109
Anterior
Paulo Pedroso fez ou não tráfico de influências?
Seguinte
Dr. Passos, controle o balneário
Página Inicial   >  Blogues  >  A Tempo e a Desmodo  >   Socrates School of Economics

Socrates School of Economics

|

Vieira da Silva, José Sócrates, o PS inteiro e o meio "jornalismo" (gosto muito de ouvir analistas que não passam de protectores oficiosos do PS e de Sócrates) criaram uma nova escola de pensamento económico, a saber: a Socrates School of Economics (a malta, lá fora, tira o acento ao nosso primeiro). Esta escola decreta que um país pode entrar em bancarrota total em apenas uma semana e somente por causa de uma acção parlamentar. Esqueçam os anos de má governação, esqueçam os anos de más escolhas de política económica, esqueçam os anos de incompetência dos ministérios das finanças. Nada disso é verdade. Nada disso conta. Segundo esta brilhante escola, a bancarrota surge quando uma borboleta, a oposição, bate as asas. É essa inocente borboleta que, num simples acto, causa a destruição.

Portanto, para a SSE (Socrates School of Economics), a bancarrota surge por artes mágicas, porque existem umas pessoas más (a oposição) que não seguem as pessoas boas (o governo). Ou seja, a bancarrota é uma espécie de acto de vontade, e não a consequência de políticas concretas conduzidas ao longo de anos. Para a Socrates School of Economics, Portugal está na bancarrota porque a oposição revelou má vontade, porque a oposição quis essa bancarrota. E quis porquê? Ora, porque está coligada com o Sauron do guito, o FMI. 16 anos de governação PS não contam para nada nesta perspectiva epistemológica revolucionária no campo do pensamento económico. Genial, pá.

Não sei se a Socrates School of Economics conseguirá vencer o Nobel da Economia, mas como literatura não está mal, não senhor: é a aplicação do realismo mágico aos assuntos económicos.


Opinião


Multimédia

Os assassínios, as execuções, as decapitações são as imagens mais chocantes de uma propaganda cada vez mais sofisticada. É a Jihad, que recruta guerrilheiros no ocidente para matar e morrer na Síria. O Expresso seguiu as pisadas de cinco jiadistas portugueses, mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados. E como lutam, como foram morrer - e como já haverá arrependidos com medo de fugir. Reportagem em Londres, no café onde viam jogos de futebol, na universidade onde estudavam e na mesquita onde rezavam. Autoridades e especialistas em terrorismo estão alerta sobre este pequeno mas perigoso grupo, onde corre sangue português - e de onde escorre sangue por Alá.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.

Geração Z

Mais rápidos, mais capazes, mais solitários, os Z vivem agarrados aos ecrãs, pensam com a ajuda da internet e estão permanentemente preocupados com a bateria do telemóvel. Que geração é esta que nasceu com a viragem do século?

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.


Comentários 109 Comentar
ordenar por:
mais votados
Política à portuguesa
A legitimidade pelo voto popular tem como contraponto que se dizem muitas mentiras, para tenta ganhar eleições.
Sócrates, neste momento, faz o seu papel e culpabiliza o PSD pela situação de pré-bancarrota,dizendo que estava a levar a pedra montanha acima.
Cabe ao PSD e outros dizerem que a situação foi arranjada por Sócrates/PS, com uma gestão ruinosa e de compadrio, alimentando milhares de fiéis a pão de ló.
Cabe ao eleitor ver, ouvir e pensar sobre tudo isto e dar o seu voto ao que lhe pareça menos aldrabão.
Gente séria, por aqui, aparece um em cada 50 anos!!!
Agora estamos no intervalo!!
Re: Política à portuguesa
SÓCRATES ENSINA EM HARVARD COMO DESTRUIR UM PAÍS
Este seu artigo está BRILHANTE, STANDING OVATION p si! Efectivamente OS SOCIALISTAS MENTEM, JÁ ESTÃO EM CAMPANHA E TUDO FARÃO PARA SE MANTEREM NO PODER OU PERTO DELE. O DESESPERO É TANTO QUE ESTÃO DISPOSTOS A TUDO, DAÍ A COBRANÇA DE VELHOS FAVORES A UNS, ARRIGIMENTAÇÃO AGRESSIVA A OUTROS POIS A MOBILIZAÇÃO GENUINA JÁ É IMPOSSIVEL. Imputar o corte d rating á queda do governo em função da não aprovação parlamentar do PEC4 é uma ENORME MENTIRA. Nem sei como adjectivar ESTA gente q se presta a tão paupérrimo exercício. O PS JÁ SÓ FALA PARA OS IGNORANTES! As agências pautam as suas classificações por uma serie de factores e não por actos isolados. Portugal estava em queda e assim continua e a culpa é de quem GOVERNAVA E AINDA GOVERNA. Os socialistas d repente ficaram especialistas em interpretar os sinais q nos chegam dos MERCADOS. O q contribui decisivamente para o desgaste da CREDIBILIDADE NACIONAL é o deficit d 2010 ser anunciado por Sócrates como estando nos 6,9 e afinal ser d 8% ou mais. O q corrói a nossa imagem internacional é a TAL gestão orçamental ser apresentada como controlada e afinal não ter tido em consideração o crónico buraco do SNS. O q arrasa com a nossa reputação é anunciarem uma BOA gestão orçamental e depois aumentarem o poder d delegação d gastos sem concurso dos directores, autarcas e ministros d um forma radical e já sob uma lógica puramente eleitoral. É POR ESTAS E SÓ POR ESTAS QUE OS JUROS NÃO BAIXAM, O RATING NÃO MELHORA E O PAÍS SÓ PIORA e o resto ...
Ignorante?
A OPOSIÇÂO ENSINA MELHOR
O melhor período de governação de Sócrates ???
Re: A OPOSIÇÂO ENSINA MELHOR
Re: A OPOSIÇÂO ENSINA MELHOR
Re: SÓCRATES ENSINA EM HARVARD COMO DESTRUIR UM PA
Re: SÓCRATES ENSINA EM HARVARD COMO DESTRUIR UM PA
Deitar tudo a perder!
Se um homem carrega uma pedra pesada até ao cume de uma montanha e quando está quase no topo, vem um malandro passa-lhe uma rasteira e a pedra rola pela montanha abaixo rumo ao abismo, o que chama a isto Raposo?

