Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Pavilhão de Portugal vai servir para pagar dívida

  • 333

OBRA Pavilhão de Portugal é a única obra pública em Lisboa do arquiteto Álvaro Siza Vieira

FOTO JOSÉ VENTURA

A única obra pública em Lisboa de Álvaro Siza Vieira vai ser entregue pela Parque Expo para pagar uma dívida ao Estado. Arquiteto diz que lhe "deixou de doer".

Edifício da emblemática pala do arquiteto Álvaro Siza Vieira, o Pavilhão de Portugal, no Parque das Nações, Lisboa, vai servir como pagamento de uma dívida. A comissão liquidatária da Parque Expo - empresa constituída para realizar a Expo?98 e gerir o projeto imobiliário e os equipamentos - vai entregar ao Estado a única obra pública em Lisboa do conceituado arquiteto.

No documento elaborado na segunda-feira, não é dada informação detalhada sobre o Pavilhão, apenas que será feita a "dação em cumprimento do Pavilhão de Portugal para a regularização parcial da dívida da Parque Expo ao Estado Português". Assim sendo, fica por saber qual vai ser o destino do edifício.

O arquiteto Siza Vieira confessou ao Diário de Notícias que, "para viver melhor com esta história, a única coisa que posso dizer é que deixou de me doer". Afinal, "uma pessoa tem que se cuidar". Sobre a utilidade a dar ao Pavilhão de Portugal, construído pelo engenheiro Segadães Tavares, os caminhos são vários e difíceis. Siza Vieira resume: "É uma coisa muito problemática; não há dinheiro." Desde o fim da Expo?98, a 30 de setembro, que se espera por uma solução.

"O edifício nunca foi acabado. Cumpriu as funções de Pavilhão de Portugal da Expo?98 e devia ter sido reconvertido logo a seguir", defende José Mateus, presidente executivo da Trienal de Lisboa, que ali esteve instalada em 2007. O tempo passou e nada foi feito. "O seu exterior não corresponde ao interior, a obra não está concluída. Serão necessários milhões para recuperá-lo", garante José Mateus. Por outras palavras: "É um presente envenenado."