Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Pilotos falam às 20h

  • 333

Miguel A. Lopes/Lusa

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil marcou uma conferência de imprensa para as 20h.

A poucas horas de entrarem em greve durante dez dias, o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) convocou os media para uma conferência de imprensa à hora dos telejornais.

Na mensagem de correio eletrónico enviado às redações, os pilotos garantem que "as deliberações das respetivas Assembleias de Empresa serão cumpridas" e que um dos maiores obstáculos que lhes foram colocados "foi o da propaganda encetada pelo Governo e pela TAP, caracterizada por falsidades, ameaças e chantagens".

"Os pilotos compreendem bem que está definitivamente em causa o seu futuro e, por isso, não resta outra alternativa senão combater a irresponsabilidade e o radicalismo do Governo e da TAP", escrevem ainda na mensagem.

Cavaco, Portas e Guedes

Esta quinta-feira, o Presidente da República o admitiu que a paralisação poderá ter como consequência o despedimento de trabalhadores, lembrando situações semelhantes em outras companhias aéreas europeias.

"Deus queira que na TAP não aconteça aquilo que aconteceu noutros países da União Europeia, em que as companhias de aviação foram forçadas a realizar despedimentos muito significativos e a cortar nas rotas. Mas, pelas informações que disponho neste momento, eu começo a recear que algo semelhante possa vir a acontecer na TAP", afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva.

Também o vice-primeiro-ministro e líder do CDS-PP alertou para os efeitos sobre a economia e apelou aos pilotos da TAP para que desconvoquem a greve.

"O que eu faço é um apelo: pensem no país, pensem no turismo, pensem na economia, pensem na vossa empresa. A TAP é importante, não contribuam para a destruir. A TAP é importante hoje e amanhã. Não façam greves de 10 dias num mês, isso dá cabo da tesouraria de uma empresa", disse Paulo Portas.

Na habitual conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros, o ministro da Presidência, Luís Marques Guedes, pediu aos pilotos para que deixem "de olhar para o seu umbigo" e pensem na empresa e no país.

276 ligações incluídas nos serviços mínimos

Os passageiros com voos marcados na TAP entre 1 e 10 de maio só ficarão a saber se seguirão viagem com uma hora de antecedência, isto é, quando a companhia souber se os pilotos se apresentam ao serviço.

A TAP alertou esta quinta-feira para as "enormes dificuldades" que os passageiros com voos marcados para os próximos dez dias terão na sequência da greve convocada pelo Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), dado que desta vez - pela duração da paralisação - o número de ligações canceladas antecipadamente será reduzido.

Ainda assim, a companhia elaborou uma lista de voos para os primeiros três dias que não se irão realizar, em função da prioridade e da taxa de ocupação, e está a informar os passageiros com reservas para essas ligações.

Depois, só estão garantidas as 276 ligações incluídas nos serviços mínimos, mas a TAP tem a convicção de que um conjunto grande de pilotos se apresentará ao serviço e, por isso, poderá ter uma operação mais alargada.

Mas os pilotos - como a restante tripulação - apenas tem de se apresentar uma hora antes da partida, por isso, só nessa altura haverá certezas sobre a realização de cada voo.

"Com uma média diária nos próximos dias de 296 voos, a TAP tem garantidos os voos de serviços mínimos. Todos os restantes dependerão da adesão dos pilotos à greve", refere a TAP em comunicado, pedindo aos passageiros com voos incluídos nos serviços mínimos que reconfirmem a intenção de viajar.

A TAP adianta que, na análise dos voos, verificou que "muitos passageiros já terão optado por outras alternativas, mantendo embora as reservas originais", apelando para que cancelem para poderem destinar esses lugares a outros passageiros.

Desde logo, a companhia alerta "para as dificuldades de atendimento, tanto nos aeroportos, como no 'contact center', mas o pessoal que estará de serviço fará o melhor que lhe for possível para resolver os problemas que sejam colocados".

Os passageiros terão acesso à informação atualizada com regularidade sobre a operação na página da TAP na internet (flytap.com) ou na página da companhia no Facebook.

Na véspera da greve dos pilotos, a TAP realçou que "os serviços têm trabalhado incessantemente para encontrar soluções que minimizem as consequências mas, numa greve de dez dias seguidos, é impossível à companhia resolver parte dos problemas colocados".