Um País pobre como Portugal, apoiado pela UE, fica sem governo por uma teimosia da oposição, que encaminha Portugal para o abismo, o que chama a isto Raposo?
Re: Deitar tudo a perder!
uma "pedra" pesada às costas de Sócrates?
Re: Deitar tudo a perder!
Re: Deitar tudo a perder!
Re: Deitar tudo a perder!
Re: Deitar tudo a perder!
Re: Deitar tudo a perder!
Re: Deitar tudo a perder!
Re: Deitar tudo a perder!
Ah. Ah. Ah.
Re: Ah. Ah. Ah.
Re: Ah. Ah. Ah.
Re: Ah. Ah. Ah.
Ah. Ah. Ah.
Re: Deitar tudo a perder!
Re: Deitar tudo a perder!
Grande José Telhado
Re: Grande José Telhado
Ah. Ah. Ah.
A grande contradição na política portuguesa!
DEixe-se de coisas
Re: Deitar tudo a perder!
Re: Deitar tudo a perder!
Mito de Sísifo
Re: Mito de Sísifo
Re: Mito de Sísifo
Re: Mito de Sísifo
NÃO TENHO CARTA DE PESADOS
Re: Deitar tudo a perder!
Re: Deitar tudo a perder!
Re: Deitar tudo a perder!
Figo:750mil,Alberto Martins72mil,César27mil
A bancarrota ,é a obra de Sócrates:

  em seis anos:
o dinheiro existia,

mas foi indo para muitos buracos.

Foi tudo a sacar.
Cavaco preparou a bomba atómica com tempo
Re: Cavaco preparou a bomba atómica com tempo
SÓCRATES ENCENOU A MOMENTO DE DAR O FORA
Re: SÓCRATES ENCENOU A MOMENTO DE DAR O FORA
Re: SÓCRATES ENCENOU A MOMENTO DE DAR O FORA
Re: Figo:750mil,Alberto Martins72mil,César27mil
Re: Figo:750mil,Alberto Martins72mil,César27mil
Re: Figo:750mil,Alberto Martins72mil,César27mil
Re: Figo:750mil,Alberto Martins72mil,César27mil
Re: Figo:750mil,Alberto Martins72mil,César27mil
HR
Qual o rating desta escola! Se formos a avaliar pelos seus intervenientes é escalão máximo da formação de boys.
Teoria da estratégia do Zé Pinto
Desconfio que o cavalheiro quando se viu cada vez mais acossado pelas dificuldades de financiamento e pelo o afundar da economia, teceu um plano.
E esse plano era fabricar uma crise político, por exemplo assumindo compromissos internacionais sem dar cavaco a ninguém e depois chantagear a Assembleia.

Demitindo-se com uma desculpa (esfarrapada), o cavalheiro pode fazer o choradinho, desporto em que se distingue, e berrar «mamã foi ele«, esperando com isso ganhar com maioria.
Sendo reempossado vai dizer «os malandros dos outros partidos sabotaram o país, e agora não temos outro remédio senão recorrer à ajuda externa. É o único caminho».

