do País, pelas opções que fez durante 10 longos anos em que foi primeiro ministro. Ao considerar que "hoje os portugueses têm de se sentir "envergonhados" por existirem em Portugal pessoas com fome, um "flagelo" que se tem propagado pelos mais desfavorecidos de forma "envergonhada e silenciosa"". Acrescento eu que os portugueses se devem sentir envergonhados em votar em tecnocratas sem uma visão de futuro no sentido do desenvolvimento sustentado do País, na redução das graves desigualdades, da corrupção e da miseria...
Infelizmente Interrompido Pela Ditadura
Se lermos os livros dos finais do séc XIX, temos uma caracterização perfeita da actualidade.
Infelizmente tivemos alguns anos que conseguimos prosperar um pouco e só ficamos atrasados em relação à Europa 27 anos, em 30 recuperamos 20. Hoje, nem se fala no atraso que temos, pois veríamos que estamos ao mesmo nível que no tempo da ultima Monarquia, em alguns casos, ainda pior.
Uma coisa deve ser vista e dita, quem paga as campanhas eleitorais? Talvez quem sobe no Ranking dos mais ricos, não será? O bolo não cresce, logo ...
Já pensaram, que pelo facto do homem ir de carro, poderá necessitar de se deslocar para o trabalho, e os rendimentos, são são suficientes para fazer face às despesas?
Vivam só com 475,00€ em zona sem transportes e desloquem-se 20 Km pelas ex-Scuts, retirem dinheiro para luz, água, gás, renda, escola e comida (guardem o resto, não lhe mexam, experimentem só 3 messes).
Depois comentem o artigo , saibam do que se fala.
País faz de conta
Decididamente, que tipo de gente anda à cata nos caixotes do lixo, mas move-se de automóvel?!

Passam fome, mas têm dinheiro para a gasolina, ou é tudo gamado?
infeliz
que artigo este, francamente! acha que são esses que sofrem de pobreza extrema? E depois, naturalmente, este governo tem a sua quota parte de responsabilidade mas não pode, para ser honesto, esquecer todos os outros que foram incompetentes no sentido de que não souberam pensar e implementar medidas com impacto a longo prazo, ou seja, não salvaguardaram o futuro, sendo o CAVACO, com todas as condições que teve, o expoente máximo desta incompetencia...
ISSO INDICA.....
QUE O SEU LIXO ESTA IMPROPRIO PARA SER JOGADO FORA,E QUE DEVE SER SUFICIENTE PARA QUE LHE CORTEM UM POUCO MAIS NO SEU SALARIO POR FORMA A EMPOBRECER A QUALIDADE DO SEU LIXO.
Comentários 97 Comentar

Últimas

Ver mais
Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub