57
Anterior
Os cinco cenários
Seguinte
Cavaco tenta ficar no leme
Página Inicial   >  Blogues  >  Antes pelo contrário  >   Sorria, está a ser assaltado

Sorria, está a ser assaltado

|

Os notáveis laranjas dão conselhos ao governo. Que mude qualquer coisinha na TSU para o povo amochar de novo. Sem perder a face, claro está, que um ministro pode não ter escrúpulos, mas face tem de ter sempre. Um cadáver político pode ficar mais apresentável com maquiagem. Mas não deixa de ser um cadáver por isso. Presidente, PSD e CDS estão tão embrenhados nos seus próprios jogos políticos que não perceberam patavina do que se passou no sábado.

A TSU não é o principal problema, é a exibição clara desse problema. Foi a gota de água e foi mais do que isso. Os portugueses perceberam que o programa do governo não tem como principal prioridade o saneamento das contas públicas e o pagamento da dívida, mas a aplicação de um programa de engenharia social que passa pelo ataque aos rendimentos do trabalho com o objectivo de nos tornar competitivos à custa de salários miseráveis. Ao fazer uma transferência direta dos rendimentos do trabalho para as empresas - e não indireta, como tem feito até agora -, deixou isso demasiado claro. E as pessoas fartaram-se.

Passos Coelho está convencido que basta reduzir um pouco o montante do assalto e garantir aos portugueses que o dinheiro só vai para empresas exportadoras e que criem emprego - como raio se faz isso? - para que as pessoas aceitem o inaceitável. Um assalto é um assalto. E não há maneira de transformar os trabalhadores falidos em financiadores diretos das empresas de uma forma aceitável. A maioria dos portugueses até pode ser paciente, mas não gosta de ser tomada por parva.


Opinião


Multimédia

Lombinho de porco com broa e batata a murro

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 57 Comentar
ordenar por:
mais votados
Simplicidade
Não são precisos grandes brilharetes literários para sair uma crónica acertada, na minha opinião.
Temos aqui abordado as hipóteses de incompetência na gestão , ou estratégia de empobrecimento. Acho que há alguns elementos que nos fazem pensar de que se trata de um plano de conseguir competitividade à custa de baixos salários, desprezando poupanças noutros factores de produção (energia,gestão,transportes,etc), tentando atrair capitais.
Ponho mesmo a hipótese de este tipo de plano ter o apoio da Alemanha (veja-se o calor com que recebem Gaspar) , dividindo a Europa em zonas de altas tecnologias e outras para fabrico de produtos baratos, que possam competir com os emergentes.

Nós ficaríamos nessa segunda divisão, barata para alemães e nórdicos passarem férias, fabricando sapatilhas e camisolas.
  Na companhia de gregos, romenos e búlgaros....
Re: Teorias da conspiração
Re: Teorias da conspiração
Re: Teorias da conspiração
Essa tese não tem pés nem cabeça...
Re: Simplicidade
Re: Simplicidade
Re: Simplicidade
Re: Sorria, está a ser assaltado
Esta é uma crónica desacertada!

DO fala de um programa de engenharia social.
Mas o problema é que não há programam nenhum!
Ninguém percebeu porque o PM resolveu fazer aquele comunicação ao país naquele dia!
O anuncio da medida do aumento da TSU pareceu a todos (e até aos surdo-mudos) como uma medida avulsa que nem sequer foi estudada. Foi a TSU, mas também poderia ter sido um imposto sobre os beijos dados na rua!

Agora o que DO não diz é que ele quer o sol na eira e chuva no nabal, mas isso é impossível!
Apenas há uma alternativa ao roubo dos salários - É o corte radical nas despesas do Estado através de medidas como o despedimento de 100 a 200 mil funcionários públicos. Como a extinção de 150 câmaras municipais e 1000 a 1500 freguesias. A Extinção de organismos que numa altura de emergência nacional são perfeitamente inúteis!

Mas se o governo anunciar isso, o DO até arranca os poucos cabelos que lhe restam!