Não estou na cabeça da criatura mas acredito que isto foi tudo premeditado por ela -- o arquétipo do chico-esperto lusitano!
Re: Teoria da estratégia do Zé Pinto
Re: Teoria da estratégia do Zé Pinto
Entrevista a José Sócrates
-Sr Engº, quem é o responsável pela crise?
=A Senhora e os Portugueses não sabem? A Crise foi provocada pela Oposi…!
-Mas Sr. Eng.º eles não governaram Portug….?
=Já lhe disse minha Senhora. Não governaram, mas são culpados porque a Oposição nunca gostou das nossas medidas, que iam ao encontro daquilo do que é feito no resto da Europa.
-Mas a Europa também está em crise, se bem que em menor grau do que nós?
=Está a ver, eles também são culpados pela crise lá fora, porque fazendo Oposição cá dentro, os nossos parceiros ficam contagiados, e também entram em crise!
-Mas não acha que a nossa crise é mais grave do que a dos outros?
=Não! Não acho nada disso. Na Alemanha também aumentaram a idade da Reforma para os 67 anos, reduziram as prestações soci…!
-Mas, o deficit da Alemanha é muito menor do que o nos….?
=Nós havemos de lá chegar, calma minha Senhora! Acha que em seis anos o défict pode baixar…..?
-Mas o Senhor disse há três anos que estávamos com um deficit de 2,7%...?
=Disse bem! Estávamos! Mas a Opsosição com inveja, fez subi-lo está a ver!? Agora já vai em 8%!
-Mas o senhor teve uma maioria absoluta de cinco anos o mandato mais longo até hoje e mesmo com maioria relativa teve sempre tudo aprovado por abstenção do principal partido da oposiç…?
=Oh minha Senhora! Os Portugueses sabem e você também, que o PSD quer ir para o Governo e que….!
-Mas não acha lícito eles desejarem ascender ao poder e alternarem convosco?
Não, Não acho minha Senhora! Porque eu
Sócrates School Economics
Culpar a Oposição de banca rota é tão desonesto como culpar Sócrates este governo por tudo o que aconteceu nestes últimos 30 anos. É deixar de fora Mário Soares, Cavaco Silva, Guterres, mas também os Sindicatos e ainda todos aqueles que não tendo possibilidades para ter uma casa de duas assoalhadas compraram uma de quatro e cinco, mas também os bancos que ainda há bem pouco tempo ligavam para casa das pessoas a meter crédito pelos olhos a dentro. Quem se esqueceu do " viaje agora pague depois". Apetece-me dizer que quem não tem culpas que atire a primeira pedra. Quantos foram aqueles que em Portugal nos últimos 30 anos compraram carro sem recorrer a crédito? É verdade que a irresponsabilidade do último ato da Oposição, aliado à ganância do PSD de ser governo a qualquer preço atiraram no imediato o País para o precipício. Pelo que tudo indica vai provar do seu próprio veneno. É um ato no qual ninguém ficou bem na fotografia, mas há aqueles que ficaram muito pior e estou a referir-me ao Presidente, ao PSD e ao Governo.
Re: Sócrates School Economics
Re: Sócrates School Economics
Re: Sócrates School Economics
Re: Sócrates School Economics
Re: Sócrates School Economics
Re: Sócrates School Economics
Re: Sócrates School Economics
Re: Sócrates School Economics
Re: Sócrates School Economics
Tempestade Perfeita
José Sócrates adiantou que, “o que aconteceu na última semana confirmou o que o governo tinha avisado. Lamento que este gesto da oposição tenha provocado estas consequências na nossa economia. A oposição decidiu abrir uma crise política, fez isso sem razão e sem alternativa. Somaram à crise económica uma crise política e fizeram-no por nenhuma razão objectiva, apenas por uma cobiça de poder”.
José Sócrates disse ainda que o Governo não tem intenções de pedir ajuda externa, mas que a situação económica do país está agravar-se com as posições que os partidos da oposição tomaram: “Se alguém quer contribuir para o reforço do nosso país, não diga apenas que não quer um PEC, apresente medidas alternativas. O que devemos fazer é reforçar a confiança do nosso país. O mais importante seria terminar com todas as incertezas e apresentassem as alternativas, para que também lá fora ao nosso país tenha outra imagem . Esta atitude não afecta apenas Portugal, afecta também a moeda única e toda a europa. Ainda hoje não se conhece qual é a alternativa e devem fazê-lo o mais depressa possível e antes da campanha eleitoral. Não devemos ser desleais para com toda a Europa, que foi quem nos apoiou.”
José Sócrates terminou dizendo que fez todos os alertas aos partidos da oposição: “eu disse aos partidos da oposição que deviam pensar bem antes de tomar esta atitude e agora a mensagem que passaram para os mercados foi que Portugal não deseja aplicar medidas. Ninguém me pode acusar de não ter avisad
A vergonha da política portuguesa...
Um homem aplica as medidas que o Barroso exige, isto é a pedra pesada. Com muito custo e constestação lá vai subindo a montanha. Mas o mesmo partido do Barroso, em Portugal não só não quis negociar a pedra pesada como ainda disse em inglês que queria uma pedra mais pesada e vai daí, passa uma rasteira ao governo, como propunha o marajá de Cascais, um petulante que devia ser irradiado da política para sempre.
SÓCRATES O GRANDE COMEDIANTE
Socrates School of Shownomics
Assim é que é correcto... Embora "School" seja insultuoso. O percurso escolar de Sócrates, é tudo menos transparente. Sócrates simulou tudo na vida, até esta crise foi muito bem simulada. Sócrates acabou! Para bem do país, e de todos os portugueses, mesmo os pobres coitados que cegamente, e inconscientemente o apoiam...
Re: Socrates School of Economics
Se tivermos por boas as sondagens que têm vindo a ser difundidas, Sócrates é passado (e eu, à cautela, ainda quero esperar para ver...). Deviamos, pois, dicutir as alternativas que se perfilam a partir de Maio/Junho. E a grande alternativa é Passos que, como se vai vendo... não é alternativa. Além dos ziguezagues e das propostas, tipo aumento de impostos (já agora Raposo que zurziu, e bem, contra o PS pelo aumento da carga fiscal, será um homenzinho grande e terá coragem para escrever sobre isto?), o que Passos nos propõe é ultrapassar o PS e ir mais além na extorsão aos portugueses e empresas no plano da fiscalidade. O próprio líder do PSD ontem escreveu, com todas as letras, que o problema não é o PEC 4, o problema é ele não ir mais além, Nos próximos dias é bem capaz de dar o dito por não dito e pedir desculpa ao país por aquilo que assumiu ontem. A ironia de tudo isto é que Passos vai-se tornar a prazo, até mesmo antes das eleições, como alguém que conseguirá transformar Sócrates num tipo minimamente aceitável enquanto PM. Portugal não é a Fomentinvest. Este peão de brega de Ângelo Correia para o velho barão laranja manter a sua influência pessoal na orla de poder, não convence e vai-nos sair caro...
Re: Socrates School of Economics
O «Sauron do guito» :-D
Se em Portugal não tivéssemos umas cavalgaduras a servir de eleitores (com o devido respeito, claro), o Zé Pinto e a sua fantástica trupe não se atreviam a vociferar aldras desta magnitude!

