Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Sushi pode modificar genes da flora intestinal

Estudo diz que uma dieta rica em comida japonesa pode transferir genes de bactérias marinhas para a flora intestinal humana. E isso, é bom!

Segundo os pesquisadores da Universidade Pierre et Marie Curie (UPMC), em Paris, uma dieta rica em comida japonesa, como os tradicionais sushis, pode transferir genes de bactérias marinhas para a flora intestinal humana, permitindo a absorção de nutrientes que de outra forma o corpo humano não conseguiria digerir.

No estudo, publicado na revista científica Nature, os cientistas apontam que esses genes são benéficos para o ser humano, porque permitem a absorção de nutrientes das algas que provavelmente não poderiam ser digeridos de outra forma.

Para os especialistas, a descoberta mostra que os alimentos e a maneira como os preparamos têm o potencial de influenciar a flora intestinal do homem.

A equipe de cientistas da UPMC, liderada por Jan-Hendrik Hehermann, conseguiu isolar uma nova enzima digestiva encontrada em bactérias que vivem nas algas vermelhas Porphyra, entre as quais está o nori, usado nos sushis.

Entretanto, uma outra pesquisa, realizada na Grã-Bretanha, afirma que algas marinhas podem ser usadas para combater a obesidade. A equipe de cientistas da Universidade de Newcastle descobriu que os alginatos, uma fibra extraída das algas, ajudam o corpo a reduzir a absorção de gordura em até 75%. O índice é melhor do que a maioria dos tratamentos contra obesidade. Os cientistas estão a fazer testes com a fibra adicionada a pão, para determinar o efeito que ela teria em uma dieta normal.

Para o director do National Obesity Fórum (NOF), uma entidade britânica que reúne médicos e estudiosos, a descoberta é "interessante". "A pesquisa parece interessante, mas nós só podemos começar a recomendar (as algas) se os cientistas conseguirem gerar boas provas após testes rigorosos", conclui.