Agora outra coisa:
Caro Daniel Oliveira, espero que consiga travar a ascensão daquela "pasionaria" radical totalitária! Se você não a conseguir travar, ela só será trvada à força e depois de inúmeros atropelos à liberdade individual dos Portugueses.
Re: Sorria, está a ser assaltado
Com Daniel OLiveira,Bloco ao fundo
Agora é que o Bloco vai ao fundo,de vez.Com Daniel OLiveira aos comandos, nem é preciso nenhum empurrão!
Re: Com Daniel OLiveira,Bloco ao fundo
Re: Pena é não haver mais como DO
Re: Pena é não haver mais como DO
Re: Com Daniel OLiveira,Bloco ao fundo
Re: Com Daniel OLiveira,Bloco ao fundo
Um assalto é um assalto e um demagogo é um demagog
Um assalto é um assalto, seja ele feito a um simples chocolate para enganar a fome a um filho ou ao cofre de um qualquer BPN com muitos milhões. Em qualquer dos casos quem comete o acto fá-lo às escondidas e não justifica previamente as razões da sua acção. No caso da TSU talvez não tenha sido compreendidos pelos portugueses as razões da proposta de transferência de encargos das entidades patronais para os trabalhadores, mas elas foram explicadas pelo governo e Daniel Oliveira, sendo um cidadão esclarecido, compreendeu-as perfeitamente. Apesar disso faz-se de ignorante e dá-se ao trabalho de escrever uma crónica com o intuito de explorar os sentimentos de revolta dos trabalhadores que não têm o alcance para compreender a necessidade desta impopular medida.
Re: Um assalto é um assalto e um demagogo é um dem
Re: Um assalto é um assalto e um demagogo é um dem
Re: Um assalto é um assalto e um demagogo é um dem
Re: Um assalto é um assalto e um demagogo é um dem
Re: Um assalto é um assalto e um demagogo é um dem
Os Portugueses são "burros" portanto.... ??!!
Não basta dizer ao homem que é seu dever trabalhar
Não basta dizer ao homem que é seu dever trabalhar
Re: Não basta dizer ao homem que é seu dever traba
Re: Não basta dizer ao homem que é seu dever traba
Re: Um assalto é um assalto e um demagogo é um dem
'Sorria, está a ser assaltado
Com todo o respeito que lhe tenho, Daniel, está a ser desonesto. Muitos dos notáveis do PSD que merecem esse adjetivo e têm sido ouvidos nos últimos tempos, não dizem que o governo deve mudar qualquer coisinha da TSU, eles dizem que se deve voltar completamente atrás e PONTO.

A sua ideia de que há quem aconselhe ligeiras alterações é uma não-ideia que quase não precisa de ser noticiada: face ao clamor da medida, é natural que quem dependa do governo ou o apoie, pugne por modificações que cale a rua.

O que já é novo e logo digno de critério jornalístico, é a quantidade de notáveis e logo de parte do PSD que diz que só há uma solução, voltar completamente atrás, por mais face que se perca... e nisso juntando-se a todos os outros que dizem a mesma coisa.

Eles não são parvos, estes notáveis.

Para além do que eles pensam a nível racional da medida, existe também o que o instinto lhes diz sobre o impacto da mesma no eleitorado. Deles não pode dizer que "não perceberam patavina do que se passou no sábado". E se eles precisassem de mais confirmação do que o que o Instinto lhes diz, estão aí as sondagens da Católica desta manhã para os confirmar:

...o PSD desce de 36% para 24% (VINTE E QUATRO POR CENTO)!!!!

Ele valeria menos agora que o PCP e o BE juntos, coisa inaudita. (o PS também não pode cantar muito, também desce dois pontos, para 31%)
sorria-esta-a-ser-assaltado
A TSU não é o principal problema, é a exibição clara desse problema. Foi a gota de água e foi mais do que isso. Os portugueses perceberam que o programa do governo não tem como principal prioridade o saneamento das contas públicas e o pagamento da dívida, mas a aplicação de um programa de engenharia social que passa pelo ataque aos rendimentos do trabalho com o objectivo de nos tornar competitivos à custa de salários miseráveis. Ao fazer uma transferência direta dos rendimentos do trabalho para as empresas - e não indireta, como tem feito até agora -, deixou isso demasiado claro. E as pessoas fartaram-se.
( Eu direi antes que as pessoas entenderam finalmente o que estava em causa. Boaventura dos Santos referiu tudo o que se está a passar já lá vai ano e meio. Foi assim na Argentina).

