Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Sociedade

Quinze crias de lince ibérico nascem em Silves

  • 333

O projeto de reprodução em cativeiro do felino mais ameaçado do mundo continua a dar frutos. Nasceram quinze novas crias. O Expresso mostra mães e filhos.

Carla Tomás, com André de Atayde

Bisnaga, Flora, Fruta e Fresa são as mães das 15 novas crias de lince ibérico que nascerem desde o início de março no Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico (CNRLI), em Silves, no Algarve.

O parto mais recente aconteceu a 19 de março, com a fêmea Fruta a dar à luz cinco crias, fruto do seu acasalamento com o macho Drago. Tantas crias numa só ninhada é considerado "um caso extremamente raro em cativeiro", refere Rodrigo Serra, o veterinário e diretor do CNRIL. Até aqui, só conhecia "um caso semelhante ocorrido há 20 anos, mas em liberdade no Parque Nacional de Doñana, em Espanha".

Este é o terceiro parto de Fruta, que contava já com quatro descendentes sobreviventes, e durou quatro horas. "Os tempos de parto vão de uma hora a 12 horas dependendo da experiência das fêmeas, do número das crias e de se tratar ou não de parto normal", esclarece o veterinário.

A temporada de partos de 2013, começou a cinco de março, com Bisnaga a parir quatro crias numa das caixas-ninho das instalações deste centro. As novas crias ainda não têm nome, mas já "têm os olhos abertos, gatinham de forma hesitante e já começaram a explorar o mundo exterior, saindo da caixa", conta o diretor do CNRLI.

Mais preparada para as novas funções, Bisnaga acolheu os filhotes "de forma extremosa", segundo Rodrigo Serra, e "ultrapassou as dificuldades que tivera nas duas temporadas anteriores, em que acabara por abandonar as ninhadas". Depois de terem ainda mamado o colostro da mãe nas primeiras horas de vida, Janes e Juromenha, as duas filhas de 2012, tiveram de ser alimentadas artificialmente por humanos até aos 71 dias de vida, altura em foram aceites pela mãe que, então, as ensinou a caçar.

Os outros dois partos da temporada aconteceriam a 18 e a 23 de março. Primeiro foi Flora a parir quatro crias, e depois Fresa que deu à luz mais duas. 

O Centro de Reprodução de Silves alberga ainda os 17 linces ibéricos que sobreviveram à temporada de 2012 (outros quatro morreram nos primeiros dias de vida) e que estão a ser preparados para ser reintroduzidas no meio natural, em breve, em território espanhol. Por cá ainda não estão encontradas as condições para serem libertados no espaço selvagem.