Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Póvoa de Varzim. PJ está a investigar cenário dos crimes

  • 333

Quatro vítimas mortais ainda se encontram no interior do café da Estela onde ocorreram os múltiplos disparos desta manhã. A investigação está a cargo da secção de homcídios da Polícia Judiciária do Porto.

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

Uma equipa da Polícia Judiciária da diretoria do Norte ainda se encontra no interior do Café S. Tomé, na localidade de Estela, Póvoa de Varzim, a processar o local onde esta manhã, pelas 9h, foram assassinadas a tiro duas mulheres e dois homens com idades compreendidas entre os 21 e os 70 anos.

Segundo o tenente coronel Silva Ferreira, do comando territorial da GNR do Porto, o presumível homicida, um homem de cerca de 45 anos, ex-marido de uma das vítimas mortais, está detido à guarda do destacamento da GNR de Valença, à espera de ser entregue à PJ. As outras pessoas que perderam a vida eram os sogros e um enteado do agressor.

Silva Ferreira referiu ao Expresso que os corpos, logo que seja dada ordem de levantamento por parte da Judiciária, serão encaminhados para o Instituto de Medicina Legal do Porto. 

Embora as autoridades afirmem que ainda é cedo para adiantar qual terá sido o móbil dos crimes, tudo indica que na origem do quádruplo homicídio terão estado desavenças familiares devido a partilhas. após o divórcio há dois anos do casal.

Paulo Silva, o alegado autor dos crimes, empresário ligado ao ramo da construção civil, estaria a atravessar dificuldades financeiras, razão que poderá ter precipitado a tragédia.

No local do crime encontrava-se também um menor de 16 anos, filho do homicida e da ex-mulher, que apenas sofreu escoriações e está a receber apoio psicológico do INEM.