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/03/boaventura-sousa-santos-na-sic.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/07/argentina-memorias-do-saque.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/09/tsu-pode-destruir-68-mil-empregos_17.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/09/manuela-ferreira-leite-votava-contra-tsu.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/09/helena-roseta-este-governo-rouba-os.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/09/silva-lopes-acusa-governo.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/07/d-januario-este-governo-e-corrupto.html

Da demagogia ao desvairio
A nova faceta do Sr. DO: o desvairio.
Agora a teoria é que há um plano para empobrecer os trabalhadores e fortalecer os grandes grupos económicos.
A loucura total!
Caro DO, NÃO HÁ PLANO NENHUM! Nem para empobrecer, nem para enriquecer, nem para nos tirar da crise. Neste momento, o Governo e a Oposição estão a navegar à vista. Não têm ideias nenhumas de jeito, estão todos desorientados e ninguém tem um pingo de inteligência para pôr isto a andar.
Ouvir os políticos, seja do Governo ou da Oposição é confrangedor e desesperante.
Não sai nada de jeito que nos possa indiciar que existe um caminho para sair da crise.
Essa coisa da TSU foi mais uma! Queriam sacar mais uns 2.000 milhões aos trabalhadores e ao mesmo tempo (pensavam eles), dar um empurrão no emprego. Erro crasso e falta completa de visão política!
Neste momento, está o circo montado: o Governo não quer perder a face e a Oposição não dá margem de manobra para uma saída airosa. A agravar isto tudo, nem uma ideia inteligente para resolver a questão.
Uma coisa é certa: não tenha dúvida que se o governo cair, isto vai se complicar ainda mais. Ou seja, não dá nem com eles, nem sem eles.
Frustrante, não é?
Re: Da demagogia ao desvairio
Claro que há plano...
Proponha!
O BE, outrora tão fértil em ideias, que vá à AR e proponha como arranjar 4.000 milhões de Euros para endireitar as contas, entre receita e despesa! Toda a gente já viu que isto da TSU foi uma diarreia mental do Min. das Finanças. Por isso, já que quer ser líder do BE, mostre que os tem da cor da sua barba: faça contas e proponha para ser submetido à votação da AR!
Quero ver agora se o BE (e o DO) vale mais do que serem apoiantes do aborto e do casamento entre homossexuais e realmente mostrar que pode fazer mais para o País do que criticar gratuitamente!
Re: Proponha!
Re: Proponha!
Daniel, o tétrico míope...
Pronto Daniel, lá continuas tu com a conversa trivial e com falácias ridículas.
Hoje, apareces com uma variante tétrica; um cadáver não deixa de ser cadáver por estar maquilhado. Ui! que raciocínio! Uma dedução superior do teu intelecto.
Facilmente deixas passar o teu silogismo: Se o governo é um "cadáver", o Primeiro-Ministro é um "cadáver" e o povo está bem vivo (bastando ver a manifestação da Sábado passado) logo este dinâmico e interventivo País precisa de um novo Primeiro-Ministro e novo governo. Que simplismo chilro!
Por isso, és um pobre de espírito e um triste e todos nós somos também uns pobres de espíritos e uns tristes.
Porquê? Porque infelizmente, há um "cadáver" e esse "cadáver" é Portugal. Está falido, está na bancarrota, está asfixiado. É Portugal que está "ligado à máquina" e não o governo!
Daniel, mete isto na tua obtusa e desconcertada cabeça! Este País assim não se safa e as pessoas que andam por aqui vão sofrer imenso, graças a ti e a pessoas como tu.
Podes ter a certeza que são as pessoas, os contribuintes que vão pagar este descalabro, através dos impostos quer seja com aumentos do IVA ou IRS ou TSU e fim das benesses, é indiferente!
Os contribuintes é que pagam! Independentemente de estar no governo o partido A ou B, ou a coligação X ou Y, ou o de salvação nacional alfa ou beta ou de iniciativa presidencial A1 ou B1. Não interessa quem estiver na governação, o estado social mirra e os impostos aumentam!
Re: Daniel, o tétrico míope...
Re: Daniel, o tétrico míope...
Re: Daniel, o tétrico míope...
DO
Não há vontade em mudar o rumo dos acontecimentos, pois estes estão a favorecer os mesmos de sempre e com a agravante de vermos alguns políticos descontentes com a quebra de algum rendimento.
É mais fácil lesar os mesmos de sempre.
Re: Sorria, está a ser assaltado
«um programa de engenharia social» É verdade. Conheço vários casos de programadores que após a falência ou o despedimento das empresas onde trabalhavam e ganhavam líquidos ao mês por volta dos 3000 euros em Portugal, tiveram duas opções: ou emigrar ou aceitar propostas de 1500 euros e em certos casos ainda menos, tal como se fossem juniores. Aqui há uns anos atrás estes valores eram impensáveis. Trata-se apenas de um exemplo, pois noutras profissões creio que a situação geral ainda consegue ser bem pior. Drena-se assim uma percentagem significativa da mão de obra disponível no país, e os que cá ficam trabalham a meia dúzia de euros por hora, porque tem de existir qualquer coisa no frigorífico para se poder sobreviver. Só que ainda estamos um pouco longe da média dos ordenados praticados na China ou na União Indiana, onde trabalhadores qualificados e não qualificados, trabalham na sua maioria por meia dúzia de patacos. Mas com tempo e paciência, vamos lá!
Sorria, está a ser assaltado
Re: Isto chama-se mercado!
Isto chama-se mercado!
Re: Isto chama-se mercado!
Aquilo que verdadeiramente interessa no artigo:
"Presidente, PSD e CDS estão tão embrenhados nos seus próprios jogos políticos que não perceberam patavina do que se passou no sábado."

