Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Pinguins em extinção

Os pinguins estão em extinção e podem desaparecer ainda durante este século. Os da ilha de Galápagos são os mais ameaçados, alertam biólogos norte-americanos.

Maria Luiza Rolim (www.expresso.pt)

Os simpáticos pinguins podem desaparecer da Terra  ainda durante este século, advertem biólogos norte-americanos. Doze das 18 espécies existentes já constam da IUCN-World Conservation Red List of Threatened Species, das espécies em extinção. 

Os mais recentes a entrarem para a lista vermelha foram os pinguins africanos.

O estudo sobre a extinção dessas espécies foi apresentado recentemente na 7ª Conferência Internacional sobre Pinguins, realizada em Boston, que reuniu biólogos, governantes, defensores do meio-ambiente, e profissionais de aquários  e jardins zoológicos de 22 países. 

Causas do declínio 

Dez das 18 espécies de pinguins estão em declínio.

A pesca e a caça furtivas, os derrames de petróleo, as mudanças climáticas  e a redução das camadas de gelo  são as principais causas do fenómeno. 

Como explicam os biólogos norte-americanos, a maioria dos pinguins se alimenta de peixes pequenos como anchovas e sardinhas, espécies de águas frias. Como as mudanças climáticas e ações do El Niño alteraram a temperatura da água onde eles vivem, isso impede a chegada desses peixes.

Com a redução das camadas de gelo, os pinguins têm agora menos espaço para viver e procriar.

O derrame de petróleo, por sua vez, também tem contribuído para o declínio dos pinguins, em especial na costa argentina.

As 18 espécies de pinguins vivem no hemisfério sul, sendo uma nas ilhas Galápagos,quatro no Antártico, e as restantes na América do Sul, África, Austrália, Nova Zelândia e ilhas do Antártico.