Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Presidente da TAP pediu para reunir com os sindicatos

A reunião com os sindicatos foi solicitado pelo próprio presidente da companhia, Fernando Pinto

José Ventura

Os sindicatos têm também marcada esta manhã a reunião com o Governo, em sede do Tribunal Arbitral, para decretar os serviços mínimos durante a greve.

Os sindicatos ligados à TAP vão reunir-se esta sexta-feira com a administração da empresa, a pedido do presidente Fernando Pinto, depois da requisição civil decretada na quinta-feira pelo Governo para os dias de greve.



"Fomos chamados para uma reunião com o conselho de administração", avançou à Lusa o dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos Paulo Duarte. A reunião estava agendada para as 10h. "Fomos chamados ontem [na quinta-feira], às cinco da tarde, para uma reunião pedida pelo presidente", acrescentou o sindicalista.



Os sindicatos têm também marcada esta manhã a reunião com o Governo, em sede do Tribunal Arbitral, para decretar os serviços mínimos durante a greve.



O Governo aprovou na quinta-feira, em Conselho de Ministros, uma requisição civil dos trabalhadores da TAP para minimizar o impacto da greve de quatro dias, entre 27 e 30 de dezembro, convocada por 12 sindicatos para contestar o relançamento da privatização da companhia aérea.



"Esta decisão visa assegurar serviços essenciais em defesa do interesse público nacional e de sectores vitais na economia nacional", justificou o Governo, no comunicado do Conselho de Ministros.



A requisição civil compreende o conjunto de medidas determinadas pelo Governo destinadas a assegurar o regular funcionamento de serviços essenciais e de interesse público ou de setores vitais da economia nacional.



Os 12 sindicatos representativos dos trabalhadores da TAP convocaram uma greve de quatro dias, entre o Natal e o Ano Novo, para contestar o relançamento da privatização da companhia, decidida em novembro, tendo solicitado a suspensão do processo até estar concluído um conjunto de negociações para salvaguardar os direitos dos trabalhadores.