Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Roubo de arroz transformado em cabaz solidário

Depois de andar de transportes públicos sem pagar bilhete, Nelson Arraiolos anunciou que ia roubar um quilo de arroz ao Pingo Doce.  

Nelson Arraiolos, desempregado há dois anos, anunciou que ia ao Pingo Doce do Rossio, em Lisboa, buscar um pacote de arroz sem pagar, mas quando chegou à loja tinha um cabaz de comida à sua espera. 

A ação de protesto, anunciada aos órgãos de comunicação e na Internet há uma semana, era um ato simbólico para chamar a atenção das necessidades de quem está sem trabalho, segundo o autor da iniciativa.

"Decidi que vou entregar este cabaz a uma família que seja ainda mais necessitada do que eu", disse ao Expresso Nelson Arraiolos, depois de sair da loja da cadeia peretencente à Jerónimo Martins.

Esta é o terceiro protesto público de Nelson Arraiolos, 41 anos, que em setembro foi à Presidência da República avisar o Presidente que ia invocar o direito de resistência para não pagar impostos. Depois disso, já andou de transportes públicos sem comprar bilhete.

"Quero mostrar o desespero que é a vida dos desempregados. Não vemos uma luz ao fundo do túnel", diz. Atualmente, não tem qualquer tipo de rendimentos e vive com a ajuda de amigos.

O último trabalho de Nelson Arraiolos foi há dois anos num call center em Lisboa. "Há mais pessoas a querer fazer o mesmo que eu", afirma. Natural do Bombarral, sofre de uma doença degenerativa que afeta os nervos periférico e não  tem qualquer tipo de rendimentos.