Ele sabe bem quem tem. E sabe com quem conta! Ele sabe que o grosso dos tugas fica com dores de cabeça se tiver de pensar dois segundos seguidos.
Basta estar atento às conversas de rua e de café e ouvir, incrédulos, o «pobinho» a repetir os «key points» da propaganda dita socialista.

Sim, tenho medo, tenho muito medo, que o Zé Pinto volte a ganhar. Aí é que a «Terra Média» vai de vez pró galheiro...
Re: O «Sauron do guito» :-D
Re: O «Sauron do guito» :-D
Re: O «Sauron do guito» :-D
Re: O «Sauron do guito» :-D
Re: O «Sauron do guito» :-D
Re: O «Sauron do guito» :-D
Re: O «Sauron do guito» :-D
Re: O «Sauron do guito» :-D
Re: O «Sauron do guito» :-D
Deve querer referir-se a isto..
Mais de dois terços das empresas não pagaram qualquer imposto relativo ao exercício de 2009, o pior resultado desde 2005.As estatísticas mostram ainda que o número de empresas com prejuízos fiscais aumentou 4% face ao exercício de 2008, com 146.706 a declarar prejuízos no valor de 12,1 mil milhões de euros!
Ainda falta saber as verbas que o estdao deu ao sector privado, o mesmo que quase ninguém paga impostos
Entenda de uma vez por todas porque o País está como está....deixe de bater nos funcionarios públicos!
QUANDO O COPO TRANSBORDA
Já se percebeu que há analistas, bem (in)formados, que acham que este intervalo de dois meses para eleições não tem qualquer importância para a situação do país. As notícias, hora a hora, de que os juros da dívida em todos os prazos estão a atingir custos incomportáveis, também não interessam. A paralisia em que o país mergulhou com um Governo de gestão é mal vista pelos mercados e agências de rating. Mal vista no sentido de que eles vêm mal, olhos deficientes, e vai daí decidem prejudicando Portugal. Mas tudo isto é culpa de quem? De todos nós, políticos, cidadãos, empresas, sindicatos, media, etc.? Não. Todos berramos a nossa razão. Todos somos inocentes porque só existe um culpado. Um tal de Sócrates, recentemente despromovido a Socrates.
Re: QUANDO O COPO TRANSBORDA
Comentários 109 Comentar

Últimas


Pub