Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

PSP detém ladrões-recicladores de carros velhos

E se alguém decidisse limpar, por iniciativa própria, a paisagem de centenas de carros velhos, levando-os para a sucata sem avisar os proprietários? PSP deteve ladrões-recicladores, que actuavam em todo o Algarve, em flagrante delito.

Mário Lino, correspondente no Algarve (www.expresso.pt)

É sabido que o Estado promove diversas formas de incentivo ao abate e reciclagem de veículos automóveis. Em Portimão, porém, um grupo de cidadãos decidiu ir fazê-lo por iniciativa privada... só que sem o consentimento dos donos dos carros velhos.

Havia dois meses que o esquema funcionava a todo o vapor, com um método relativamente simples: uma vez escolhidos os veículos com aspecto de algum abandono, à posteriori um reboque encarregava-se de os transportar para a sucata.

A PSP de Faro anunciou hoje ter posto fim ao esquema, através do Núcleo de Investigação Criminal de Portimão. A empresa envolvia quatro pessoas e tinha sede na zona de Algoz.

Automóveis bons... para vender ao quilo

Segundo a PSP, os indivíduos em causa rebocavam os automóveis directamente para a sucateira, "onde de imediato os compactavam e vendiam ao quilo, julga-se, a empresas espanholas", adianta a força de segurança, em comunicado.

Depois de avaliado o modus operandi, a PSP passou à acção e acabou por apanhar os ladrões-recicladores em flagrante delito. "No último fim-de-semana, foi detectado o reboque referenciado como o utilizado na prática dos furtos a circular em plena Avenida V6, em Portimão, tendo a PSP montado de imediato no terreno um dispositivo policial que permitiu a intercepção do pronto-socorro e identificação dos seus dois ocupantes que foram constituídos arguidos", esclarece o mesmo comunicado da PSP.

Para além destes, foram também constituídos arguidos outros dois indivíduos.

Nas  buscas efectuadas nos escritórios da sucateira, a PSP acabou por encontrar dezenas de chapas de matrícula de veículos já compactados. E localizou outros 40 automóveis roubados na cidade de Portimão que se encontravam já na linha de processamento, prestes a serem compactados.

Segundo o Comando da PSP de Faro, os indícios recolhidos demonstram que o quarteto em causa actuava em todo o Algarve, tendo destruído "largas centenas de viaturas".