Continuem a jogar, continuem... Depois queixem-se, quando a realidade vos ultrapassar (se é que já não vos utrapassou por completo...) e o povo vos passar por cima.

too little, too late....
A estratégia de empobrecimento futuro começou, em Portugal, há pelo menos 10 anos... ninguem se questionou com o Euro 2004 e disparates seguintes onde ia parar o nosso país... enquanto pingou estava tudo bem, era o choque tecnológico, os 200 mil empregos, Portugal na linha da frente, autoestradas de fazer inveja (ou provocar comiseração...) aos estrangeiros...
Só começaram a falar em roubo quando a factura foi apresentada, a crise internacional destapou o tacho e se viu que estava vazio... entretanto os responsáveis ficaram no parlamento a preparar mais um assalto, o chefe, depois de aclamado por unanimidade em congresso foi 2 meses depois afastado pelo mesmo congresso (e fugiu...) de onde surgiu novo líder, um que joga pelo seguro e 2 meses antes não tinha nada para dizer, alternativa a apresentar ou Sócrates a combater... lindo. Linda fotografia de conjunto.

A Islandia, país que costuma ser o ai Jesus de exemplo de combate ao FMI e um modo alternativo e indolor da sair da crise, por menos que isto aguentou dois anos de recessão média de 6% e uma baixa salarial de 50%, por via da desvalorização da moeda...

E agora, os burros dos islandeses, pediram a adesão ao euro e à UE... (por cá quere-se fazer não sei o quê ou como...) DO andou por lá em "trabalho" (porque a Islândia, embora não tenha nada a ver com a nossa realidade, não deixa de ser um dos mais bonitos...) e não conseguiu alertar o governo deles para a asneira...

Ora, que se lixem os islandeses!

Tenha vergonha em escrever lixo como este
Carissimo DO

dado que nos ultimos tempos se tornam claros os seus intentos politicos e ambições ao dirigismo politico.

não é aceitavel escrever lixo deste...
falar mal por falar qual quer analfabeto faz, esta pobreza jornalistica denegride a sua imagem enquanto tal, mas pior .... demonstra que se chegar a politico tem um vazio de ideias, reitero dadas as suas ambições escrever lixo deste deixou de ser aceitavel, tem de apresentar contra propostas e soluções usar demagogia simplesmente o denegride enquanto jornalista pois refugia-se na ignorância e ausencia de argumentação no que escreve e como politico (que ainda não o é e ja começa mal) deixa-o pior visto dado que o seu discurso é um valente vazio....

numa palavra .... TRISTE
Ainda não foi hoje!
"... não há maneira de transformar os trabalhadores falidos em financiadores diretos das empresas de uma forma aceitável."

Continuar a manter um estado falido e a garantir emprego perpétuo a 700 000 funcionários públicos (e nunca chegam a acreditar em todas as reinvidicações que as esquerdas tão prestimosamente apadrinham) com o dinheiro de todos é algo que já escorrega bem pela goela dos nossos progressistas. Tal como a Santíssima Trindade, nunca se explica é como.

Mais uma vez! Como é que DO se propõe obrigar os agiotas ... fascistas neoliberais, blá, blá blá com sede sanguinária contra o Estado Social mais não sei o quê ... a emprestarem-nos dinheiro barato enquanto lhes renegociamos a dívida?

É dificil! Fácil é duplicar a dívida pública em 6 anos. Mas enquanto isso aconteceu ninguém se sobressaltou civicamente. Só alguns ... fascistas neoliberais!
Comentários 57 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub