Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

"Perder tempo com jantarinhos? Vamos é para a cama. Só se houver entendimento sexual é que há bom entendimento relacional", diz Duarte

  • 333

Duarte Barrilaro Ruas foi porteiro das discotecas Frágil e Lux, em Lisboa, nos idos 80 e 90. O ator e encenador afirma que nesses 'gloriosos tempos' era muito direto na abordagem e que deu prazer a um grande número de mulheres: "mais de 200, menos de 400. Neste terceiro episódio de uma série de sete semanas, quatro entrevistados falam abertamente sobre o seu desempenho na intimidade, um projeto do Expresso e da SIC.

Reportagem de Bernardo Mendonça e Maria João Ruela (texto), Hugo Neves (Imagem), João Lemos (Fotografias); Ricardo Sant´Ana (Edição de imagem); Paulo Alves (Grafismo)

Conheça também a história da empresária Elvira Matos que confessa ter descoberto o prazer só na última década, diz-se atrevida no engate e ser agora uma "boa amante"; João Fernandes, 47 anos, que gosta de homens mais novos e dá muita importância ao tamanho do órgão sexual dos parceiros. "Quando vamos a um restaurante de que é que gostamos mais, de uma gamba ou de um camarão tigre?". O arquiteto Bruno Rosa, de 39 anos, conta como aprendeu a conquistar as mulheres através do estômago e que sexualmente "é bom nas entradas". Neste episódio Pedro Nobre, diretor do laboratório de investigação Sexlab, explica ainda a razão porque os chamados "garanhões"  - como Duarte diz que já foi - sofrem consequências mais graves se falharem no ato.

O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas semanas, contamos-lhe tudo.