Anterior
Britney Spears e filhos na capa da Elle americana
Seguinte
Silêncio que as divas da ópera vão cantar
Página Inicial   >  Sociedade  >  Gente  >   Souto Moura projecta casa barata encomendada pelo Expresso (vídeo)

Souto Moura projecta casa barata encomendada pelo Expresso (vídeo)

Em tempo de crise, veja como o arquitecto Souto Moura fez o projecto de uma casa de 100 mil euros, em resposta a um desafio do Expresso.
|

Opinião


Multimédia

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola, em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

United Colors of Gnocchi

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.


Comentários 12 Comentar
ordenar por:
mais votados
100 mil euros barato ???
sim... 20 mil para "untar" a autarquia, 30 mil são para o rabiscador... 20 mil para o empreiteiro... OK por 30 mil já é uma casa barata... livre-se do arquitecto, construa a casa por administração directa e isso é que sai barato...
Puramente académico!
Este projecto do Arq. Souto Moura pode, sim, ser comprado por quem tem 5 X 100 mil euros. Em tempos de crise e para quem dispõe somente de 100 mil euros nunca terá acesso a um projecto destes e terá de escolher outra coisa. Não passando de uma situação puramente teórica e académica é, contudo, um bom exercício para mostrar aos seus aprendizes colaboradores.
100 mil?
Completa demagogia. Só isso deve pedir o Souto Moura para desenhar a casa...

www.efseguros.com
crise, a quanto obrigas...
Isso não é uma casa! É uma caixa de escadas com acréscimo nos patamares! Ninguém que pense na sua velhice vai querer uma habitação dessas, a não ser que lhe instale um elevador... Por esse dinheiro qualquer um faria melhor. Ao fim e ao cabo sempre são vinte mil contos! Ou será que aqui o factor custo-de-um-terreno-à-beira-rio obrigou a "casa" a parecer um depósito de gente.
Francamente, arquitecto... Penso (baixinho): crise, a quanto obrigas...
Bem, pelo menos tem lugar de garagem, o imperativo de qualquer burguês que se preze.
parecem jeitosas!
Então e as piscadelas de olho ecológicas e as modernices electrónicas de baixo custo e grande efeito?
O barulho do elevador far-se-á sentir pela surdez da velhice? E o ar condicionado para cortar a magnitude da exposição solar (a Sul?); baratinho n´é?
As vistas (bistas) parecem jeitosas!

(Às vezes mais vale estar quieto.)
Souto Moura projecta casa barata
Barata uma Ova. Sem ser especialista na matéria parece-me que há quem faça melhor por menos. Não estou a entrar em linha de conta com as despesas extras, para Camara, terreno etc., que penso que também não foram incluídos. Trata-se de uma idéia gira que não passa disso mesmo, mas que acredito que não terá sucesso.
São as chamadas contas de sumir
É por estas e por outras que há derrapagens nas obras e principalmente nas obras publicas.
Vão todos atrás destas tretas e destas contas de sumir dos arquitectos, e se forem famosos como é o caso, ainda Pior. Para dar jus a fama os materiais são geralmente do mais exclusivo que há, de preferencia patenteados pelos próprios arquitectos.

Neste caso, uma casa virada para o douro com aquela arquitectura, várias lacunas dse detectam assim a primeira vista:
Terreno
Fundações
Betão à vista (com certeza)
Fossa Septica
....
Com 20 mil contos o empreiteiro não faria nem 1/3 da casa.

Já agora, não sei porque é que, quando se fala de arquitectos, os jornalistas falam sempre de arte e quando se fala em derrapagens os jornalista falem sempre dos politicos e dos gestores, que muitas das vezes apenas não mais fazem do que confiar no arquitecto.
E este é muitas vezes escolhido a dedo e sem concurso publico ...é só ver os exemplos......

Tudo incluido??
Será este um projecto que é de fácil aplicação, é que para além do terreno e materiais de construção tb não nos podemos esquecer do projecto em si que inclui o trabalho do arquitecto e esse sinceramente não sei quanto custa mas vindo de um gabinete com este renome, não deve de ser barato...
SOUTO DE MOURA
NÃO VOU CERTAMENTE FAZER UMA CRITICA À OBRA E CONCEITO DO ARQUITECTO. NÃO TENHO ELEMENTOS SUFICIENTES NO PROJECTO!
POSSO, PORÉM, DEIXAR AQUI O QUE ME PASSA PELA ALMA E EM FUNÇÃO DO QUE APRENDI, AQUI (POUCO), PELO MUNDO FORA (BASTANTE) E PELO CONTACTO PERMANENTE COM FAMILIARES QUE DEDICARAM A SUA VIDA A ESTE TIPO DE COISAS, DESENHAR E MANDAR FAZER CASAS PARA AS PESSOAS, CLARO.
1 - NÃO ME PARECE QUE ESTE PARALELEPÍPEDO TENHA ALGUMA COISA A HAVER COM A ESTRUTURA PAISAGÍSTICA.
2 - DO QUE CONSEGUI ENTENDER DO TEXTO QUE LI, A OBRA CUSTOU "CUSTO DE CONSTRUÇÃO" 100.000 EUROS. FIZ QUESTÃO EM POR TODOS OS ZEROS PORQUE ELES FAZEM A DIFERENÇA.
3 - QUAL É O VALOR REAL DE VENDA AO PUBLICO???
4 - ESTAMOS A FALAR DE QUE CRISE??? É QUE POR ESTE CAMINHO ESTAMOS A CONTRIBUIR E NÃO A LUTAR CONTRA A TAL "CRISE"!!!
5 - GOSTO DO CONFORTO DA VISTA. ESTA TÉCNICA DE EXPOR ESTE TIPO DE EXTERIORES, HÁ MUITO QUE FOI APADRINHADA POR VÁRIOS ARQUITECTOS EM TODO O MUNDO. É INTELIGENTE E SAUDÁVEL!!!
6 - QUEM É QUE VAI MORAR PARA AQUELES ARRABALDES?
7 - TAMBÉM GOSTEI DO ELEVADOR!!!
8 - TAMBÉM GOSTEI DA "CLASE MÉDIA MUITO BAIXA" PALAVRAS PROFERIDAS PELO ARQUITECTO QUE FEZ A APRESENTAÇÃO NO LUGAR DO S.M.. JÁ PERCEBERAM COMO SE MATAM DOIS COELHOS DE UMA SÓ CAJADADA???
9 - GOSTEI DO EXERCÍCIO, A MEU VER FALHADO, SÓ PORQUE NOS DÁ A ENTENDER QUANTOS HÁ QUE AINDA NÃO SABEM NEM PERCEBERAM O QUE É A CRISE REAL!!!
10 - PARA TERMINAR, DEVO CONFESSAR QUE ESTE PAÍS CONTINUA A ENVERGONHAR-ME! ...
Respeito pela Aldeia de Rio Mau e Riomauenses
Quanto ao projecto, suas inovações, conforto e ideal para a crise, não comento, pois não sou especialista na materia de arquitectura. Embora tenha a minha opinião pessoal, a qual não é favorável ao mesmo.
Não obstante, o que me incomodou não foi o projecto. Sou riomauense e os detalhes que apresentam sobre Rio Mau são, totalmente, falsos. Os autores/profissionais que realizaram este projecto e filme, deviam de ter feito uma pesquisa/estudo adequado antes de proferir tais comentários. Lamentável !!
como??!
ora deixa cá ver..tempo 01:38 e voilá!36+18=44..hmm...se calhar não..Epá, tenham paciência, com contas assim de sumir não admira o preço..Srs jornalistas, querem saber o que se faz por esse preço perguntem a quem ao menos sabe fazer umas simples contitas de merceeiro..lol
Criticar porque sim
Este como qualquer outro projecto de arquitectura, deve ser olhado como uma proposta, que neste caso é de um arquitecto conhecido, mas que não quer dizer que seja a melhor proposta, e muito menos quer dizer que será a solução para a crise. Deve ser olhado como uma hipótese. Critica-se tudo só porque sim, porque ele é arquitecto, e ainda por cima um arquitecto reconhecido ainda se critica mais.
Comentários 12 Comentar

Últimas


Pub